Consequências da sobrecarga de trabalho

29 Fevereiro, 2020
Se não limitarmos o tempo de trabalho e cuidarmos das condições laborais, podemos ter nossa qualidade de vida prejudicada a longo prazo. Por isso, é importante se conscientizar sobre os efeitos da sobrecarga de trabalho para tentar reduzi-los.
 

A sobrecarga de trabalho está muito presente na vida das pessoas. Dedicar grande parte do tempo ao trabalho se tornou uma rotina para muitos de nós. Tanto é assim que é possível acumular jornadas de trabalho muito longas, o que leva, por sua vez, a madrugadas em claro, a chegar muito tarde em casa, a passar a maior parte de nossa vida no ambiente de trabalho.

O excesso de trabalho pode trazer consequências negativas para as nossas vidas? Pensemos: se eu dedico muito tempo para o meu trabalho, a probabilidade de eu não conseguir me dedicar da mesma maneira a outras áreas da minha vida é bastante grande..

Por isso, a sobrecarga de trabalho pode nos levar a dedicar menos tempo para nossas vidas pessoais, para nossa família e amigos, entre outros. É exatamente por causa dessas questões que falamos de possíveis efeitos negativos.

Consequências da sobrecarga de trabalho

A sobrecarga de trabalho diminui a qualidade de vida

Ana Alcayaga, diretora de Engenharia em Prevenção de Riscos e Meio Ambiente da USS, afirma que a sobrecarga de trabalho é um risco que diminui a qualidade de vida e a produtividade.

Essa afirmação está amparada pelas últimas cifras entregues pelo Sistema Nacional de Informação de Segurança e Saúde no Trabalho. Além disso, esse estudo também destaca os riscos físicos e psicológicos derivados de longas e excessivas jornadas de trabalho.

 

Definitivamente, a sobrecarga de trabalho pode gerar riscos para a nossa saúde, diminuindo a nossa qualidade de vida. Dedicar a maior parte das horas da semana ao trabalho faz com que o nosso bem-estar físico e psicológico sejam ameaçados, mesmo que nós gostemos daquilo que fazemos.

Além disso, com o passar das horas, diminui a produtividade. Se eu dedico tempo demais ao trabalho, minha mente se satura e eu passo a render menos.

“O bem-estar e a saúde são um dever; sem eles, não poderíamos manter nossa mente forte e clara”.
-Buddha-

Ansiedade

Uma jornada de trabalho extenuante é um fator de risco para ter ansiedade. O estresse derivado da sobrecarga de trabalho gera uma liberação excessiva de alguns hormônios, como é o caso do cortisol, conhecido como o hormônio do estresse.

O hormônio do estresse nos prepara para enfrentarmos as situações difíceis, e em pequenas doses não é prejudicial.

No entanto, a liberação excessiva de cortisol, derivada de um estresse e de preocupações constantes, fruto de uma sobrecarga mantida ao longo do tempo, pode nos provocar uma angustiante sensação de mal-estar. Esta se manifestaria como uma sensação de pressão no peito, dor de estômago e taquicardia.

Insônia

Não é raro que quem trabalha em excesso comece a ter dificuldades para dormir, o que às vezes se torna uma insônia crônica. A carga laboral é tão grande que a mente é incapaz de se desconectar na hora de dormir, fazendo com que os problemas e as preocupações cheguem ao momento do descanso.

 

Isso faz com que o sono não seja reparador, e no dia seguinte a pessoa se encontra ainda mais esgotada, tanto mental quanto fisicamente.

Piora das relações sociais

A sobrecarga de trabalho nos leva a passar menos tempo com amigos e familiares, e a conviver pouco com nossos parceiros, nossos amigos, nossos irmãos, filhos ou pais. De certa forma, acabamos nos tornando eternos ausentes. Os demais param até mesmo de esperar que nós possamos comparecer aos eventos.

“Estamos rodeados de artefatos destinados a economizar horas de trabalho, e, ainda assim, temos pouco tempo para o verdadeiro ócio”.
-Laurence J. Peter-

Mulher estressada por causa do trabalho

Sobrecarga de trabalho e síndrome de burnout

A Síndrome do Burnout foi reconhecida de forma oficial pela Organização Mundial de Saúde (OMS) recentemente. Ela é considerada um transtorno que afeta o nível emocional e psicológico de uma parte importante dos trabalhadores que vivem em um estado contínuo de estresse e ansiedade.

Cabe destacar que, cada vez mais, os profissionais de diferentes setores do mercado de trabalho padecem dessa síndrome. Segundo os dados obtidos por um estudo recente da Medscape, 37% de todos os médicos da Espanha afirmaram sofrer de Burnout. Esse número não é o único alarmante, pois a síndrome afeta profissionais de todas as áreas e a sua prevalência é cada vez mais elevada.

 

Para concluir, lembremos que se não limitarmos o tempo e as condições de trabalho, a longo prazo podemos ver nossa qualidade de vida prejudicada. Por isso, é importante se conscientizar dos efeitos da sobrecarga de trabalho e tentar preveni-la.

Além disso, é importante se conscientizar de que cuidar da nossa saúde mental e física é fundamental não só para nós, mas para a sociedade como um todo.