A dificuldade de não saber terminar um relacionamento

22 Junho, 2020
Não saber terminar um relacionamento pode ser um problema sério, principalmente quando não queremos aceitar que a outra pessoa vai nos deixar. É uma boa ideia manter o relacionamento assim mesmo? Por que temos tanta dificuldade em aceitar que o outro quer nos deixar?

Muitas pessoas enfrentam o desafio de não saber como terminar um relacionamento. Como regra geral, este costuma ser um momento difícil tanto para a pessoa que decide colocar um ponto final quanto para quem é deixado. Parece que não nos damos muito bem com o ato de dizer adeus.

Por outro lado, existe a crença popular de que a situação é fácil para a pessoa que deseja sair do relacionamento. Contudo, não é tão simples quanto parece. Ao mesmo tempo, ser deixado também não é legal. Assim, quando se somam o “não saber deixar” com o “não querer ser deixado”, entramos em um ciclo que pode acabar cobrando seu preço, já que não saber terminar um relacionamento pode ser prejudicial para a nossa saúde psicológica.

Quando estamos imersos em um relacionamento que não nos agrada mais, podemos sentir estresse, ansiedade, tristeza, desânimo, etc. Além disso, nem sempre nos deparamos com um mar de rosas. Às vezes, quando, por fim, estamos dispostos a colocar um ponto final, o outro entra em cena: “não me deixe”, e a situação pode se complicar mais uma vez.

Para alguns, terminar um relacionamento não tem volta; quando algo termina, significa o fim. Para outros, é um verdadeiro calvário. Por que insistimos para que o outro não nos deixe? Estamos forçando um relacionamento que já chegou ao fim? Até que ponto é benéfico dificultar se o outro quer terminar o relacionamento? Vamos nos aprofundar um pouco mais nesse assunto.

Casal se abraçando após o término do relacionamento

Não saber terminar um relacionamento: uma situação difícil

Muitas pessoas afirmam que têm uma grande dificuldade para deixar seus parceiros. Elas não estão mais felizes, não sentem mais uma conexão. No entanto, são incapazes de terminar a relação.

Muitas vezes, o que se esconde por trás dessa incapacidade é o medo de magoar. Quando deixar alguém significa um grande sofrimento para quem é “deixado” – ou pelo menos é assim que se pensa – muitas pessoas são incapazes de dar esse passo adiante. Saber que são “responsáveis” por um sofrimento tão profundo em outra pessoa as deixa paralisadas. No entanto, será que elas realmente são responsáveis por isso?

Da mesma forma que algumas pessoas terminam um relacionamento sem pensar muito a respeito, outras sentem que o sofrimento do outro é responsabilidade delas. “Se eu abandonar essa relação, ele(a) vai sofrer, e se sofrer é porque eu estou terminando, portanto a culpa é minha”. Muita gente pensa assim.

Nesse ponto, vale a pena se perguntar se realmente existe culpa ou responsabilidade por magoar o outro. É verdade que o término pode desencadear sofrimento, mas será que não estamos fazendo mais mal ao viver em uma mentira? Cada um de nós deve aprender a conviver com emoções rotuladas como prejudiciais, como as emoções que podemos sentir no trabalho, com a morte de algum familiar ou com o término de um relacionamento.

“Não me deixe”

Outra das principais dificuldades que enfrentamos quando um relacionamento termina é não aceitar “ser deixado”. Quantos casais seguem em frente porque um dos dois se nega a aceitar o fim? Ou seja, quantas pessoas estão juntas por dó ou por pena? “Não quero machucar essa pessoa, vamos continuar mais um pouco para ver se a chama reacende”. Muitos pensam assim.

Saber ser deixado é fundamental para que o término seja o menos doloroso possível. Dar algumas oportunidades para um relacionamento não é uma má ideia, mas quando sua(seu) parceira(o) expressa mais de uma vez que não quer mais, por que forçar a situação? Por que estar com alguém que não quer estar com você?

A psicóloga Ana Doménech (1994) afirma que o término de um relacionamento é “um estressor que afeta a sensação de bem-estar da pessoa, especialmente se ela se nega a aceitar o fim do vínculo com a(o) parceira(o)”. No entanto, o que está por trás de não querer ser deixado?

Quando um membro do casal dificulta o término do relacionamento, isso pode ser sintoma de uma forte demonstração de apego insano. Dessa forma, se depositarmos nossa felicidade nas mãos da pessoa com quem estamos, quando ela nos deixar, vamos nos sentir apavorados. No entanto, felizmente, nossa felicidade depende mais de nós mesmos do que dessa pessoa, embora às vezes não tenhamos consciência disso.

 “Do apego surge o sofrimento. Do apego surge o medo. Para aquele que está livre do apego, não há sofrimento e muito menos medo”.
-Buda-

Alzugaray e García (2015) afirmam que “raramente ambos os membros estão de acordo com o fim do relacionamento. Em geral, um deles continua amando enquanto o outro não, e por isso é necessário considerar os processos emocionais que se seguem a um término como um verdadeiro processo de luto”.

Mulher chorando com término do relacionamento

Aceitar e aprender a deixar a ir

Não saber terminar um relacionamento pode implicar um forte apego pela outra pessoa. Também pode ser um sinal de não sabermos estar com nós mesmos, fruto de um profundo medo de estar sozinho. Mas então, como enfrentar o momento em que o outro diz que não quer mais continuar conosco?

Tentar lutar pelo relacionamento pode funcionar em algumas situações. No entanto, quando a outra pessoa não deseja mais alongar a relação, é o momento de aceitar a situação e aprender a deixar ir. É o momento de facilitar esse ponto final para começar a se reconstruir.

 “Se olharmos o objeto do nosso apego com uma simplicidade nova, vamos compreender que não é esse objeto que nos faz sofrer, e sim o modo como nos apegamos a ele”.
-Matthieu Ricard-

A aceitação consiste em um processo ativo para integrar tudo o que acontece e, a partir daí, tomar decisões. Existem acontecimentos que podemos controlar, e outros que vão fugir do nosso controle. Quando a pessoa com quem estamos expressa a intenção de terminar o relacionamento e nós não podemos fazer mais nada, entramos naquelas situações em que não temos mais controle. Portanto, a melhor opção é aceitar a situação.

Por mais desesperados que estivermos, suplicar para que não nos deixem é uma opção que devemos evitar. Forçar um relacionamento leva apenas ao mal-estar. Portanto, além de aceitar, devemos aprender a deixar ir. Ninguém pertence a nós. Por mais que pensemos que a pessoa com quem estamos é “nossa”, na verdade ela é uma pessoa livre que escolheu voluntariamente estar conosco. Assim, da mesma maneira que vem livremente, deveria poder ir com a mesma liberdade.