Conhecer a si mesmo: um processo difícil mas importante

O autoconhecimento é a engrenagem que põe em movimento a liberdade e o compromisso de nos realizarmos como pessoas. Obtê-lo nos permitirá abrir a porta para a felicidade.
Conhecer a si mesmo: um processo difícil mas importante

Última atualização: 29 abril, 2022

Para viver livre é preciso conhecer a si mesmo. É preciso identificar aquelas partes que são tão difíceis que nos machucam quando outros se atrevem a apontá-las.

O que é que nos machuca tanto? A que estamos resistindo?  Inveja, orgulho ou covardia. São qualidades que todo ser humano possui, que alguns negam e muitos outros rejeitam.

No entanto, virar o rosto para o que faz parte de nós não impedirá que ele esteja lá. Conhecer a si mesmo não é fácil, mas também não é impossível.

Conheça a si mesmo ( Nosce te ipsum, como foi escrito no Santuário de Apolo em Delfos) e conhecerá todo o Universo e os deuses. Você conhecerá suas luzes e suas sombras.

No entanto, conhecer a si mesmo é a base para desenvolver todo o potencial humano que carregamos em nosso ser. Somos todos diferentes, no entanto, todos temos a capacidade de dar ao mundo algo que os outros não podem. Conheça a si mesmo e você descobrirá o que é.

“A maior sabedoria que existe é conhecer a si mesmo.”

Galileu-.

Buscar a aprovação dos outros

O difícil de conhecer-se é encontrar-se com aquelas partes que rejeitamos. O que fazer com elas? Pensemos, por exemplo, naqueles sentimentos de raiva que às vezes nos invadem. É importante observar esse sentimento e a situação que o causou. Agora é a hora de tomar uma decisão, deixamos essa emoção sair ou a reprimimos?

Mulher que não se conhece na frente de um espelho

O usual é reprimir a emoção, acumulando-a e fazendo com que ela saia um dia sem nenhum controle no momento menos oportuno. Tomamos essa decisão com base no que os outros vão pensar se nos virem naquele estado de fúria em que, muito provavelmente, nos encontraremos ouvindo frases como: “calma”, “não é tão ruim” ou “você enlouqueceu”.

Não podemos suportar a ideia de que os outros possam nos rejeitar, nos culpar e trazer à tona nossos medos e nossa vergonha. Pensar em como os outros vão agir se mostrarmos como nos sentimos nos faz não querer perceber que isso faz parte de nós mesmos.

Racionalizamos a situação a partir de um nível superficial e ignoramos completamente qualquer emoção que possa derrubar esse muro construído com dor que vem se formando ao longo dos anos como resultado de múltiplas decepções.

Para se conhecer, o importante é se perguntar: Poderia eu me amar apesar de me permitir sentir e expressar emoções negativas ou ficaria cheio de culpa, vergonha e medo? A resposta será muito importante porque nos dará as chaves para sabermos o quanto somos condicionados pelos outros e quantas coisas nos permitimos sentir e expressar ou não.

A liberdade que vem com o conhecer a si mesmo

No caminho para o conhecimento de si mesmo, é importante estar ciente de como e por que reagimos a vários estímulos. Para isso, quando a raiva surgir e se instalar em nosso corpo, por exemplo, será necessário permanecer observando, sem julgar e sem entrar em confronto com essa sensação.

Desta forma , vamos perceber os pensamentos que vêm à nossa mente e como nos comportamos. Certamente, então, nos sentimos compelidos a culpar os outros por nosso comportamento. No entanto, isso não nos interessa, porque o que queremos é conhecer a nós mesmos, descobrir a nós mesmos.

Não queremos interpretar os atos, mas explorar a nós mesmos. Dessa forma, perceberemos o número de ocasiões em que essa sensação se repete e em que circunstâncias ela o faz. Podemos nos sentir responsáveis demais, ressentidos demais ou até impotentes. O que nosso diálogo interno nos diz?

Mulher triste simbolizando não conhecer a si mesmo

Quanto mais fundo formos capazes de cavar, mais lucidez e respostas teremos. Nesse estado de exploração, de autoconhecimento, podemos descobrir o quanto nossos comportamentos e hábitos estão arraigados.

Muitas vezes, aprendemos a reagir assim desde a infância, quando crianças não éramos suficientemente habilidosos para realizar nossos desejos e precisávamos que outros o fizessem por nós.

“A coisa mais difícil do mundo é conhecer a si mesmo e a coisa mais fácil é falar mal dos outros.”

Tales de Mileto-.

Uma vez que entendemos nossa maneira de reagir, bem como o medo e o desejo básicos que sempre estão por trás dessa raiva, é mais fácil sair dessa situação. Hoje não somos mais crianças, podemos assumir o controle de nossas vidas, cobrir nossas necessidades nós mesmos, sem esperar que outros o façam.

Conhecimento e liberdade

Em resumo, conhecer a si mesmo é essencial para conquistar nossa liberdade, enquanto compreendemos o significado de nossas emoções, ouvindo-as profundamente, substituindo nossas habituais reações automáticas por decisões conscientes, inspiradas pelo conhecimento íntimo do que realmente está acontecendo conosco.

Para vivermos livres precisamos saber quem somos, seguir o caminho aconselhado pela nossa própria essência. Conhecer a si mesmo é essencial para começar a ser feliz.

This might interest you...

7 perguntas para ganhar autoconhecimento
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
7 perguntas para ganhar autoconhecimento

Muitas vezes quando chegamos na terapia o psicólogo nos sugere questões que nos obrigam a aprofundar pelo menos um pouco o que sabemos sobre nós e ...