O compromisso nos relacionamentos

· agosto 12, 2018

Neste artigo, vamos fazer uma reflexão sobre o compromisso nos relacionamentos. Dos três componentes do amor, esse é o mais polêmico. Geralmente o compromisso é considerado algo bom, mas até que ponto isso é verdade?

Os relacionamentos afetivos costumam ser um aspecto importante em nossas vidas, sejam os familiares, os de amizade ou de casal. Inclusive, às vezes estes últimos são considerados os mais fundamentais para o nosso bem-estar. Estas relações se caracterizam por serem uniões baseadas no amor, mas como podemos definir este sentimento?

Muito já foi escrito sobre os componentes fundamentais do amor. Geralmente, costumamos diferenciar três elementos que o compõem: a paixão, a confiança e o compromisso. Todos eles são importantes para a manutenção de um bom relacionamento. Por isso, a sua criação e manutenção deve ser uma das prioridades para todos aqueles que desejam compartilhar sua vida com alguém.

Antes de começarmos a analisar se o compromisso nos relacionamentos é benéfico ou não, é preciso aprender a diferenciá-lo dos outros dois componentes do amor.

Vamos nos aprofundar mais nesse assunto.

Casal tendo conversa madura

O que é o compromisso?

O compromisso é a vontade das pessoas que compõem um relacionamento de permanecer juntas. Todos os relacionamentos requerem um certo grau de compromisso, mas existem muitas diferenças. Obviamente, as coisas não são iguais no caso de um familiar, de um amigo ou companheiro sentimental. Geralmente, em um relacionamento amoroso vamos exigir mais comprometimento do que em uma amizade.

Em termos simples, o compromisso é uma espécie de contrato social que ambas as partes aceitam. O fato de dizer que somos “amigos”, “namorados”, ou “marido e mulher” é considerado a assinatura desse contrato. O problema é que, geralmente, as cláusulas desse contrato não são divulgadas explicitamente pelas duas partes. As características desse contrato costumam vir dadas pelo que a sociedade entende que deve ser exercido.

O principal objetivo do compromisso nos relacionamentos é manter uma certa segurança e o controle dentro deles. Ao existir esse contrato social, podemos manter uma série de expectativas sobre como a outra parte deve se comportar no relacionamento. Isso vai nos ajudar a prever situações que podem acontecer e agir de acordo com elas.

Considerando a adaptação evolutiva, a manutenção do controle e a segurança nos relacionamentos nos ajudam em muitos aspectos da vida humana. Por exemplo, no caso dos casais, ter um relacionamento baseado no compromisso auxilia na criação dos filhos. Como eles nascem totalmente indefesos, precisam do cuidado constante dos pais. Na verdade, em momentos anteriores da história da Humanidade, se não houvesse dois adultos cuidando do bebê, as suas possibilidades de sobrevivência eram bastante reduzidas.

O compromisso nos relacionamentos atuais

No que se traduz essa faceta atualmente? Geralmente, entendemos que ter um compromisso implica várias coisas:

  • Não ser infiel. A infidelidade é vista, em muitos casos, como um motivo justificado para terminar um relacionamento amoroso.
  • Intenção de manter o relacionamento no futuro. Se uma das pessoas pensa em terminar com a outra em breve, o casal não possui um compromisso.
Casal tentando fazer as pazes

É algo bom ou ruim?

Se observarmos com atenção os relacionamentos que nos rodeiam, muitos deles se caracterizam por apresentar uma certa toxicidade. Uma das possíveis explicações para isso é que o compromisso nos relacionamentos pode ser o centro da maioria dos problemas. Na teoria, isso pode acontecer devido a três fatores inerentes ao mesmo:

  • O contrato social implícito.
  • As expectativas intrínsecas.
  • O controle sobre os outros.

Vamos ver cada um desses fatores com mais detalhes.

Contrato social

Como contrato social implícito, nos referimos às condições não explícitas que nós entendemos que devem ser cumpridas em um casal. Em muitos casos, as pessoas que estão em um relacionamento não falam claramente o que elas esperam uma da outra. Pelo contrário, elas começam a relação tendo em mente uma série de ideias preconcebidas sobre como cada um “deveria” se comportar.

Desta forma, cada indivíduo interpreta de modo diferente o que é o compromisso nos relacionamentos. Dessa forma, enquanto uma das partes tem uma ideia de como é um casal, a outra pode pensar algo totalmente diferente. É fácil que, por causa disso, apareçam muitos conflitos devido a um mal-entendido inicial.

Expectativas sociais

Outro aspecto bastante relacionado com o anterior é a aparição das expectativas sociais. Ao ter um compromisso com a outra pessoa, temos uma série de ideias sobre como ela deveria se comportar para nos agradar. O problema aparece quando alguém não cumpre com as nossas expectativas e, como resultado, nos sentimos desapontados.

Geralmente, ambas as partes do relacionamento vão tentar cumprir as expectativas do outro. Isso, no entanto, pode acabar sendo feito às custas das nossas próprias necessidades. Esta forma de agir costuma causar uma sensação de estar sendo alienado pelo outro e, finalmente, de não se sentir livre.

Casal brigando

Necessidade de controle

Por último, o compromisso nos relacionamentos pode nos causar uma certa necessidade de controle sobre os outros. Isso ocorreria ao tentarmos alcançar mais segurança no relacionamento do casal. O problema é que o controle pode criar uma dependência emocional e, portanto, fazer a outra pessoa se sentir aflita e alienada.

Não esqueçamos que a autonomia é uma necessidade vital para o ser humano: não podemos esperar que as outras pessoas atuem segundo o nosso critério. Se um relacionamento se baseia na subordinação de um indivíduo ao outro, isso rompe totalmente com essa sensação de liberdade. Geralmente, isso só vai criar descontentamento e infelicidade para os dois membros do casal.

Conclusão

O compromisso não deixa de ser um simples acordo entre as partes que formam um relacionamento. Apesar de ser um aspecto importante do casal, ele não deveria se transformar em um componente central do mesmo. Levado ao extremo, pode causar mais dano do que benefício.

Apesar disso, a maioria dos problemas de compromisso serão resolvidos se nós formos capazes de explicar o que esperamos da outra pessoa. Por outro lado, também é necessário aprendermos a dar liberdade ao nosso companheiro sentimental. Essas duas habilidades são fundamentais para ter um relacionamento que nos traga felicidade.