O que é um estudo transversal?

O estudo transversal é um tipo de desenho observacional que nos permite coletar e analisar variáveis específicas na investigação de um problema. Neste artigo iremos explorar o que são, quais são as suas características e quais as vantagens e desvantagens que apresenta.
O que é um estudo transversal?

Última atualização: 05 Novembro, 2021

Qualquer estudo, independentemente de ser ou não transversal, requer um plano de ação que permita obter as informações necessárias para responder ao enunciado do problema. Este plano é conhecido como desenho de pesquisa, e entre eles se destacam os desenhos experimentais e os não experimentais ou observacionais.

Entre os experimentais encontramos o estudo pré-experimental, o quase-experimental e os experimental puro. Por outro lado, em desenhos observacionais podemos encontrar o estudo transversal e o estudo longitudinal ou evolutivo.

Os estudos transversais pertencem a uma categoria muito mais ampla de desenhos de pesquisa, em que o pesquisador deve visualizar, de uma forma muito prática e concreta, como responderá às questões da sua pesquisa e como abordará o cumprimento dos objetivos do seu trabalho.

O que é um estudo transversal?

O estudo transversal é uma espécie de delineamento de pesquisa não experimental em que a coleta de dados é realizada em um único período de tempo. Nesse tipo de estudo, assim como em todos os desenhos observacionais, não há intervenção sobre as variáveis; elas não são influenciadas, apenas observadas.

Podemos afirmar que o objetivo do delineamento transversal é descrever variáveis e analisar sua incidência e inter-relação em um dado momento (Hernández-Sampieri, 2014). Por exemplo:

  • Medir a atitude dos alunos da quarta série que faltaram aos exames de avaliação no último mês do calendário acadêmico.
  • Medir o nível de satisfação no trabalho dos funcionários de uma empresa automotiva.
  • Entender a relação entre atração e confiança durante o namoro em casais jovens.
  • Analisar qual população (homens ou mulheres) compra mais roupas esportivas em uma loja online durante uma semana.

Os estudos transversais podem abranger vários grupos de pessoas, objetos, fenômenos, eventos e situações. No entanto, a coleta de dados sempre é feita em um único momento. O sentido transversal de todas as pesquisas corresponde a uma única medida em um período de tempo, no qual se planeja analisar as variáveis ou a relação de associação entre elas (Cvetkovic-Vega et al., 2021).

Mulheres falando sobre resultados estatísticos

Características

Uma das principais características dos estudos transversais é que eles são realizados em um único momento. São o oposto dos estudos longitudinais, em que os dados são coletados em momentos distintos e a evolução das variáveis é analisada ao longo desse período. Nos estudos transversais, a evolução não é analisada.

Outra característica desses desenhos é que eles não manipulam as variáveis. Por se tratar de uma variedade do desenho observacional, busca-se apenas descrever, correlacionar ou explorar uma ou mais variáveis. As variáveis nunca são manipuladas como nos projetos de pesquisa experimental.

Os estudos transversais permitem ao pesquisador observar inúmeras características ao mesmo tempo, mas sempre em um determinado período de tempo. Isso também permite que o estudo forneça informações sobre o que está acontecendo hoje.

Tipos de estudos transversais

Existem diferentes tipos de estudos transversais. São os seguintes:

Estudos transversais exploratórios

Seu objetivo é conhecer uma variável, ou um conjunto delas, uma comunidade, um contexto, um acontecimento, uma situação pouco conhecida. Essa exploração inicial ocorre em um momento específico. Geralmente são aplicados a novos problemas de pesquisa (Hernández-Sampieri, 2014).

Estudos transversais descritivos

Seu objetivo é saber mais sobre a incidência das modalidades de uma ou mais variáveis em uma população e fornecer uma descrição. São, portanto, estudos puramente descritivos, e quando formulam suas respectivas hipóteses, também são descritivos.

Estudos correlacionais transversais

Este tipo de desenho descreve a associação entre duas ou mais categorias, conceitos ou variáveis em um determinado momento. Este estudo se limita a estabelecer relações, não a falar de causas e efeitos.

Como iniciar um estudo transversal

Para iniciar um estudo transversal, podem ser aplicadas as seguintes quatro etapas, de acordo com Álvarez-Hernández e Delgado-De la Mora (2015):

  • Fazer uma pergunta de pesquisa e delimitar a população do estudo, escolhendo criteriosamente a amostra do estudo por meio de uma amostragem rigorosa.
  • Decidir quais variáveis são relevantes para a questão de pesquisa, com base nas evidências científicas publicadas.
  • Escolher o método de medição das variáveis, os procedimentos de coleta de dados e os tipos de fontes que serão consultadas.
  • Selecionar o plano de análise para os dados obtidos, estabelecendo claramente os procedimentos estatísticos.

Vantagens e desvantagens do estudo transversal

Entre as vantagens dos estudos transversais, podemos encontrar o seguinte (Levin, 2006):

  • Eles são relativamente baratos e levam pouco tempo para ser concluídos.
  • Eles permitem estimar a prevalência do desfecho de interesse, uma vez que a amostra geralmente é retirada de toda a população.
  • Vários resultados e fatores de risco podem ser avaliados.
  • Eles são muito úteis para o planejamento de saúde pública, no entendimento da etiologia das doenças e na geração de hipóteses.
  • Não há perdas de acompanhamento, pois apenas uma medição é realizada.
Homem fazendo análise de um estudo transversal

Como desvantagens desses tipos de projetos, podemos encontrar (Levin, 2006) o seguinte:

  • É impossível fazer inferências causais e estabelecer a direcionalidade das associações.
  • Como apenas uma única medição é realizada em um momento específico, a situação pode dar resultados diferentes se outro período de tempo tiver sido escolhido.
  • Viés de prevalência-incidência (também chamado de viés de Neyman). Principalmente no caso de doenças de maior duração, qualquer fator de risco que cause a morte estará sub-representado entre aqueles que sofrem da doença.
  • Não se pode medir o risco objetivamente ou fazer previsões confiáveis.

Neste artigo, descrevemos um tipo de estudo amplamente utilizado em pesquisas pelo seu poder descritivo e pelo seu baixo corte em comparação com, por exemplo, um estudo longitudinal. Em muitos casos, eles também são usados para fazer uma análise preliminar, com o objetivo de avaliar se vale a pena fazer um estudo experimental.

Pode interessar a você...
A estatística inferencial na psicologia
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A estatística inferencial na psicologia

A estatística inferencial analisa dados de uma amostra da população para determinar seu hábitos e comportamentos e aplicá-los na psicologia.



  • Álvarez-Hernández, G., & Delgado-De la Mora, J. (2015). Diseño de estudios epidemiológicos. I. El estudio transversal: Tomando una fotografía de la salud y la enfermedad. Boletín Clínico Hospital Infantil del Estado de Sonora32(1), 26-34.
  • Cvetkovic-Vega, A., Maguiña, J. L., Soto, A., Lama-Valdivia, J., & López, L. E. C. (2021). Estudios transversales. Revista de la Facultad de Medicina Humana21(1), 179-185.
  • Hernández-Sampieri, R., Fernandez, C. y Baptista, M. (2014). Metodología de la investigación(6ª Ed.). McGraw-Hill Interamericana.
  • Levin, K. A. (2006). Study design III: Cross-sectional studies. Evidence-based dentistry7(1), 24-25. https://www.nature.com/articles/6400375