Fui demitido do trabalho, e agora?

· maio 2, 2019
Um demissão é uma situação difícil que pode nos fazer sentir que estamos perdidos. No entanto, esta dificuldade pode se tornar uma oportunidade para se reinventar.

Imagine esta situação. Você chega ao trabalho e seu chefe diz que quer falar com você a sós. Você percebe algo desconfortável e acaba entendendo o que acontece. Ele lhe dá um papel para assinar a sua demissão e você vai para casa. Você foi demitido do trabalho, ainda está em estado de choque. O que vai fazer agora?

Ser demitido do trabalho é, muitas vezes, uma situação desagradável e difícil. Talvez a empresa tenha tido a necessidade de reduzir o pessoal, talvez seu desempenho não seja o mais adequado ou, por algum problema, como um conflito entre colegas ou diferenças com o chefe, esse resultado infeliz tenha ocorrido.

Diante dessa situação, é natural sentir tristeza, desconforto e até uma sensação de estar perdido. Por essa razão, a seguir nos aprofundaremos em algumas diretrizes que podem ser de grande ajuda neste tipo de situação.

Superar o luto profissional

Esta é a fase mais importante na qual devemos nos concentrar após uma demissão. Diante de qualquer perda, seja em um âmbito familiar ou de relacionamento, devemos passar por um luto. No âmbito do trabalho não é diferente.

Nós nos acostumamos a estar nesse trabalho, tínhamos uma rotina, e ver como tudo de repente desaparece da nossa vida é como se o mundo estivesse desmoronando, como se não pudéssemos encontrar uma saída. De fato, é possível que acreditemos que não encontraremos outro emprego ou que não servimos para nada, mas o problema é que esses tipos de pensamentos só alimentam nossas preocupações e geram ansiedade.

Portanto, teremos que lidar com a negação, a raiva, o sentimento de culpa, a tristeza, e superar cada estágio do luto com sucesso até chegarmos à aceitação. Só então poderemos começar uma nova etapa de trabalho, seja procurando outro emprego (igual ou diferente) ou empreendendo.

Tristeza por ser demitido do trabalho

Tomar decisões

Quando descobrimos que fomos demitidos do trabalho, é importante tomar certas decisões. A seguir, vamos expor algumas das que consideramos mais importantes, que também nos ajudarão a passar pelo processo de luto:

  • Fazer uso dos nossos direitos: se a demissão for improcedente, devemos denunciar; se tivermos direito ao desemprego, devemos cobrá-lo; se vão nos indenizar, devemos garantir que vamos receber o dinheiro. O importante é que as questões legais sejam resolvidas o mais rápido possível, para que possamos esquecê-las.
  • Decidir sobre o presente: é hora de tomar uma decisão sobre o presente, por exemplo, começar a procurar outro emprego, fazer algum curso, aproveitar o dinheiro do seguro-desemprego ou da indenização para uma viagem. Não importa o que seja, mas devemos tomar uma decisão proativa que nos ajude a nos sentir melhor.

“Nada acontece até que algo se mova”.
-Albert Einstein-

Aproveitar a mudança

Apesar de toda a tristeza que podemos sentir por termos sido demitidos do trabalho, esta pode ser uma ótima oportunidade para mudar, se reinventar e continuar crescendo. Talvez o trabalho que fazíamos fosse muito chato e agora temos a chance de encontrar outro que nos motive.

Por outro lado, a demissão pode ser uma excelente oportunidade para empreender, abrir nossa própria loja ou trabalhar em casa, por exemplo. Assim, se tivermos uma ideia e for viável realizá-la, ser demitido do trabalho pode ser bastante favorável.

Além disso, a demissão pode nos oferecer a oportunidade de investir em nossa formação para optar por um trabalho diferente ou começar a nos sentir mais confiantes sobre o que estamos fazendo. É claro que, para seguir este caminho, devemos contar com os meios necessários e não tomar decisões precipitadamente.

Mulher chateada por desemprego

Embora seja natural que nos sintamos desorientados, podemos tirar dois dias para desabafar e expressar como nos sentimos. No entanto, após este período de descanso, devemos agir, porque apesar de não vermos nenhuma saída, na realidade existem várias opções ao nosso redor.

O luto profissional nos permitirá passar do estado em que predomina um pensamento irracional por não encontrar um trabalho para outro a partir do qual tomar as rédeas e entrar em ação. O importante é não ficar preso ao desânimo, aproveitar todas as oportunidades que surgirem e criar as outras que tanto desejamos.

  • de Empleo Estatal, S. P. (2015). SEPE. 2016a). Informe del Mercado de Trabajo de las Personas con Discapacidad Estatal. Datos.
  • Salazar Alvarado, Luis Fernando. (1997). La nulidad como consecuencia del ilegítimo despido de la trabajadora embarazada. Medicina Legal de Costa Rica13-14(2-1-2), 207-220. Retrieved January 21, 2019, from http://www.scielo.sa.cr/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S1409-00151997000200019&lng=en&tlng=es.
  • Vicente Pardo, José Manuel. (2017). No apto pero no incapacitado. La controversia del ser o no ser. Medicina y Seguridad del Trabajo63(247), 131-158. Recuperado en 21 de enero de 2019, de http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S0465-546X2017000200131&lng=es&tlng=es.