Ir para a cama irritado ou preocupado é um péssimo hábito

13 Fevereiro, 2020
Ir para a cama irritado ou com um oceano de preocupações na mente não nos leva apenas a um sono de má qualidade. Frequentemente, o peso contínuo dessas emoções negativas também causa um estrago no cérebro, fazendo-nos pensar com menos clareza.

Ir para a cama irritado ou preocupado é um mau hábito que praticamos com frequência. Agimos assim quase sem perceber, porque quando as emoções assumem o controle, geralmente deixamos a cabeça cair no travesseiro pensando que talvez, no dia seguinte, toda a névoa terá se dissipado. No entanto, o amanhecer raramente resolve algo por si mesmo. No final, os problemas continuam presentes.

Isso já aconteceu com muitos de nós. Discutimos com os nossos parceiros e, longe de resolver as desavenças, recorremos à reprovação, à palavra infeliz e ao silêncio que nos leva para debaixo das cobertas, dormindo de costas para o outro, envoltos em um orgulho infantil. Assim, a inquietação e a dificuldade de descansar muitas vezes trazem uma longa noite de insônia.

Dormir mal quase sempre nos leva a uma manhã ruim, a um corpo exausto e uma mente que não consegue pensar com clareza. Nesse estado, é muito difícil encontrar coragem e disposição para resolver essa diferença com o parceiro. Ir para a cama irritado, como diz o velho ditado, não é a melhor coisa.

Além disso, estudos recentes indicam que, mesmo conseguindo descansar por algumas horas, dormir com o peso das emoções negativas afeta o nosso cérebro. Este é um fato curioso. Abaixo, daremos mais algumas informações sobre o assunto.

“Quem não consegue dormir acredita que deve vigiar algo”.
– Bert Hellinger –

Ir para a cama irritado ou preocupado é um péssimo hábito

Por que não devemos ir para a cama irritados ou preocupados?

Ir para a cama irritado ou preocupado tem consequências maiores do que o mau humor ao acordar: perdemos, inclusive, boa parte do nosso potencial cognitivo. Ou seja, processos como memória, capacidade reflexiva, criatividade e a calma interior para enfrentar os problemas de maneira mais ativa e proativa são reduzidos.

Sherlock Holmes dizia que a solução para qualquer problema é um bom descanso. No entanto, de acordo com os especialistas, esse bom conselho somente será cumprido se formos capazes de uma coisa: ir para a cama e deixar as preocupações de lado. Deitar a cabeça no travesseiro com uma mente leve, clara e orientada somente para um objetivo: um sono reparador.

Caso contrário, se formos para a cama com a névoa da pressão, com o estresse, a ansiedade ou a raiva que arrastamos há algumas horas em relação a alguém em particular, longe de ajudar, isso intensifica o nosso desconforto. Um estado emocional negativo não apenas dificulta o sono reparador, mas também afeta o cérebro.

Homem com insônia sem conseguir dormir

O cérebro e o impacto de emoções negativas durante o descanso

A Dra. Yunzhe Liu, da Universidade Normal de Beijing, conduziu um estudo em colaboração com a University College London sobre este tema. Ela queria saber quais eram as consequências de irmos para a cama irritados ou preocupados.

Algo que ela enfatiza, em primeiro lugar, é a importância de gerenciar as nossas emoções e preocupações para que possamos dormir em um estado mais relaxado.

Foi confirmado através de ressonância magnética que o efeito de dormir com uma carga elevada de raiva, angústia e estresse altera várias áreas do nosso cérebro. Agora, trata-se de um efeito cumulativo. Ou seja, se discutir com o parceiro e ir para a cama irritado é um fato isolado e oportuno, não tem problema. As mudanças ocorrem quando isso se torna uma prática comum.

O mesmo vale para o estresse no trabalho e a preocupação constante. Ir para a cama com essa impressão negativa, semana após semana, acaba alterando o cérebro de várias maneiras:

  • Reduz o tamanho do hipocampo, uma estrutura relacionada à nossa memória e emoções.
  • Quando estamos irritados, a atividade dos nossos lobos frontais, responsáveis pelo pensamento mais racional e pelas tarefas executivas, é reduzida. A mente assume a clássica visão de túnel, ou seja, vemos apenas uma parte da realidade, a mais negativa. Somos incapazes de relativizar e os recursos para resolver problemas de uma maneira mais reflexiva e criativa falham.
  • A nossa memória começa a falhar. O cérebro não pode realizar as suas tarefas efetivamente durante essas horas da noite e não consegue consolidar novas memórias.
Homem com insônia

Não leve os seus problemas para o travesseiro

Não é bom ir para a cama com raiva ou preocupado. No entanto, às vezes passamos por momentos em que os problemas nos oprimem demais e a mente começa a se encher de obstáculos onde ficamos encalhados. O que fazer, então, para não levar essas tensões para o travesseiro?

A primeira coisa é impedir que toda essa tensão e angústia se acumulem. Os problemas que surgem hoje devem ser resolvidos o mais rápido possível; as divergências que aparecerem em nosso relacionamento afetivo ou com qualquer outra pessoa devem ser enfrentadas no momento presente. Tudo que deixamos para amanhã nem sempre se resolve sozinho, e na maioria dos casos, fica ainda mais complicado.

O ideal é descansar a mente e o corpo na cama o mais longe possível das emoções negativas. Podemos contar com a ajuda de técnicas de relaxamento, meditação ou respiração profunda, um banho quente, assim como desfrutar de um tempo lendo na cama enquanto deixamos o sono nos vencer.

Uma mente calma dorme melhor e, portanto, também nos ajuda a viver de maneira mais plena e saudável.

  • Liu, Y., Lin, W., Liu, C., Luo, Y., Wu, J., Bayley, P. J., & Qin, S. (2016). Memory consolidation reconfigures neural pathways involved in the suppression of emotional memories. Nature Communications7. https://doi.org/10.1038/ncomms13375