Muralismo: a representação artística de rua

07 Fevereiro, 2020

A representação artística constitui uma boa narração da história, já que vem transcorrendo de maneira paralela, sendo sensível a ela. Atualmente continua sendo feita e, dentro das diversas formas de expressão, há uma representação artística específica que está ganhando popularidade pelo valor que apresenta. Trata-se do muralismo, ou grafite, a representação artística de rua.

Os artistas que se dedicam ao muralismo transformam as paredes cinzas e esquecidas em uma explosão de cores, que pode estar carregada de símbolos de reivindicação, culturais e sociais. Esta é uma forma de transformar os espaços esquecidos das cidades.

Não se trata de pintar por pintar. Existem diversos coletivos que trabalham com o objetivo de melhorar as cidades por meio da arte. Neste artigo, falaremos sobre o que é o muralismo, as suas origens e a sua importância. Além disso, citaremos alguns movimentos muralistas representativos.

“O grafite é a arte por antonomásia da cidade contemporânea, uma forma artística que transforma os muros da cidade em receptáculos de surpreendentes metamorfoses formais. É a arte da palpitação urbana”.
-Josep Catalá-

O que é e quais são as origens do muralismo?

O muralismo, para muitos, é um tipo de arte de rua. Consiste em intervenções artísticas através de diversas técnicas e materiais. Em cada muro existem linguagens e expressões urbanas. Não há uma estética comum, depende de cada artista.

De acordo com Martha Cecilia Herrera e Vladimir Ola, em seu artigo para a revista Nómadas, o muralismo é uma das marcas mais representativas das culturas contemporâneas. Além disso, são construções estéticas que mobilizam formas de pensamento político.

Pessoa pintando mural em rua

O muralismo como movimento surgiu após a revolução mexicana. Nessa época, tinha como propósito socializar a arte, e rejeitava qualquer obra que viesse de círculos comerciais. Propunham a produção de obras que retratavam a realidade mexicana. Seus principais representantes foram Diego Rivera e David Alfaro Siqueiros.

O muralismo foi realizado principalmente em prédios públicos, e logo começou a se expandir por toda a América. Este tipo de arte continua sendo feita desde aquela época, na qual os muros relatavam aspectos sobre a cultura e a sociedade.

Qual é a importância desta representação artística de rua?

Os murais são fundamentais porque são um encontro entre o passado, o presente e o futuro. Além disso, dão sentido tanto para indivíduos quanto para coletivos, e instituem novos relatos que questionam aspectos da ordem social atual.

As representações de rua são construções que questionam o presente e ajudam a fazer com que certas realidades sejam tanto visíveis quanto recordáveis. Assim, dão sentindo para a situação sociocultural atual e inauguram novos horizontes para a sua visibilidade.

Estes espaços são essenciais porque, através das intervenções, formam aspectos autênticos do contexto e transformam espaços opacos em lugares visíveis e com vida.

Muitos destes trabalhos não dão apenas cores aos muros, mas, com sua tinta, transformam pensamentos e emoções de pessoas ao seu redor. Inclusive, resgatam bairros que estavam no esquecimento, dando novas perspectivas a eles. Assim, marcam territórios e fazem emergir comunidades.

Exemplos de muralismo

O muralismo está presente ao redor do mundo. Observemos alguns exemplos, tanto clássicos quanto atuais:

  • Muralismo mexicano. Foi um movimento com implicação tanto política quanto social. Encontram-se refletidos sentimentos de identidade e pertencimento nacional, fomentando assim um sentimento de amor pela pátria. Além disso, vê-se a intervenção de fazer o povo parte de sua história por meio das obras. Há uma tentativa de inclusão, reivindicando, por exemplo, o coletivo indígena. Seus membros de maior destaque foram Diego Rivera, Rufino Tamayo e Roberto Montenegro, entre outros.
  • Representação artística de rua chilena. O muralismo no Chile começou após a visita do mexicano David Alfaro Siqueiros. Essa arte representa o mundo popular, a conquista e personagens autênticos. A expressão artística de rua deste país é bastante particular, já que, devido aos terremotos que sofreu, a sua arquitetura esteve em constante mudança, principalmente seus muros. Os principais representantes foram Laureano Ladrón de Guevara Romero, Gregorio de la Fuente e Pedro Olmos Muñoz, entre outros.
  • São Francisco e as marcas do muralismo. Sua representação artística teve uma trajetória ampla, que deu visibilidade cultural aos grupos que passaram por ela, principalmente os hispânicos, que sofreram discriminação. O bairro de maior representatividade se chama Mission. Nele, se encontram murais que relembram lutas sociais e memórias dolorosas e de afirmação. São também provas de busca de conhecimento social e cultural. Além disso, existem coletivos de ONGs que têm dedicados espaços para mostrar o trabalho de mulheres artistas.
Pessoa pintando parede

A representação de rua é algo que continua acontecendo. Por exemplo, em Cali, Colômbia, há um coletivo chamado Mesa de Gráfica Urbana, que busca gerenciar, apoiar e realizar atividades para o crescimento da arte na cidade através de projetos pedagógicos. Este é somente um exemplo de que o muralismo segue firme.

Por meio da arte do mural, podemos representar emoções e pensamentos que sejam de fácil acesso para o público. Trata-se de uma arte a partir de outro olhar, que adentra o social e o cultural, para encher espaços de cor não apenas através da pintura, mas também através da transformação e de diversos projetos enriquecedores.

  • Cortés, M. C. H. & Gualteros, D.V.O (2011). Ciudades tatuadas: arte callejero, política y memorias visuales. Nómadas, (35), 99-117.
  • Zamorano Pérez, P.E., & Cortés López, C. (2007), Muralismo en Chile: texto y contexto de su dorso estético.