8 maneiras de aumentar a oxitocina no seu corpo

A oxitocina é um dos hormônios mais poderosos que o nosso corpo pode produzir, pois os seus efeitos são essenciais para alcançar e manter a nossa saúde mental. É por isso que, a seguir, vamos mostrar oito maneiras de aumentá-la naturalmente.
8 maneiras de aumentar a oxitocina no seu corpo

Última atualização: 29 abril, 2022

A oxitocina, conhecida como o hormônio do amor, é muito mais do que um simples componente biológico. Além de favorecer as interações sociais, a amamentação, os cuidados e o parto, esse hormônio com funções de neurotransmissor também cumpre muitos outros propósitos. Por exemplo, reduzir a pressão arterial e os níveis de cortisol, aumentar o limiar de dor, reduzir a ansiedade…

A oxitocina é um dos elementos químicos cerebrais mais poderosos na modulação do nosso comportamento. Desta forma, conforme explicam professores como Miranda Olff da Universidade de Amesterdã, na revista médica Psychoneuroendocrinology, este componente é um promotor da saúde mental e gera uma resposta muito positiva no tratamento de vários distúrbios psicológicos.

No entanto, cabe dizer que a sua administração externa fora do ambiente clínico não é recomendada. Porém, todos nós podemos aumentar a produção de oxitocina naturalmente. Por esta razão, em vez de nos concentrarmos nos nossos níveis atuais, o que devemos fazer é nos perguntar o que podemos fazer para potencializar a sua presença no nosso corpo e, assim, obtermos os benefícios dos seus efeitos.

Em algumas situações, como na relação sexual ou no parto, a oxitocina é liberada naturalmente.

Acredite ou não, existem muitas outras maneiras de aumentar os níveis desse hormônio para reduzir o estresse e nos sentirmos melhor. Veremos como isso pode ser feito.

Aumentar a produção de oxitocina: o que a ciência nos diz

Foi a partir da década de 70 que os neurocientistas começaram a demonstrar um grande interesse pela oxitocina e a sua relação com o comportamento materno e o vínculo social em várias espécies, incluindo os seres humanos, sem dúvida. Algo que foi descoberto é que, muito além da relação mãe-filho, esse componente também tem o poder de melhorar o comportamento social.

Aliás, quando o ser humano ou outro animal manifesta um comportamento que o cérebro entende como benéfico, ele nos recompensa com oxitocina e endorfinas. Ou seja, há um duplo mecanismo de ação: a oxitocina nos determina, mas nós mesmos também podemos fazer com que ela apareça por meio das nossas ações e comportamentos.

Era tão grande o entusiasmo por esse hormônio que muitos cientistas começaram a avaliar uma possibilidade. Talvez, ao administrar ou aumentar a produção de oxitocina em crianças com transtorno do espectro autista (TEA), poderia-se melhorar a sua sociabilidade, abertura e conexão emocional. Entretanto, estudos recentes como o realizado pela Universidade de Seul revelam que, até hoje, ainda não existe uma relação conclusiva.

recriação de oxitocina

Assim, a ciência nos lembra algo muito simples. Todos nós podemos aumentar naturalmente a produção de oxitocina em nosso corpo. Todo comportamento positivo, gratificante e enriquecedor será recompensado com esta molécula.

1. Contato físico

A oxitocina desencadeia um sistema de recompensas excepcional toda vez que fazemos contato físico com alguém significativo. Sabe-se muito bem que a relação sexual, por exemplo, aumenta os níveis de oxitocina. No entanto, os abraços de amigos ou parentes, as carícias de nossos filhos e até mesmo apertar os nossos animais de estimação também são atos muito gratificantes para o nosso cérebro.

2. Palavras de encorajamento

Quando alguém nos elogia, encoraja ou conforta, nós nos sentimos bem, encontramos a calma e bem-estar. Afinal, essas palavras de encorajamento nos fazem sentir amados e valorizados. Por sua vez, quando somos nós que apoiamos os outros, encorajando-os e dando ânimo, isso também se reverte para nós mesmos: ou seja, nós também produzimos oxitocina.

As palavras são uma arma poderosa para nos sentirmos bem e para fazer os outros se sentirem bem. Elas podem transmitir bondade, compaixão e amor. Elas também nos conectam e formam um pilar fundamental em nossas relações sociais.

3. Escutar os outros

Escutar é uma maneira incrível de aumentar a oxitocina. Todos querem se sentir reconhecidos. Todos gostamos de saber que somos compreendidos, aceitos, validados… Este é outro componente essencial em nossas relações diárias.

Por isso, não custa nada lembrar do grande poder da escuta ativa e daquele olhar que atende, acolhe e olha sem julgar. Portanto, não seja multitarefa enquanto alguém precisa da sua atenção. Ofereça-se à pessoa que está falando com você com total abertura; o esforço sempre vale a pena.

Ouvir

4. Meditação

A meditação relaxa o corpo e a mente, permitindo-nos entrar em um estado de calma e equilíbrio, reduzindo assim o estresse. Essa prática que tem raízes na antiguidade está se difundindo cada vez mais em nossa sociedade. Além disso, a prática psicológica já reconhece os seus benefícios, sendo o mindfulness uma abordagem mais do que valorizada e aceita atualmente.

Na cultura ocidental, a palavra meditação vem do latim meditatĭo, que originalmente indicava um tipo de exercício intelectual. Nesse sentido, a meditação é um valioso instrumento para apagar os medos e liberar oxitocina.

“Meditação e oração alimentam a alma.”

-Og Mandino-

5. Exercício

O exercício não serve apenas para manter o corpo saudável. Com o exercício e a atividade física, aumentam as endorfinas e também a oxitocina. Além disso, o sangue se oxigena e chega ao cérebro e a outras partes do corpo com maior ímpeto e facilidade. A quantidade de hormônios que são liberados nesse processo é muito positiva.

Para se exercitar e obter todos esses benefícios, você não precisa ir à academia, correr ou andar de bicicleta se não quiser ou não puder. Sair para uma caminhada ou fazer exercício moderado em casa é o suficiente. Desta forma, também conseguimos uma liberação adequada de oxitocina.

6. Chorar

De acordo com o Dr. Stephen Sideroff, psicólogo clínico da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, “chorar é um ato saudável e necessário para a saúde do nosso corpo”. O choro atua como um liberador de nossas emoções, diminuindo o estresse e o cortisol e aumentando os níveis de oxitocina.

Assim, o acúmulo de energia que o encarceramento dos nossos sentimentos produz faz com que o estresse se instale em nossas vidas e que os problemas físicos comecem a aparecer.

Mulher chorando na janela

Chorar é justamente um ato de expressão e manejo adequado dessa energia. Pense em como você se sentiu depois daqueles momentos em que parecia que você não conseguiria parar de chorar. Depois desses momentos de desabafo, sempre vem o alívio, a calma…

“As lágrimas desinfetam a dor.”

-Ramón Gómez de la Serna-

7. Ser generoso dando algo aos outros

Nós nos sentimos bem quando damos e também quando nos damos. Ser generoso e caridoso, assim como oferecer o nosso tempo aos outros de forma desinteressada, faz florescer a gratidão e a conexão com os outros, além de liberar grandes doses de oxitocina.

Outro gesto generoso que libera oxitocina é presentear uma pessoa de coração. Uma lembrança para a qual não é necessário ter a desculpa de uma grande conquista ou a comemoração de um aniversário. O que realmente desencadeia a liberação de oxitocina é o fato de pensar na outra pessoa com carinho e com vontade de agradá-la.

8. Alimentação

É importante mencionar que os alimentos por si só não nos fornecem oxitocina, uma vez que este é um nonapeptídeo que só os organismos dos seres vivos podem produzir. No entanto, o fato de os alimentos não conterem esse hormônio não significa que eles não possam nos ajudar a aumentá-lo.

De fato, acredita-se que certos ingredientes poderiam estimular e aumentar a produção de oxitocina. Entre eles se destacam ervas como alecrim, salsa, tomilho, hortelã e endro.

Por sua vez, outro ingrediente que ajuda a aumentar a produção de oxitocina é o chocolate, que também é famoso por seu poder afrodisíaco.

Para concluir, conforme vimos, aumentar a dose de oxitocina naturalmente não é algo tão complicado. Trata-se apenas de promover o nosso bem-estar e de nos conectarmos com os outros de maneira genuína, afetuosa e respeitosa. Vamos colocar isso em prática.

Pode interessar a você...
As emoções também são o seu alimento e afetam o estômago
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
As emoções também são o seu alimento e afetam o estômago

As emoções, tanto as agradáveis quanto as desagradáveis, funcionam do mesmo jeito que um alimento que o corpo precisa digerir.