Clair Cameron Patterson, biografia de um defensor do ar

A vida de Clair Cameron Patterson foi dedicada à ciência, mas ele também é um exemplo de ativismo implacável. Graças a ela, o mundo entendeu os efeitos devastadores do chumbo nos combustíveis e conseguiu eliminar esse elemento de muitos produtos.
Clair Cameron Patterson, biografia de um defensor do ar

Última atualização: 16 fevereiro, 2022

Clair Cameron Patterson foi o geofísico que, em 1953, conseguiu calcular a idade da Terra. Além dessa enorme conquista, esse cientista também foi um dos pioneiros na luta contra o uso de materiais tóxicos em combustíveis devido ao seu efeito na poluição do ar e, claro, na saúde das pessoas.

Sua luta pelo ar limpo para todos começou em 1965, época em que as questões ambientais ainda não tinham a relevância que têm hoje. Graças ao seu conhecimento, Clair Cameron Patterson sabia que algumas práticas industriais ameaçavam o planeta e seu povo, então ele decidiu não ficar calada.

“Eu me levantava e explicava como as coisas realmente funcionam. Esse era o meu trabalho.”

-Clair Cameron Patterson-

Graças aos esforços de Clair Cameron Patterson, em 1970, uma lei conhecida como “ar limpo” foi aprovada nos Estados Unidos. Também graças a ele, numerosos ecologistas compreenderam o alto poder poluente do chumbo nos combustíveis e, assim, conseguiram sustentar suas reivindicações em muitos países do mundo.

óleo contaminado

A vida de Clair Cameron Patterson

Clair Cameron Patterson nasceu em uma cidade chamada Mitchellville, Iowa (Estados Unidos), em 2 de junho de 1922. Seu pai era de origem escocesa e trabalhava como funcionário da administração postal. Apesar de suas origens humildes, este homem tinha um grande apreço pela ciência e incutiu essa inclinação em seu filho.

A mãe de Clair também valorizava muito o poder da educação. Foi ela quem lhe deu um conjunto de química que parece ter sido a semente da inclinação científica de Patterson. Ele estudou em escolas pequenas, mas sua participação não se destacou muito.

Posteriormente, ele recebeu o diploma de bacharel em química do Grinnell College, e mais tarde um mestrado em espectroscopia molecular. Na mesma época, ele se casou com sua namorada da faculdade, Laurie. Tanto ele quanto sua esposa foram convidados a trabalhar no Projeto Manhattan (bomba atômica) na Universidade de Chicago.

Uma carreira de sucesso

Após a Segunda Guerra Mundial, Clair e Laurie decidiram continuar seus estudos. Patterson fez doutorado e foi contratado pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia em 1952. Lá ele se tornou um dos fundadores do departamento de Geoquímica e trabalhou nessa instituição até o fim de sua vida.

Clair Cameron Patterson, junto com seu colega George Tilton, desenvolveu um método para calcular tempos geológicos com base em urânio e chumbo. Desta forma, ele conseguiu estabelecer a idade provável do planeta, que ele determinou ser de 4.550 milhões de anos. Esta é considerada a datação mais importante que existe até hoje e permaneceu inalterada desde 1956.

Outra das grandes contribuições de Patterson foi descobrir que havia níveis significativos de contaminação por chumbo na superfície da Terra. Essa descoberta o levou a se perguntar sobre os efeitos dessa poluição na atmosfera e no corpo humano. Isso o levou a iniciar uma luta feroz para evitar esse fenômeno.

Bola do mundo meio contaminada

Uma luta histórica

Patterson determinou que o chumbo atingia compostos do dia-a-dia, como gasolina e latas de alimentos, por meio de um composto chamado tetraetilplan. Desde então, lutou pela proibição dessa substância. Seu principal oponente era a Ethyl Corporation, empresa líder na produção de aditivos de chumbo.

O que se seguiu para Clair Cameron Patterson foi uma perseguição implacável. As grandes multinacionais começaram a usar todo o seu poder e influência para que as portas fossem fechadas para o cientista, em todos os lugares. Na verdade, eles conseguiram que lhe fosse negado um contrato de pesquisa com o Serviço de Saúde Pública dos EUA.

Em 1971, ele foi negado a participar de um painel do Conselho Nacional de Pesquisa sobre contaminação por chumbo na atmosfera, embora ninguém no mundo soubesse tanto sobre o assunto.

No entanto, em 1978, ele foi convidado a fazer parte desse painel e foi autorizado a elaborar um documento com as medidas a serem tomadas para evitar a contaminação por chumbo.

Sua luta implacável levou a uma redução de 80% no nível de chumbo no sangue dos americanos até o final do século. Patterson morreu em 5 de dezembro de 1995 e até o último dia não descansou em seus esforços por um ar mais limpo no mundo.

Pode interessar a você...
O papel dos serviços sociais na luta contra a pobreza
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O papel dos serviços sociais na luta contra a pobreza

Você sabe como os serviços sociais atuam em situações de pobreza? Falamos de uma questão relevante para uma sociedade em que há cada vez mais desig...



  • Trigo Rodríguez, J. M. (2012). Las raíces cósmicas de la vida (Vol. 5). Servei de Publicacions de la Universitat Autònoma de Barcelona.