Núcleos da rafe: características e funções

Os núcleos da rafe, que são agregados neuronais divididos em pares ao longo do tronco cerebral, cumprem funções vitais relacionadas à resposta a estímulos, ao sono e à vigília. A mais importante e conhecida, no entanto, é a liberação do neurotransmissor serotonina.
Núcleos da rafe: características e funções

Última atualização: 16 Julho, 2021

O cérebro é o órgão sobre o qual existe mais literatura e, no entanto, sobre o qual menos se sabe com certeza. Alguns de seus componentes são popularmente conhecidos; outros, como os núcleos da rafe do tronco cerebral, são menos. No entanto, o neurotransmissor que eles produzem, a serotonina, é quase uma parte integral do vocabulário comum. Sua importância para as funções vitais é inestimável.

Em termos neurológicos, um núcleo é uma acumulação de corpos neuronais, mais ou menos delimitados, que, graças à sua capacidade computacional, processam um determinado tipo de informação ou desempenham uma ou mais funções específicas. Na verdade, graças aos núcleos, o cérebro e o resto das estruturas nervosas dividem suas funções e as otimizam.

Os núcleos da rafe foram identificados no início do estudo do sistema nervoso. No entanto, a serotonina foi identificada pela primeira vez no trato digestivo.

Serotonina

Onde estão localizados os núcleos da rafe?

O termo “rafe”, em relação a qualquer localização anatômica, refere-se a uma linha ou fenda que separa duas partes simétricas do corpo. Ele foi escolhido para designar esses núcleos pois eles estão dispostos em torno da linha média do tronco encefálico, localizado entre o cérebro e a medula espinhal.

Do ponto de vista funcional, são considerados componentes da chamada formação reticulada, que inclui muitas outras estruturas distribuídas por todo o sistema nervoso e que desempenham um papel fundamental na ativação cortical ou no estado de vigília.

Desde a medula espinhal até o mesencéfalo, os núcleos da rafe estão distribuídos em quase todos os níveis do tronco encefálico. Sua organização se dá em pares de seis núcleos aproximadamente equidistantes, embora esta disposição possa variar.

Definição e funções

Dentre todos os locais de onde o cérebro libera serotonina sintetizada, os núcleos da rafe constituem o local primário. Assim, uma vez produzida, essa substância se projeta praticamente em todo o sistema nervoso central.

Apesar do tipo de neurotransmissor que produzem, esses núcleos são compostos por outros tipos de células; dependendo do núcleo da rafe, as células serotoninérgicas representam, em proporção, entre 20% e 80% da composição celular total do núcleo.

Portanto, os neurônios que usam outros tipos de neurotransmissores como substância de comunicação primária também fazem parte da rede celular e, juntos, formam esses núcleos.

Por outro lado, como um todo, os núcleos da rafe costumam ser divididos em dois grupos:

  • Rostral – composto por grupos de núcleos localizados próximo à parte superior do tronco encefálico.
  • Caudal – seus núcleos estão localizados mais próximos da região inferior do tronco cerebral.

Os núcleos do grupo rostral contêm até 85% do total de neurônios serotoninérgicos do cérebro. Este grupo inclui os seguintes núcleos: núcleo caudal linear, núcleo dorsal da rafe e núcleo médio da rafe. De todos esses, o segundo representa a maior população de células produtoras de serotonina em todo o sistema nervoso.

O grupo caudal, que envolve um agrupamento menor de neurônios serotoninérgicos, é formado por: núcleo magno da rafe, núcleo escuro da rafe e núcleo pálido da rafe. Este último é o menor de todos os núcleos da rafe.

As funções nervosas atribuíveis originalmente aos núcleos da rafe são diversas e complexas, pois são muitas as projeções neuronais que partem deles e se estendem pelo sistema nervoso.

Visão lateral do cérebro

Existem, de forma cientificamente comprovada, várias funções particulares cuja origem pode ser atribuída aos próprios núcleos da rafe, embora esse conhecimento não seja considerado completo hoje. De todos os tipos neuronais encontrados nesses núcleos, os serotoninérgicos são de longe os mais estudados em relação ao comportamento humano.

A seguir, explicaremos a maioria das funções relacionadas a esses núcleos nervosos:

  • Os neurônios serotonérgicos que viajam do núcleo dorsal da rafe para outros núcleos no tronco cerebral desempenham um papel importante na regulação dos ciclos de sono e vigília. Esses neurônios, em momentos de alerta, apresentam um alto grau de atividade; durante a fase REM do sono, entretanto, eles costumam ficar inativos.
  • Os ritmos circadianos também são influenciados pela conexão que o núcleo supraquiasmático estabelece com o núcleo anterior e com o núcleo médio da rafe.
  • O núcleo dorsal da rafe e o núcleo magno estão envolvidos nos processos naturais de inibição da dor. Os circuitos da medula espinhal responsáveis ​​pela transmissão dos sinais de dor são parcialmente inibidos pela intervenção de projeções que partem desses núcleos.
  • A serotonina, que atua em várias partes do corpo e no sistema nervoso, tem uma forte ligação – direta ou indireta – com estados emocionais e com o humor; sua participação na regulação destes parece fundamental. Este neurotransmissor também está relacionado ao comportamento agressivo.

Embora a serotonina seja importante para um grande número de funções mentais relevantes, esses núcleos também não deixam de sê-lo, pois são os principais sintetizadores desse neurotransmissor no sistema nervoso.

Pode interessar a você...
Células gliais: a base funcional do cérebro
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Células gliais: a base funcional do cérebro

O cérebro é um órgão complexo formado por vários tipos de células. Entre as mais importantes, encontramos as células gliais. Saiba mais sobre elas ...