Fui demitido logo após começar a trabalhar, e agora?

04 Setembro, 2020
Muitos são demitidos poucas semanas após o início de um novo emprego. A incompreensão, a surpresa, o desamparo e, acima de tudo, ter que iniciar a busca por uma nova vaga costumam ter um grande impacto psicológico.
 

“Fui demitido logo após começar a trabalhar. Não fazia quinze dias que estava no emprego quando, de repente e sem entender o motivo, fui notificado da demissão“. Essa situação ocorre com mais frequência do que pensamos. No entanto, além dos aspectos legais da rescisão do contrato, há algo que muitas vezes passa despercebido: o custo psicológico.

Sabemos que nosso ciclo de vida gira em torno de princípios e fins. Assim, de alguma forma, esses pontos-chave no curso da vida são marcados pelo mundo do trabalho e pelas experiências que nos condicionam para melhor ou pior. Dedicamos grande parte do nosso tempo a essa esfera, e é isso que contribui para o nosso avanço e desenvolvimento, ou pelo contrário, nos causa estagnação e até um retrocesso em todos os níveis.

 

Ser demitido é mais do que apenas um choque emocional e pessoal. Muitas vezes, o dano vai além do aspecto econômico; há também um risco à autoestima, um golpe ao autoconceito e até ao senso de competitividade. Esses sentimentos são, às vezes, mais intensos e desconcertantes quando a demissão ocorre durante o período de experiência ou logo após o início do trabalho.

Após esse corte inesperado, pode haver muitas realidades que a pessoa deve entender e assumir. Às vezes, o desempenho não corresponde às demandas dessa posição. Em outros casos, pode haver realidades mais complexas, como desacordos entre colegas ou até um repentino desinteresse por parte da própria gerência em manter a vaga. Qualquer que seja a causa, é um golpe duro que o trabalhador deve enfrentar.

 
Grupo de trabalho

Demitido no período de experiência… a culpa foi minha?

Se você foi demitido de um emprego, o natural e esperado é recolher a frustração, o desânimo e o orgulho, se recompor e começar a enviar currículos no dia seguinte, sem perder um segundo. Porque o melhor, como costumam nos dizer as vozes bem-intencionadas, é virar a página e se concentrar em encontrar outra oportunidade melhor.

 

O roteiro parece simples, mas não é nada fácil. Porque ninguém se recupera tão rápido. Além disso, nessas circunstâncias, é quase impossível encontrar incentivo suficiente para começar de novo. A realidade se torna ainda mais complexa quando essa demissão ocorre durante o período de experiência. Vamos nos aprofundar no assunto.

Em busca de um “porquê”

Em média, todo novo trabalhador começa seu trabalho com grande entusiasmo. A economia, o próprio mercado de trabalho e as macroestruturas que nos cercam tornam difícil encontrar um emprego. Quando alguém consegue um emprego, é comum que esteja procurando, em média, há três a seis meses.

Portanto, no início dessa nova etapa se misturam emoções, ansiedades e o firme desejo de que esse contrato ofereça estabilidade. Agora, o fato de ser demitido durante o período de teste gera, em primeiro lugar, surpresa, constrangimento e incompreensão. A pessoa precisa saber o porquê, e os motivos para que isso aconteça costumam ser os seguintes:

 
  • Seu desempenho e eficiência não correspondem às características do posto.
  • O funcionário não é considerado suficientemente competente.
  • Um fato comum é não receber o treinamento prévio adequado para o cargo. Ninguém se preocupa em treinar o novato, esclarecer o que é esperado dele e mostrar como determinadas tarefas são realizadas. Tudo isso leva a falhas durante o período de experiência.
  • Desacordos com colegas e a dificuldade de se ajustar a um ambiente de trabalho complexo e adverso são outros fatores.
  • Por outro lado, há outra realidade muito comum. A empresa pode decidir que não é mais necessário preencher o cargo que a pessoa acabou de ocupar. Se você foi demitido logo após iniciar o trabalho, uma causa pode ser a má administração e a péssima organização do RH. O contrato pode ser anulado dentro de alguns dias, até mesmo antes que a demissão ocorra.
 
Demitido logo após começar a trabalhar, e agora?

O que posso fazer se fui demitido logo após começar a trabalhar?

Perder um emprego não é fácil. A situação é ainda mais difícil quando a demissão ocorre poucos dias após o início do trabalho. A pessoa vê seus projetos e expectativas desmoronarem. Novamente, é preciso enfrentar a falta de renda e a ideia de ter que procurar emprego novamente. Uma procura que, além disso, pode durar vários meses até ser bem-sucedida.

 

Nessas situações, o melhor é seguir algumas orientações básicas.

Dicas para enfrentar uma demissão inesperada logo após assinar um contrato

Se você foi demitido logo após começar em uma nova vaga, o primeiro passo é entender o motivo. Saber se a responsabilidade foi sua e entender onde você falhou é um bom passo. Agora, se ocorreu devido a fatores externos, é melhor aceitar o que aconteceu. Nessas situações, o sofrimento irá se estender com o tempo se você não parar de pensar no assunto, se se posicionar como vítima e permitir que isso afete seu autoconceito e imagem pessoal.

  • Tire uma semana de folga. Levará alguns dias para elaborar um pequeno luto, um tempo para liberar emoções como raiva e tristeza. Descansar o corpo e a mente vai ajudar muito.
 
  • É recomendável conversar com amigos e familiares sobre o assunto. Sentir-se apoiado, confortado e compreendido gera alívio.
  • Recuperar e fortalecer a autoestima. Devemos lembrar as conquistas alcançadas no passado, os fatos que nos dignificam e pelos quais nos orgulhamos. Uma demissão é algo pontual e, lembre-se, somos muito mais do que essa experiência ruim.
  • Mantenha uma atitude proativa. Se você foi demitido, a última coisa que deve fazer é ficar parado, se arrepender, ficar obcecado com isso. O ideal é iniciar novos comportamentos nessa busca de emprego, fazer algo diferente, como pesquisar na sua rede de conhecidos, talvez focar em outros mercados, se reinventar de alguma forma…
 
Mulher meditando no horário de almoço

Para concluir, uma demissão durante o período de experiência causa muito constrangimento e incompreensão. No entanto, ocorre com mais frequência do que pensamos.

Isso, muitas vezes, destaca a importância de aspectos como o treinamento prévio do trabalhador por parte da empresa e a necessidade de fazer melhores processos de seleção, para que as habilidades estejam em harmonia com as reais necessidades do cargo.

 

São situações pelas quais sofremos e com as quais também aprendemos, não há dúvidas.