Eduardo Punset: biografia de um carismático divulgador científico

· abril 9, 2019
Eduardo Punset soube traduzir os conceitos científicos mais complexos para a linguagem comum para torná-los acessíveis a uma grande parte da população. Trata-se de um mérito que poucos podem levar consigo.

Controverso, carismático e inovador. A figura de Eduardo Punset foi, para muitos, a primeira aproximação à ciência.

Jurista, escritor, economista, político e divulgador científico. Foi através de seu programa Redes, no ar por quase duas décadas, que milhões de espanhóis se aproximaram pela primeira vez dos confusos balcões da ciência. Assim, Punset foi muitas coisas, mas não há dúvidas de que, principalmente, foi e continua sendo um grande divulgador.

De alguma forma, contribuiu para que a ciência chegasse aos lares da Espanha. Este estranho objeto de estudo incompreensível e entediante se tornou, se certa forma, algo divertido e ameno.

Punset brinca com a curiosidade do seu público, simplificando o que parecia difícil e tornando atrativo. Algo que, ao mesmo tempo, rendeu a ele muitas críticas. Além disso, o público começou a confundir a figura de Punset com a de um cientista, quando na verdade essa não é a sua especialidade.

Sua vida sempre esteve afastada dos clichês mais típicos de sua época e seu trabalho não podia ser diferente. Um personagem com fortes convicções políticas e com muita vontade de proporcionar ao mundo as visões mais novas e radicais.

Eduardo Punset sempre apostou nas novas tecnologias e nas teorias científicas mais provocadoras. Naturalmente, sempre apostou em fazer isso chegar ao mundo todo. Nisso, foi um grande mestre.

Eduardo Punset

Sua vida

Eduardo Punset nasceu em Barcelona em 1936, filho de um médico rural em Tarragona. Desde muito jovem, demonstrou grande interesse pelo mundo do saber, por estudar, por conhecer. Sempre demonstrou uma grande inquietude pelo mundo em geral, e queria descobri-lo.

Eduardo Punset viajou para Los Angeles na década de 60 para estudar na North Hollywood School, onde aprendeu inglês. De volta à Espanha, se formou em Direito na Universidade Complutense de Madri e se envolveu com o Partido Comunista, ainda sob o regime ditatorial.

Naquela época, conheceu Jorge Semprún. Como consequência dos problemas desencadeados pela ditadura, Punset decidiu se exilar e continuar seus estudos no exterior. Por falar inglês, pôde viajar para Londres e continuar seus estudos de pós-graduação em Ciências Econômicas. Também viajou à França, onde se formou na École Pratique des hautes Études de Paris.

Eduardo Punset e a política

Pouco depois de terminar seus estudos, Eduardo Punset trabalhou como redator econômico para a BBC. Foi diretor econômico da edição semanal da The Economist para a América Latina. Desenvolveu também, durante algum tempo, seu trabalho como economista do Fundo Monetário Internacional nos Estados Unidos e no Haiti. Com a morte de Franco, Eduardo Punset retornou à Espanha e apostou na política.

Foi eleito conselheiro de Economia e Finanças da Catalunha pelos Centristes de Catalunha-UCD. Desenvolveu um importantíssimo trabalho na abertura da Espanha ao exterior enquanto exerceu o cargo de Ministro de Relações para as Comunidades Europeias nos anos 50. Participou por um tempo do partido Convergência e União, mas abandonou o cargo em poucos meses.

Mais à frente, foi eleito como eurodeputado pelo UCD, e depois como independente. Durante o tempo em que permaneceu no Parlamento Europeu, tutelou parte do processo de transformação econômica dos países do Leste Europeu após a queda do muro de Berlim. Após várias outras tentativas na política, finalmente decidiu abandoná-la em 1995.

Seu trabalho como divulgador

Durante a segunda etapa de sua vida, Punset dedicou inúmeros esforços como especialista em assuntos de impacto e novas tecnologias. Foi professor conselheiro de marketing internacional na ESADE. Presidente do Instituto Tecnológico Bull e professor de Ciência, Tecnologia e Sociedade na Faculdade de Economia do Instituto Químico de Sarriá na Universidade Ramón Llull.

Além disso, Punset desenvolveu um trabalho de assessoria em importantes setores e empresas, e escreveu vários livros sobre análises econômicas e sociais.

Cérebro iluminado por luz azul

Em 1996 nasceu o Redes, um programa de divulgação científica que faria história em sua brilhante carreira profissional. Durante os seus 18 anos de duração, Punset entrevistou grandes personalidades do mundo da ciência e da tecnologia ao longo dos 600 episódios que foram ao ar.

O programa tratou de inúmeros temas, e o fez de tal forma que o mundo da ciência foi, pela primeira vez, acessível ao cidadão não especializado. Dessa série de programas saíram capítulos que podem ser considerados obras incríveis na divulgação da neurociência, da psicologia positiva, das novas tecnologias em educação, da psicologia das emoções e muitos outros assuntos fascinantes. Dessa etapa saíram também muitos dos livros escritos por ele.

Trata-se de uma das vozes mais respeitadas, e também criticadas, da Espanha. Mas não existem dúvidas de que durante sua trajetória na televisão, despertou a curiosidade e a vocação científica de muitas pessoas.

Um homem corajoso que apostou na inovação, tanto em tecnologia quanto em suas ideias. Uma pessoa que soube traduzir os conceitos científicos mais complexos para a linguagem comum para torná-los acessíveis a uma grande parte da população, um mérito que poucos podem levar consigo.