Como parar de analisar demais

Existem problemas que não podem ser resolvidos em um determinado momento e antes dos quais o melhor é esperar. Porém, às vezes, remover esses problemas que temos que “descansar” do foco de nossa atenção não é uma tarefa fácil.
Como parar de analisar demais

Última atualização: 18 janeiro, 2022

Quando nos deparamos com um problema ou preocupação, é inevitável que pensemos sobre ele para tentar encontrar uma solução. Porém, às vezes pensamos demais e, ao contrário do que possamos acreditar, isso não é benéfico nem para o problema nem para o nosso bem-estar. Por isso, é preciso aprender a dedicar o tempo certo e necessário, bem como aprender a tirar do nosso foco de atenção questões que não podemos resolver no momento.

Se isso não acontecer, você pode cair no que é chamado de síndrome de paralisia da análise. Esse fenômeno ocorre quando, depois de virar as coisas sem agir, também ficamos bloqueados em outros campos ou iniciativas. Esse bloqueio pode levar à perda de motivação e foco, aumento do medo, redução da autoestima e atraso em atingir a meta.

Para evitar chegar a esse ponto e aprender a não analisar demais, aqui propomos uma série de diretrizes que o ajudarão a gerenciar pensamentos em loop.

Mulher preocupada com pensamentos negativos

Como parar de analisar demais

Uma das etapas principais é entender por que tendemos a analisar em excesso. Por trás disso, pode haver diferentes causas. Por um lado, pode ser por medo de falhar ou de estar errado. Essa emoção nos faz começar a brincar com os cenários futuros de uma forma perigosa para o nosso equilíbrio emocional.

“E se der errado? E se eu me arrepender? E se afetar outras pessoas?” No final, o medo desaparecerá assim que agirmos e somente com a experiência poderemos responder e aprender com isso.

Também pode acontecer que percorramos continuamente uma questão numa busca inesgotável e estéril da perfeição. Querer fazer as coisas bem é totalmente positivo e legítimo. No entanto, o perfeccionismo pode nos fazer cair em um loop, o que também nos faz sentir mais inseguros sobre o que estamos fazendo e menos tolerar o fracasso.

Além de analisar as possíveis causas, outro passo básico é ter consciência de que, quando pensamos, processamos as informações por meio de filtros mentais que distorcem a percepção. Assim, as diretrizes para parar de analisar em excesso consistem em pequenos exercícios para clarear a mente e se livrar daqueles padrões que não nos ajudam a ver com clareza.

1. Parar o pensamento

Quando você se sentir exausto de pensar em seus pensamentos por muito tempo, comece esta estratégia. Consiste simplesmente em dizer ” chega !” você mesmo e cumpra a ordem. Isto é, quando você perceber que está pensando demais novamente, treine um sinal que o pare.

Acompanhe esse discurso interno com outra tarefa que o distraia. Por exemplo, dê um passeio, chame um amigo para falar sobre outras coisas, coloque a música que você gosta… Qualquer coisa além da preocupação serve. O importante é dar o passo para querer desviar o pensamento.

2. Hora de pensar

Se você é uma daquelas pessoas que passa tempo todo dia analisando excessivamente, não só quando surge um problema, você pode definir um cronograma. Embora seja curioso, definir horários limitados para pensar pode evitar que as preocupações acabem contaminando tudo.

Por exemplo, você pode dedicar meia hora todas as tardes para pensar e analisar, adiando os pensamentos caso eles apareçam em outro momento.

Este tempo limitado o ajudará a descansar sua mente ao longo do dia e quando você pensar, verá tudo com mais clareza. Nesse sentido, é importante que o tempo para pensar não ocorra quando você está ansioso, triste ou com raiva. Em algum momento, quando chegar a hora de pensar, será estranho você forçar a análise, e assim aos poucos essa necessidade desaparecerá.

3. Fale com alguém

Falar com outra pessoa sobre suas preocupações pode ser muito útil. Isso servirá como uma válvula de escape e também será útil para você receber conselhos e opiniões de alguém que está fora do problema. Essa pessoa vai pensar de forma mais clara e objetiva sobre o assunto, e também lhe dará atenção suficiente para entendê-lo.

No entanto, não devemos deixar que todos os outros façam todo o raciocínio, assim como não podemos esperar que alguém decida por nós mesmos. Lembre-se de que essa pessoa, apesar de gostar de ouvi-lo, também tem que tomar decisões para sua própria encruzilhada. Portanto, não abuse dessa estratégia e procure essa ajuda quando você realmente precisar.

analisar demais

Recupere a espontaneidade e a decisão

O mais importante de tudo é que você seja capaz de se permitir ser espontâneo e decidir. Se tende a analisar excessivamente, dê-se a oportunidade de saborear o prazer de improvisar, de deixar fluir e de tomar decisões nesse momento. As decisões, não importa o quanto sejam analisadas, geralmente são feitas mais com base nas emoções, o que torna menos provável que nos arrependamos mais tarde.

Além disso, crie um ciclo positivo para decidir e não dê importância excessiva, aumente sua confiança e sua capacidade de tomada de decisão no futuro. Analisar em excesso apenas confunde sua mente, então comece a colocar esses exercícios em prática e livre-se desse hábito.

 

This might interest you...
Problemas psicológicos derivados da autoexigência
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Problemas psicológicos derivados da autoexigência

Embora a autoexigência consciente possa nos ajudar a crescer, o exagero pode levar a alguns problemas psicológicos. Saiba mais sobre eles!