O martelo e a parede nos relacionamentos de casal

março 1, 2020
Todo relacionamento de casal passa por mudanças e, portanto, ajustes. O problema surge quando não conseguimos nos adaptar às novas condições, usando estratégias inadequadas para tentar retornar a um ponto anterior.

Os relacionamentos de casal não são simples ou, pelo menos, é isso que algumas pessoas pensam. Talvez isso ocorra porque o martelo e a parede podem estar presentes em um relacionamento e aqueles que o formam ou o seu entorno não perceberam. É um martelo que usam para tentar derrubar as paredes que estão criando diferentes atitudes no casal.

A seguir, através de uma breve história, descobriremos como o martelo e a parede nada mais são do que a metáfora de um medo atroz de que a outra pessoa se afaste emocionalmente de nós. No entanto, compreenderemos que, por mais que tentemos dar marteladas, é necessário respeitar o espaço de cada um.

O martelo e a parede

Alicia não entendia o que estava acontecendo com Juan. Ele estava um pouco estranho há alguns dias, mais silencioso do que o habitual, e isso, para ela, era estar distante. Quando perguntava o que estava acontecendo com ele, a resposta era sempre a mesma: “nada”.

Para Alicia, a situação não melhorava; ela foi ficando mais tensa e nervosa. Juan parecia se afastar cada vez mais. Ele dizia que estava tudo bem, que precisava estar consigo mesmo, algo que Alicia não conseguia entender… Para ela, era um sintoma de que algo estava errado no relacionamento.

Por que ele precisava ficar sozinho? Algo estava errado? Ele não estava feliz? A insistência de Alicia, as perguntas constantes e sua lista de planos compartilhados com Juan não pareciam resolver a situação. Juan precisava de espaço, tempo para ele, e Alicia não o compreendia.

Um mal-entendido sobre a necessidade de dar espaço à outra pessoa pode causar sérios conflitos dentro de um relacionamento se essa circunstância não for resolvida.

Casal apaixonado

A insegurança nos relacionamentos de casal

Como já dissemos, Alicia estava muito insegura; um estado derivado da interpretação do comportamento de Juan. Ela não entendia por que Juan precisava de tempo para ele. Assim, diante de uma situação que ela não entendia, a sua resposta era tentar modificá-la.

Por esse motivo, o martelo e a parede se instalaram no relacionamento, causando um conflito difícil de resolver. Para Alicia, as palavras “tempo para si mesmo” e “espaço” eram sinônimos de que o seu parceiro estava se afastando, e isso lhe causava uma enorme ansiedade.

As reclamações constantes

Como Alicia não dava a Juan o espaço de que ele precisava, ele começou a construir uma parede e a se fechar cada vez mais. Enquanto isso, Alicia, com um martelo, começou a tentar derrubá-la, tentando reduzir a distância que Juan havia colocado.

Vendo de fora, a solução parece simples. Se Alicia mudasse sua estratégia e optasse por dar a Juan o espaço de que ele precisava, provavelmente haveria um reajuste natural no relacionamento.

No entanto, a ansiedade e a estratégia de enfrentamento de Alicia só prejudicavam a relação. Mas lembre-se de que estamos vendo de fora, adotando um papel de espectadores.

A importância do espaço nos relacionamentos de casal

Todos os relacionamentos amorosos passam por uma fase de ‘paixão’ na qual o casal compartilha um grande número de atividades. A melhor definição, como aponta este estudo, seria “o estado de uma pessoa dominada por um sentimento vivo em relação à outra, a quem ela considera o seu maior bem, com o qual gostaria de se unir para sempre e pelo qual sacrificaria, se fosse necessário, a própria vida”.

No entanto, com o passar do tempo, cada membro do casal precisa recuperar uma parte desse espaço compartilhado. É necessário ter amigos que não são comuns ou realizar atividades das quais o parceiro não participa.

Se estivermos em um período de transição entre as duas fases, será positivo analisar se fazemos alguma atividade em que o nosso parceiro não esteja envolvido. Entenda também que cada pessoa precisa do seu espaço, mas podemos precisar mais ou menos do que o outro: trata-se de alcançar um equilíbrio.

“Um casal são duas pessoas que compartilham a sua felicidade juntos, e não duas pessoas que se tornaram uma”.
– Tessier –

Casal diante do mar

Isso não se traduz em um “eu não amo mais o meu parceiro” ou “o relacionamento esfriou”. É o oposto. O espaço no relacionamento do casal é essencial para que o sentimento de falta de liberdade não apareça e, portanto, para que o martelo e a parede não se façam presentes.

Conclusão

Cada casal é um mundo e decide quão grande ou pequeno eles precisam que esse espaço seja. Assim, podemos identificar casais que funcionam muito bem mantendo um pequeno espaço pessoal, e outros que o fazem com um espaço funcional maior. Depende de onde eles encontram o seu ponto de equilíbrio.

De qualquer forma, é importante tentar superar a resistência com estratégias diferentes da do martelo e da parede. Além disso, nos casos em que pegamos o martelo, governados pela insegurança, é melhor procurarmos um profissional.

É ele que nos ajudará a adotar a perspectiva do espectador para identificar o problema, e nos fornecerá ferramentas para recuperarmos o equilíbrio perdido sem prejudicar o relacionamento.