O que é o crescimento pós-traumático?

21 Maio, 2020
Algumas pessoas, diante das adversidades, sentem-se devastadas e mortificadas. No entanto, outras iniciam um processo de transformação pessoal incomparável. O que motiva essas diferenças?
 

Ninguém quer enfrentar situações adversas em sua vida. No entanto, muitos de nós, mais cedo ou mais tarde, somos forçados a enfrentar experiências dolorosas. Algumas pessoas ficam arrasadas com a experiência, chegando a ter problemas de saúde. No entanto, para outras, esse evento implica um crescimento pós-traumático que muda positivamente o rumo de suas vidas.

É difícil imaginar como um trauma emocional pode nos trazer algo positivo. No entanto, muitas pessoas conseguiram transcender as adversidades, experimentando uma verdadeira transformação pessoal. Mas o que é exatamente o crescimento pós-traumático? Quais são os fatores que contribuem para que ele aconteça?

Crescimento pós traumático

Crescimento pós-traumático

O crescimento pós-traumático pode ser definido como a mudança positiva que uma pessoa experimenta como resultado de um processo de luta realizado a partir de um evento traumático.

Não se refere apenas ao fato de que o indivíduo pode superar a experiência adversa sem desenvolver nenhuma patologia, recuperando o seu estado inicial. O crescimento pós-traumático implica uma verdadeira transformação na maneira como você se percebe, percebe o mundo e a direção da sua vida.

 

Assim, após uma experiência negativa, ocorrem mudanças claras na perspectiva da pessoa:

  • A vida é reavaliada de alguma forma, o que também leva a uma mudança na escala de prioridades.
  • Os seus relacionamentos sociais se tornam mais íntimos e acolhedores. Os laços interpessoais são fortalecidos diante das adversidades; além disso, o sofrimento ajuda a desenvolver empatia e compaixão. Isso acontece, por exemplo, no caso de pais cujos filhos enfrentam problemas de saúde. Muitos deles relatam se sentir cada vez mais próximos depois de compartilharem essa experiência.
  • Maior senso de força pessoal. Como resultado do evento traumático, aumenta significativamente a confiança da pessoa em si mesma e em suas habilidades para enfrentar adversidades futuras.
  • Ela descobre e reconhece novas possibilidades e caminhos em sua vida. Geralmente acontece com indivíduos que viveram papéis muito estritos e opressivos e, após a experiência negativa, encontram oportunidades para redirecionar suas vidas.
  • Ocorre um desenvolvimento espiritual. A moralidade e a espiritualidade são transformadas. Ocorre uma reconsideração da própria escala de valores e se desenvolve uma visão mais transcendente da vida.

Um processo de transformação

Isso não acontece de um momento para outro, por azar ou sorte dessa pessoa específica. O crescimento pós-traumático é o resultado de uma profunda reestruturação individual. À luz da experiência traumática, os paradigmas e esquemas cognitivos mais profundamente enraizados são desestabilizados. A sua maneira de entender o mundo vacila, o seu conjunto de significados é desafiado.

 

Assim, diante da nova e dolorosa realidade, é iniciado um processo de desconstrução e reconstrução das perspectivas e crenças da pessoa, dando lugar a conceitos mais positivos e funcionais. Ninguém experimenta o crescimento pós-traumático sendo a mesma pessoa, pois é uma jornada de profunda transformação.

No entanto, este não é um caminho livre de dor. O estresse e as emoções negativas aparecem e estão presentes durante o processo. Além disso, são elementos essenciais para que o crescimento ocorra. Então, o que faz com que algumas pessoas saiam fortalecidas e transformadas da adversidade, enquanto outras caem em um poço escuro que traz sérias consequências?

Crescimento pós-traumático

Um estilo de enfrentamento adequado

Grande parte da diferença é marcada pela personalidade e temperamento de cada um. Nem todos têm o mesmo grau de otimismo, positividade e resiliência. A nossa genética e o ambiente que nos acompanha desde o nascimento moldaram as nossas características e habilidades.

Assim, algumas pessoas são mais propensas do que outras a usar estilos de enfrentamento mais úteis e funcionais. Foi demonstrado que aqueles que usam estilos reflexivos e de expressão emocional experimentam um crescimento pós-traumático em maior grau.

 

Portanto, se atualmente as nossas estratégias de enfrentamento nos levam a experimentar um grande sofrimento diante das adversidades, se nos sentimos impotentes e derrotados, precisamos considerar modificar o nosso estilo. Todos nós podemos desenvolver habilidades de enfrentamento que nos levem a aumentar a nossa confiança e otimismo. Não podemos evitar que eventos negativos ou dolorosos aconteçam conosco, mas podemos crescer e aprender com cada um deles.

  • Bustos Caro, A. C. (2011). Cuando se acaba el amor: Estrategias de afrontamiento, duelo por pérdidas amorosas y crecimiento postraumático en estudiantes universitarios (Bachelor’s thesis, Quito: USFQ, 2011).
  • Acero, P. (2012). Crecimiento postraumático y construcción de sentido en la adversidad. Cuadernos de crisis y emergencias2(11), 7-12.