Método Dan-Sha-Ri: a felicidade está em ordem

Este método explora os benefícios da ordem, simplicidade e minimalismo. Você gostaria de tentar aplicá-lo?
Método Dan-Sha-Ri: a felicidade está em ordem

Última atualização: 29 julho, 2022

Se você quer ser mais ordeiro, mas tem dificuldade em consegui-lo, este artigo pode ser útil, pois mostrará as vantagens de aplicar o método Dan-Sha-Ri em sua vida. É uma forma de entender a ordem não como uma obrigação, mas como um hábito que podemos cultivar e que pode aumentar nossa felicidade.

Proposto pela escritora japonesa Hideko Yamashita, o método Dan-Sha-Ri defende um estilo de vida minimalista, no qual podemos alcançar a felicidade transformando nossa relação com os objetos. Isso implica tirar de nossos armários, gavetas e até de nossas próprias vidas o que não é totalmente necessário para nós. Em outras palavras, essa prática busca nos reconectar com simplicidade e harmonia tanto em nossos espaços físicos quanto em nossos pensamentos.

Segundo a autora, Dan significa ‘energia vital’, aquela que se perde quando povoamos espaços com objetos desnecessários, Sha se refere a eliminar o que não usamos mais ou não é mais funcional e Ri apela para a necessidade de detectar e conter o desejo para comprar tudo o que nos seduz.

Esse método atua como um anticorpo à tentação de preencher nossos vazios pessoais com itens de que não precisamos ou realmente não desejamos.

Mulher separando roupas

As 5 regras do método Dan-Sha-Ri

Para realizar essa prática, temos que ter cinco regras como referência. Elas podem parecer complicadas no início, mas à medida que você as incorpora como um hábito em sua vida diária, ficará mais fácil para você aplicá-las e mantê-las.

1. Regra de espaço

A primeira regra refere-se à importância de deixar áreas livres pelas quais é possível se mover, tanto você quanto os objetos.

Portanto, é necessário tentar não preencher os espaços completamente, o ideal é ocupá-los a 80%, isso ajudará a evitar estresse e carga visual e facilitará a circulação do ar.

2. Regra de substituição

A segunda regra sugere que só devemos incorporar em nossos espaços objetos que vêm para substituir outros que perderam sua funcionalidade. Em outras palavras, é uma regra que nos obriga a pensar na utilidade de todas as nossas coisas, bem como nos critérios que costumamos usar para justificar a aquisição desnecessária de novos objetos.

3. Regra de localização rápida

A terceira regra tem a ver com a maneira como armazenamos objetos em casa. De acordo com este método, é fundamental que localizemos nossas coisas de forma fácil e acessível, evitando caixas, faixas elásticas e qualquer outro mecanismo que impeça seu uso rápido. A ideia é que possamos acessar tudo em nossa casa em apenas dois movimentos.

4. Regra de autonomia, liberdade e facilidade de uso

A quarta regra propõe que a forma mais adequada de organizar nossos espaços é verticalmente. Esse tipo de organização nos dará a sensação de ordem, harmonia e limpeza no lar.

5. Regra do “modo automático”

Por fim, a quinta regra implica o estabelecimento de um mecanismo automático de ordem, incorporando essa prática como um hábito. Isso implica autorregulação e aprendizagem.

Por exemplo, uma sugestão que o autor faz é não largar nenhum objeto até que você o tenha deixado no lugar que você estabeleceu para ele. Desta forma, permitiremos que a ordem surja harmoniosamente em cada espaço à medida que nos apropriarmos do método.

Mulher colocando um vaso com flores

Como aplicar o método Dan-Sha-Ri?

Poderíamos dizer que o método Dan-Sha-Ri é uma forma de ordenar sem ordenar e nos ajuda para que manter nossos espaços organizados não seja uma tarefa tediosa. O mais interessante é que não se aplica apenas aos nossos espaços físicos, mas pode ser estendido aos nossos e-mails, arquivos no computador e até mesmo ao nosso relacionamento interpessoal.

Muitas vezes acumulamos objetos que não utilizamos, seja porque os recebemos de presente, por nostalgia, por estarem conosco há muito tempo ou por causa do desconforto que realizar tarefas de ordem e limpeza pode gerar. No entanto, o método propõe que se algum objeto não for mais útil para nós ou simplesmente não o quisermos mais em nossa casa, devemos pegá-lo, agradecê-lo por seu tempo conosco e deixá-lo ir.

É um convite para que deixemos de nos culpar por nos livrarmos de coisas que não usamos nem necessitamos mais, adotando uma vida mais simples e com mais espaço para receber todas as coisas novas que o futuro nos reserva. Trata-se de apostar na possibilidade de fazer da nossa casa um reflexo do nosso interior e de tornar o nosso espaço e a nossa vida um lugar mais acolhedor.

Pode interessar a você...
Medos que se escondem por trás da desordem
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Medos que se escondem por trás da desordem

Há um conjunto de medos que se escondem por trás da desordem. O descuido com a organização das coisas é muito mais do que falta de tempo ou negligê...



  • Löfgren, O. (2017) Mess: on domestic overflows, Consumption Markets & Culture, 20:1, 1-6, DOI: 10.1080/10253866.2016.1158767
  • Yamashita, H. (2016) Dan-sha-ri: ordena tu vida Quédate solo con lo necesario… ¡y encuentra la felicidad!. Planeta