A lei da atração existe mesmo? - A Mente é Maravilhosa

A lei da atração existe mesmo?

junho 14, 2016 em Psicologia 13 Compartilhados
A lei da atração existe mesmo?

A lei da atração. É muito provável que você já tenha ouvido falar dela. Não estamos falando da psicologia da atração focada nos relacionamentos a dois, mas sim desse outro enfoque do campo do desenvolvimento pessoal que nos últimos anos tem obtido tanto sucesso.

Pensar, por exemplo, que a sorte nos vai acompanhar em todos os projetos. Desejar algo com muita intensidade, com pleno otimismo e confiança, esperando que, desse modo, todos os objetivos ansiados sejam cumpridos. Essas ideias, expressas do modo mais simples possível, dariam forma ao conceito tão conhecido da “lei da atração”, segundo o qual determinadas ondas de energia articulam sua influência para nos beneficiar.

“Somos o que pensamos”, nos diz essa teoria. Desenvolvemos um estado mental através de vibrações afinadas e harmoniosas, capazes de configurar um cenário em que os próprios pensamentos são a causa e, por sua vez, o modo de conseguir as coisas.

Isso é possível? Isso é realmente confiável? Dada sua relevância, principalmente nas disciplinas de desenvolvimento pessoal, vale a pena falar um pouco sobre isso de forma objetiva.

A base da lei da atração

A “lei da atração” não é um conceito novo. Possui suas raízes na clássica teosofia e no movimento “new age”, em que o campo das energias e das forças que tecem o universo de forma invisível contribuem com certo “substrato” para essa teoria.

Não podemos nos esquecer do “pensamento positivo”, esse conceito tão conhecido — e vendido — na hora de nos motivar, capaz de nos dar essa energia e confiança. Por sua vez, a “lei da atração” dispõe, também, de dimensões bastante aceitáveis de diferentes disciplinas psicológicas que com certeza você já conhece:

  • A teoria cognitiva: uma perspectiva ideal para o campo da aprendizagem, em que a cognição ou os diferentes processos mentais, como a percepção e a memória, podem nos ajudar a adquirir conhecimento e conseguir mudanças. Pensemos, por exemplo, nas pessoas que estão tentando parar de fumar. O ato de se ver começando as manhãs sem esse tão necessário cigarro pode induzir à mudança. Ou seja, o pensamento nos faz alcançar os objetivos, tal como a lei da atração.
  • A terapia cognitivo-comportamental: o interessante desta tendência psicológica é que ela nos ensina que são nossos pensamentos que originam as emoções e os comportamentos. Nunca o contrário. Ou seja, seria um modo de controlar o campo emocional para o pensamento prevalecer. Se eu me imagino deixando de lado as dificuldades e me mantenho firme para conseguir tal objetivo, finalmente esse pensamento orientará minha capacidade de realização.

maos-levitando-chaves

Alternativa à lei da atração: a ação

A única crítica objetiva que podemos fazer à lei da atração é que ela se baseia demais no campo das energias e na ideia essencial de que, para conseguirmos algo, precisamos “pedir”. Seja ao universo ou a essa força maior ou invisível que supostamente nos cerca e que, por sua vez, se conecta conosco. Valoriza-se, de fato, a demonstração de uma atitude de entusiasmo, de positivismo e gratidão.

No entanto, como já sabemos, não basta somente pedir. Não nos serve de nada solicitar com humildade essas metas em nossa vida se não fizermos a nossa parte. Sempre será melhor e necessário manter uma atitude positiva desde cedo, mas esse positivismo deve ser razoável e lógico. As soluções em nossa vida não acontecem somente com pensamento, desejo e esperança.

Aceitaremos a lei da atração como esse primeiro estímulo diante de uma mudança de atitude. Pensar que desejo algo, entender que devo mudar e que, logicamente, preciso me esforçar para consegui-lo. Daí a necessidade de complementar isso com a “lei da ação”. Uma vez que tenha aberto seus olhos e suas esperanças, ligue o motor da mudança.

Não pense somente que as energias vão atuar sozinhas para lhe dar o que mais anseia. Use seus próprios meios, estratégias, construa seu próprio caminho diariamente e entenda que por trás de toda a realização existe um esforço próprio. É isso que faz com que nos sintamos orgulhosos de nós mesmos.

A lei da atração é um bom conceito de motivação, mas sempre é melhor ver as coisas com objetividade, levando em conta que, hoje em dia, o “conceito de pensamento positivo” vende muitos livros de autoajuda. Confie sempre em você mesmo, mas use seu pensamento e suas ações para construir esse caminho que deseja.

É ele que nos faz feliz e por ele vale a pena lutar.

Imagens cortesia de Seoien, Nino Kaan.

Recomendados para você