7 frases de Erich Fromm sobre o amor - A Mente é Maravilhosa

7 frases de Erich Fromm sobre o amor

dezembro 26, 2017 em Emoções 662 Compartilhados
frases de Erich Fromm

O legado contido nas frases de Erich Fromm sobre o amor continua nos inspirando ainda hoje. Porque se tem uma coisa que precisamos admitir é que amar nem sempre é fácil. Requer coragem, ação, compromisso e também um forte senso de humildade e responsabilidade. Pouco autores nos ensinaram tanto sobre o amor quanto Fromm.

Thich Nhat Hahn, professor, poeta e ativista pela paz, disse uma vez que amar sem saber amar fere a pessoa que amamos. O mais complicado de tudo isso é que frequentemente vemos esse processo como algo passivo. A paixão representa para muitas pessoas o efeito secundário da atração que nos deixa rendidos, quase paralisados. Um momento em que não resta outra opção senão nos deixarmos levar, esperar ser correspondidos pelo ser amado, em um ato carente de energia, criatividade e reciprocidade.

Amar com inteligência e de forma plena é o resultado de um ato deliberado. Um propósito que exige e, ao mesmo tempo, reivindica a busca pela excelência. Se nos limitamos a nos deixar levar, a agir de forma passiva, esperando que o outro diga, que o outro faça, que o outro adivinhe e corresponda, vamos acabar na frustração absoluta. É exatamente isso que nos ensinou este psicólogo social, psicanalista e filósofo alemão em seu livro “A arte de amar”. A seguir, vamos conhecer uma série de frases de Erich Fromm que resumem essa obra inesquecível para a qual sempre vale a pena voltar…

“Paradoxalmente, ser capaz de estar sozinho é a condição para ser capaz de amar.”
-Erich Fromm-

Frases de Erich Fromm

Frases de Erich Fromm sobre o amor

“A arte de amar” não é uma obra separada dentro do vasto e interessante legado intelectual que Erich Fromm deixou. Na verdade, é uma continuação de outro livro, “O medo à liberdade”. Nesse último livro, Fromm já havia abordado vários aspectos da natureza humana e, portanto, sentia a necessidade de se aprofundar nessa dimensão tão básica e essencial para as pessoas que é o amor.

Assim, se tem uma coisa que ele buscava acima de tudo era nos ensinar que o amor é uma arte e que, como tal, exige um domínio requintado tanto da teoria quanto da prática porque – e isso é importante lembrar – o amor é a única resposta para a nossa existência, é o sentimento que nos confere sentido, que confere significado também para a nossa sociedade.

Vamos ver a seguir quais são as frases de Erich Fromm que melhor resumem essas ideias.

1. O amor é a preocupação ativa com a vida e o crescimento de quem amamos

O aspecto mais interessante do livro “A arte de amar” é a tese de que a maioria de nós não sabe amar. Pode ser uma ideia um pouco desoladora, mas também precisamos nos lembrar do contexto social no qual Fromm viveu. Após o final da Segunda Guerra Mundial existia um grande vazio de valores, uma crise existencial que obrigou grande parte dos pensadores, filósofos e psicólogos a reformular muitas ideias.

O amor era e é, portanto, esse motor que nos leva a sermos melhores. Para isso, somos obrigados a trabalhar de forma ativa na nossa personalidade e no nosso crescimento pessoal de maneira a satisfazer primeiro o amor próprio, para depois amar o outro com plenitude. Uma coisa dessas requer verdadeira humildade, coragem, fé e disciplina.

2. O amor é uma atividade, não um efeito passivo; É um estar contínuo, não um arranque súbito

Já afirmamos no início. Estar apaixonado não deve ser um ato passivo, como quem se limita a se deixar levar, sem fazer mais nada. Pelo contrário, é um ato que envolve uma grande quantidade de movimento, vontade e troca para o prazer.

Essa é uma das frases mais representativas de Erich Fromm, que nos convida a deixar de lado essa nuvem na qual estamos instalados para consolidar essa relação, para investir esforços, caminhar ir juntos de mãos dadas trabalhando no mesmo projeto e sendo criadores cotidianos da nossa própria relação.

Casal se olhando nos olhos

3. O amor infantil segue o princípio: “Amo porque me amam”. O amor maduro…

“O amor infantil segue o princípio: “Amo porque me amam”. O amor maduro obedece o princípio: “Me amam porque amo”. O amor imaturo diz: “Te amo porque preciso de você.” O amor maduro diz: “Preciso de você porque te amo”.
-Erich Fromm-

Essa é uma das frases de Erich Fromm que não se limita exclusivamente ao âmbito das relações afetivas. Na verdade tem muito a ver com o modo como as pessoas se relacionam com a própria sociedade: elas o fazem mais por necessidade ou sentimento de carência do que por altruísmo, do que por um amor autêntico pelos seus semelhantes.

Essa forma de amar, que se baseia na necessidade, é patológica para Fromm. Significa não cuidar de si mesmo nem se entender, significa esperar que os outros se responsabilizem pelo que nós não somos capazes de procurar e que, na verdade, se insere na nossa parcela de responsabilidade.

“O primeiro passo é tomar consciência de que o amor é uma arte, assim como a vida é uma arte. Se queremos aprender a amar, devemos proceder da mesma maneira que devemos proceder quando queremos aprender qualquer outro tipo de arte, como a música, a pintura, a carpintaria ou a arte da medicina ou da engenharia”.
-Erich Fromm-

4. Se duas pessoas estranhas…

“Se duas pessoas de repente deixarem a parede que há entre elas se quebrar para se sentirem e se descobrirem, essa será uma das experiências mais emocionantes da vida.”
-Erich Fromm-

Essa é uma das frases mais bonitas de Erich Fromm. Ele nos fala da intimidade, esse milagre que costuma se iniciar com a atração e que se consome com um encontro mais profundo que transcende a pele e a própria sexualidade. Falamos da conexão emocional, do descobrimento do outro como pessoa em todos os seus aspectos, com suas virtudes, seus defeitos, suas essências…

Falamos da intimidade na qual deslizam as liberdades, o tato que arrepia os pelos da pele ou uma conversa tranquila e nostálgica que nos leva às estrelas.

5. O amor não é essencialmente uma relação com uma pessoa específica

“O amor não é essencialmente uma relação com uma pessoa específica; é uma atitude, uma orientação do caráter que determina o tipo de relação de uma pessoa com o mundo como totalidade, não como um objeto amoroso”.
-Erich Fromm-

Uma coisa que Fromm quer nos fazer entender na sua obra é que as pessoas veem o amor como um objeto, e não como uma faculdade. Amar não é uma dinâmica que se limita a essa relação que estabelecemos com nossos pares, nossos pais ou nossos filhos.

“Amar” é enriquecer a nossa existência, é uma atitude capaz de conferir sentido a esse mundo, um propósito capaz de transformar a sociedade. No entanto, assim como Fromm nos explica, nessa cultura moderna, mercantilizamos tudo no nosso desejo de satisfazer as próprias necessidades, inclusive o amor.

6. É paradoxal que dois seres se tornem um e, ao mesmo tempo, continuem sendo dois

Essa é uma das frases mais conhecidas de Erich Fromm e também uma das que mais nos convida à reflexão. Como já sabemos, uma tentação na qual costumamos cair frequentemente é nos diluirmos no ser amado, especialmente no começo do relacionamento. É um processo entrópico que acaba com a própria identidade, que consome essências, liberdades e dignidades.

Não podemos nos esquecer de que a verdadeira arte de amar consiste em continuar sendo nós mesmos, mas envolvidos no mesmo projeto. Ser dois em um mesmo compromisso, ser dois orientados à responsabilidade de favorecer o próprio crescimento e o crescimento do seu par…

Casal em aquarela

7. Existe uma grande diferença entre se apaixonar e continuar apaixonado

Para Fromm, existe uma grande diferença entre se apaixonar e continuar apaixonado. Na opinião dele, se o relacionamento começa com a atração sexual e o ato se consuma, de alguma maneira o vínculo é colocado em risco.

Fromm nos explica em “A arte de amar” que para desenvolver uma amor maduro, sábio e responsável, precisamos trabalhar em quatro dimensões essenciais: o cuidado, a responsabilidade, o respeito e o conhecimento. No entanto, em muitas situações, estamos envolvidos em um amor sem intimidade baseado apenas na mera necessidade, essa que se consuma com o ato sexual.

Esse é um amor de consumo, de usar e jogar fora. No qual pode aparecer a paixão, mas que também pode facilmente ficar confuso pela desconfiança e pelo desconhecimento do outro. Um amor que nunca chega a assumir uma forma, antes de se reciclar de novo.

Por sua vez, quem sabe (e quer) ir mais além da atração e da excitação sexual inicial, vai tentar criar uma verdadeira intimidade, vai tentar ser um artesão para fazer da paixão um amor real, um amor maduro e corajoso.

Para concluir, com essas frases de Erich Fromm, aprendemos que o amor não é apenas um ato de maestria, no qual dominar a prática e a teoria basta. A arte de amar se formula também como uma atitude ativa e responsável com a vida e com a sociedade. É uma força transformadora que requer consciência, e não conformismo, que pede criatividade, e não passividade.

Mulher com pluma na mão

Recomendados para você