Complexo de Aristóteles ou se sentir melhor do que os outros

O complexo de Aristóteles ou se sentir melhor do que os outros

Maio 6, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Complexo de Aristóteles

O complexo de Aristóteles não é um transtorno definido no campo da psicologia ou da psiquiatria. Pelo contrário, é um conjunto de características que a cultura popular definiu como complexo na forma coloquial. Basicamente, corresponde a aquelas pessoas que acreditam que estão sempre certas.

A palavra complexo vem do latim complexus e se refere a algo que é composto por vários elementos. Na psicologia, dá-se o nome de complexo a uma condição na qual estão presentes vários traços de personalidade ao mesmo tempo, e que causam dificuldades para a pessoa.

“Você não acha estranho quando alguém tem fotos de si mesmo em todos os lugares? É como se eles estivessem tentando provar que existem”.
– Candace Bushnell –

A principal característica dos traços de personalidade em um complexo é que eles são inconscientes. A pessoa não percebe que os tem e se percebe, dá uma interpretação diferente. Acredita que é normal ser assim, ou que tem razões válidas e objetivas para ser como é. Vejamos no que consiste especificamente o complexo de Aristóteles.

Aristóteles, um filósofo obstinado

Aristóteles é, sem dúvida alguma, um dos maiores filósofos de todos os tempos. Ele viveu entre 384-322 a.C., durante a Grécia clássica. Suas ideias e sua doutrina são tão importantes que até hoje têm grande influência na filosofia e nas ciências humanas e biológicas.

Aristóteles

Aristóteles foi aluno de Platão, outro grande filósofo grego, pai da metafísica. Ele seguia seu professor onde quer que fosse, e foi brilhante como aprendiz. Platão sempre o manteve em alta estima até as coisas começarem a mudar.

Quando Aristóteles desenvolveu a sua própria doutrina filosófica e ganhou notoriedade por isso, começou a se afastar do seu professor. Mas não é só isso. Ele também começou a se afastar dos seus ensinamentos, algo que Platão não viu com “bons olhos”.

Com o passar do tempo, Aristóteles chegou a afirmar que os ensinamentos de Platão não tinham fundamento. Muitos questionaram essa atitude de Aristóteles, parecia um ato de deslealdade e arrogância. Não era para tanto, mas o filósofo ficou com essa fama.

O complexo de Aristóteles

Com base nesses episódios da história antiga, algumas pessoas começaram a falar sobre o complexo de Aristóteles. Atribuíam ironicamente esse apelido a todos aqueles que acreditavam ser melhores do que os outros e que estavam sempre certos. Era algo diferente do complexo de superioridade, porque este último está mais relacionado com as emoções e com a imagem, enquanto o complexo de Aristóteles é de natureza intelectual.

Mulher olhando para outra segurando flor

Aqueles que têm o complexo de Aristóteles estão obcecados em superar intelectualmente os outros. Eles participam de longas disputas, sem nenhum outro propósito além de provar que são mais espertos, mais inteligentes e educados do que os outros. Sempre colocam as suas convicções à prova e provocam grandes polêmicas, muitas vezes de caráter público.

Quem tem o complexo de Aristóteles acredita que está sempre certo, mas na realidade isto não é o mais importante para ele. O que mais lhe interessa é impor o seu ponto de vista aos outros. Fazer com que os outros o vejam como alguém especialmente inteligente.

Os complexos não levam a nada de bom

No complexo de Aristóteles há um tipo de adolescência que não foi superada. Nessa idade, é decisivo para a pessoa testar as suas ideias e, sobretudo, confrontar ou demonstrar a pouca validade do pensamento dos outros, principalmente das figuras de autoridade. Esse processo, que às vezes é muito irritante para os adultos, é uma forma que os jovens encontram para construir e reafirmar a sua identidade.

O adolescente, assim como aqueles que padecem do complexo de Aristóteles, sentem uma profunda insegurança. O desejo de estar sempre certo a qualquer custo e impor os seus pontos de vista sobre os outros não é nada além de um sinal de dúvida. Eles querem subjugar outras formas de ver a realidade, porque as temem. Elas colocam em risco a sua forma de ver o mundo, por isso as acham intoleráveis.

Homem com roupa geométrica

O complexo de Aristóteles é um problema de autoestima, ou então de narcisismo. O valor e a importância da pessoa é superdimensionada, apenas com o objetivo inconsciente de equilibrar uma sensação de incapacidade. É como aqueles animais que tentam intimidar o outro quando se sentem ameaçados. Seja como for, esse narcisismo exagerado só traz grandes dificuldades ao longo do tempo.

Recomendados para você