Crescer com um pai narcisista deixa consequências na vida adulta

Para um pai narcisista, as necessidades de um filho não importam. Assim, além de criar um terreno árido demais para uma infância feliz, a sombra dessas dinâmicas manipuladoras e dominadoras deixa suas consequências na vida adulta.
Crescer com um pai narcisista deixa consequências na vida adulta

Última atualização: 30 Setembro, 2021

Os efeitos de crescer com um pai narcisista na idade adulta são relevantes. Ninguém sai ileso desses anos vivendo com uma personalidade tão prejudicial em vários níveis. Manipulação, egocentrismo, obsessão pela obediência e perfeição, total desinteresse pelas necessidades dos filhos…

Alguns dizem que crescer com um pai ou mãe narcisista é como estar sujeito ao líder de uma seita. São figuras com grande poder de anular psicologicamente os outros. Eles são adeptos de drenar emocionalmente aqueles ao seu redor. Eles são especialistas em nos fazer acreditar que nossos sonhos, hobbies e objetivos são completamente inúteis.

O poeta TS Eliot costumava dizer que metade do dano causado neste mundo vem de pessoas que querem ser importantes. Quando sofremos essa dinâmica na infância e na adolescência por parte de nossos pais, é comum continuarmos sofrendo com o seu impacto na vida adulta.

Para sobreviver a um pai narcisista, a criança deve lutar constantemente para não se conformar às expectativas que o pai impõe a ela. No entanto, isso não é fácil em uma idade precoce.

Crescer com um pai narcisista

Estas são as consequências de crescer com um pai narcisista

Aos 8, 9 ou 10 anos, já começamos a imaginar uma vida de adultos. Além das próprias fantasias idealistas da época, é comum nos imaginarmos de uma forma específica: sendo felizes e nos dedicando ao que mais gostamos. No entanto, ao crescer com um pai narcisista, é muito difícil se tornar a pessoa que você quer ser.

Há um excesso de traumas emocionais não curados e áreas psicológicas negligenciadas. A submissão mental a que se está submetido torna-se um obstáculo intransponível para a construção dos alicerces da boa autoestima, pilar fundamental para a gestão emocional. Essas deficiências atuam como fardos para o correto desenvolvimento psicossocial e a autoconfiança, elementos básicos para alcançar sonhos e desejos.

Da mesma forma, de acordo com um estudo da Universidade de Bahauddin (Paquistão), é muito comum que o perfil narcisista apareça no pai. Isso cria núcleos familiares nos quais a mulher, junto com os filhos, ficam ancorados naquela figura dominadora que monopoliza toda a atenção e necessidade. Eles têm a responsabilidade exclusiva de satisfazer e cuidar desse pai narcisista.

Agora, que efeitos essas experiências podem ter na idade adulta?

Você vive dominado por emoções paralisantes

O que são as emoções paralisantes? São aquelas que não permitem que você seja você mesmo, que limitam sua capacidade de decisão, de autocuidado e que desligam suas potencialidades. Assim, um dos efeitos de crescer com um pai narcisista é viver em constante indecisão e insegurança. Você tem dificuldade para resolver problemas, decidir por si mesmo, atender às suas necessidades…

Ao mesmo tempo, um sentimento corrosivo de culpa persiste. Culpa por não ter reagido antes a tudo o que sofremos na infância e adolescência, culpa por não podermos ser como realmente queremos.

Não importa que não convivamos mais com a figura narcisista. Sua presença continua alojada em nossas mentes e ainda carregamos suas consequências: baixa autoestima, indecisão, visão negativa de nós mesmos…

Os efeitos do gaslighting 

Crescer com um pai narcisista significa sofrer o impacto do gaslighting quase todos os dias. Quer dizer, aquele pai conseguiu nos fazer acreditar que éramos falíveis em quase tudo. Ele nos convenceu de que tínhamos pouco a oferecer ao mundo e que cada um dos nossos sonhos e hobbies era pouco mais do que um disparate.

Ele criticou nossos amigos e subestimou todos os méritos alcançados. Cada golpe dado à autoestima ainda está presente e ainda continuamos a duvidar do nosso potencial. Isso pode fazer com que acabemos sofrendo o que é conhecido como síndrome do impostor.

Personalidade ecoísta, o que eu preciso não importa

A personalidade ecoísta prefere existir, mas sem ser muito perceptível. Ele sabe muito bem o que é conviver com alguém egoísta e, por isso, busca ser o contrário, a ponto de se tornar patológico. Ou seja, negligencia completamente suas necessidades, deixando de lado suas opiniões e desejos para se voltar exclusivamente para outras pessoas.

Um dos efeitos de crescer com um pai narcisista é se tornar um adulto que prefere viver na sombra dos outros. Eles não querem ser um fardo. Não querem incomodar ou preocupar ninguém… Na verdade, quando questionados sobre as suas preferências, gostos ou desejos, não conseguem responder.

Apego inseguro ambivalente

O apego inseguro ambivalente é permeado por medos e necessidades. A pessoa que cresceu com um pai narcisista quer ser amada, mas teme ser magoada novamente e, portanto, suspeita. Isso cria uma série de dinâmicas contraditórias em questões afetivas que levam ao fracasso nos relacionamentos.

Quando fomos criados por um narcisista, é muito difícil estabelecer relacionamentos emocionais seguros, felizes e estáveis. Temos dificuldade em confiar, mas ao mesmo tempo precisamos desesperadamente ser amados.

Homem sofrendo

A raiva somatizada, a dor que anseia por emergir

Outro fator recorrente entre aqueles que tiveram que crescer com um pai narcisista é a somatização. Todo o acúmulo de emoções de valência negativa sofridas no passado e não administradas ainda está lá, especialmente a raiva. Essa emoção experimentada em face de cada desprezo, manipulação, depreciação e abuso psicológico deixa uma marca. Algo assim geralmente se traduz em várias doenças físicas.

Para concluir, há muitas consequências que podem permanecer conosco como resultado dessas experiências. Agora, o mais importante é lidar com todas essas realidades. A terapia psicológica pode nos permitir superar essas feridas internas e moldar um presente e um futuro muito melhores.

Pode interessar a você...
Meu filho é narcisista: o que posso fazer?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Meu filho é narcisista: o que posso fazer?

Depois de muito analisar, você finalmente profere as palavras que não gostaria de dizer: "Meu filho é narcisista". O que fazer para lidar com a sit...



  • Dentale, Francesco & Verrastro, Valeria & Petruccelli, Irene & Diotaiuti, Pierluigi & Petruccelli, Filippo & Cappelli, Luigi & San Martini, Pietro. (2015). The relationship between parental narcissism and children’s mental vulnerability: the mediation role of the rearing style. International Journal of Psychology and Psychological Therapy. 15. 337-347.
  • Jabeen, F., Gerritsen, C. & Treur, J. Healing the next generation: an adaptive agent model for the effects of parental narcissism. Brain Inf. 8, 4 (2021). https://doi.org/10.1186/s40708-020-00115-z
  • van Schie, C. C., Jarman, H. L., Huxley, E., & Grenyer, B. (2020). Narcissistic traits in young people: understanding the role of parenting and maltreatment. Borderline personality disorder and emotion dysregulation7, 10. https://doi.org/10.1186/s40479-020-00125-7