O medo de envelhecer

· junho 15, 2016

Woody Allen, com o seu humor e inteligência habituais, disse: “A vida é uma doença fatal e sexualmente transmissível.” Essa frase nos dá uma dimensão muito real do que significa envelhecer e de como não é natural lutar contra a passagem do tempo e ter medo do envelhecimento.

Nos últimos anos as cirurgias estéticas, através das quais tentamos apagar as rugas e as consequências dos anos por simples medo, evoluíram muito, mas e se nós nos aceitássemos da forma como somos e aproveitássemos cada momento em vez de pensar tanto na nossa aparência?

É claro que é preciso se cuidar, comer coisas saudáveis e praticar esportes, mas nós vemos por aí atores e atrizes que mudaram tanto o seu rosto para evitar o envelhecimento que agora parecem outra pessoa, perderam totalmente sua identidade. Por que temos tanto medo de envelhecer?

Há um momento em que estamos andando pela rua e um adolescente nos pede algo dirigindo-se a nós como “senhor” ou “senhora”. Em um segundo tudo muda, porque somos conscientes da passagem do tempo e de que já não somos mais os jovens que pensávamos, apesar de mantermos o nosso espírito jovem intacto.

Gerascofobia: o medo de envelhecer

Uma fobia é um medo irracional que pode chegar a afetar a nossa qualidade de vida e provocar um quadro significativo de ansiedade. As pessoas que sofrem de gerascofobia têm medo de envelhecer e vivem com medo da deterioração sofrida devido à passagem dos anos.

Isso acontece porque, em muitos casos, a velhice está associada a aspectos negativos, tais como as doenças, a perda de mobilidade, a mudança de aparência e as rugas no rosto e, geralmente, ao agravamento da condição de saúde.

Mulher-olhando-no-espelho-suas-rugas-com-medo-de-envelhecer

A gerascofobia geralmente começa a se desenvolver em torno dos trinta anos, quando alguns sinais de envelhecimento começam a aparecer, e pode, em certos casos, produzir um certa ansiedade. Podemos considerar várias causas deste medo irracional do envelhecimento, tal como relacionar a velhice apenas a aspectos negativos, se esquecendo da aprendizagem e da sabedoria que ganhamos ao longo dos anos.

Outra causa deste medo pode ser a imagem veiculada pelos meios de comunicação ou o valor que existe em nossa cultura em relação à juventude. E uma das causas mais importantes talvez seja o medo de estar sozinho e indefeso durante os últimos anos de nossa vida.

Razões para não ter medo do passar dos anos

Não há dúvida de que o passar dos anos nos dá uma experiência e uma sabedoria que não podem ser adquiridas de outra forma. Falamos de elementos positivos que merecem um reconhecimento pelo grande valor que têm e que são precisamente o que nós devemos valorizar a cada ano que passa.

A seguir, iremos sugerir algumas razões para não temer o passar dos anos, e para que possamos ver o lado bom dessa época de ouro:

O valor da sabedoria

A medida que vamos envelhecendo, adquirimos experiências e habilidades que nos permitem encarar os altos e baixos da vida de outra forma. A sabedoria que a passagem do tempo proporciona nos permite tomar decisões, assumir medos e a manter a calma diante de situações complicadas.

Saber quem você é

Com a experiência que adquirimos ao longo da nossa vida, aprendemos a saber quem somos, a nos conhecer e gerir os nossos defeitos e nossas virtudes. Aprendemos a ser mais autênticos porque deixamos para trás o medo do que outras pessoas iriam dizer ou pensar. Conhecer a si mesmo em profundidade é um dos trabalhos mais difíceis que faremos em toda a nossa existência, mas também é um dos mais gratificantes.

Mulher-idosa-pensando-em-envelhecer

Sinta-se confortável

Quando somos jovens nos preocupamos demais com nossa aparência, com o que dizemos e com o que fazemos. Mas ao longo dos anos aprendemos a nos amar e a nos valorizar, a viver em paz com nós mesmos. A nossa autoestima torna-se sólida e respeitamos profundamente a nós mesmos para que possamos nos sentir mais confortáveis.