O fascinante experimento do stimoceiver

julho 15, 2019
Depois que o Dr. José Manuel Rodríguez Delgado conduziu os seus experimentos com o stimoceiver, começou um debate mundial. A razão? Ele abriu as portas para uma nova ideia: é possível controlar o cérebro humano através da tecnologia?

O stimoceiver foi um dos experimentos neurocientíficos mais controversos da história, mas também um dos mais fascinantes. Trata-se de implantar um dispositivo no cérebro para controlar o comportamento. Foi inventado pelo cientista espanhol José Manuel Rodríguez Delgado.

Dito de uma maneira muito simples, esse dispositivo permitiu direcionar o comportamento de organismos biológicos à distância. É como um controle remoto que, quando ativado, provoca estímulos elétricos em certas áreas do cérebro e faz um animal ou um ser humano agir de uma maneira específica.

O inventor do stimoceiver, José Manuel Rodríguez Delgado, recebeu fortes críticas. Embora o seu objetivo fosse promover a compreensão do cérebro e abrir um caminho para reabilitar certas funções cerebrais, especulou-se que o que ele realmente queria era produzir um aparato para manipular a mente e direcionar ou condicionar o comportamento.

“O que você vê e o que você lê não é o que realmente acontece”.
-Donald J. Trump-

Ilustração digital do cérebro

O famoso experimento com o stimoceiver

Depois de inventar o stimoceiver, Dr. Rodríguez Delgado fez uma experiência que lhe deu fama mundial. Aconteceu em maio de 1965, em Córdoba (Espanha). Rodríguez escolheu um cenário muito peculiar para realizar o teste do seu dispositivo: uma praça de touros.

Era uma pequena praça de touros e havia apenas uma dúzia de testemunhas. Para o experimento com o stimoceiver foi escolhido um touro chamado Lucero. Dizem que vários toureiros começaram a mexer com o animal, enquanto o cientista esperava atrás de uma vala.

A certa altura, o médico saiu muito bem vestido, de camisa e gravata. Nas mãos, ele segurava somente um controle remoto. Pouco a pouco, ele se aproximou de Lucero que, quando o viu, investiu com fúria.

Quando ele estava perto o suficiente, o cientista ativou o seu controle remoto. Então, houve um choque elétrico no cérebro de Lucero e ele desistiu do ataque.

Em 23 de maio do ano seguinte, o Dr. José Manuel Rodríguez Delgado estava na capa do New York Times e todos souberam que havia uma maneira de controlar o cérebro.

O criador do stimoceiver

O Dr. José Manuel Rodríguez era estagiário da Universidade de Yale desde 1946. Em 1950, ingressou no departamento de fisiologia da universidade a convite do famoso cientista John Fulton. Apenas uma década depois, ele já estava testando o seu stimoceiver.

As primeiras experiências foram feitas com gatos e depois com macacos. Dizem que Rodriguez os transformava em brinquedos que faziam tudo o que ele queria. Então, chegou a hora de fazer o grande teste público na praça de touros de Córdoba. Com isso, todos testemunharam esse incrível avanço.

Delgado mostrava que era possível produzir radioestimulação direta no cérebro, particularmente nas áreas da amígdala e do hipocampo. Para isso, foi implantado no cérebro um pequeno transmissor de rádio que era operável por controle remoto. É simples e complexo ao mesmo tempo.

Os testes com animais e humanos

A primeira vez que o Dr. Rodriguez Delgado falou da possibilidade de controlar o comportamento foi no final dos anos 1940. Mais tarde, ele teve a oportunidade de viajar para as Bermudas, mais exatamente a um lugar chamado Ilha de Hall.

Lá, ele conseguiu inserir pequenos “estimuladores” ou stimoceivers no cérebro de um grupo inteiro de macacos gibões. Pouco tempo depois, conseguia controlar o comportamento desses animais, a ponto de vários deles se rebelarem contra os “machos alfa”, algo que seria impensável de uma maneira natural.

A partir de 1952, ele começou os experimentos com seres humanos. As suas “cobaias” eram basicamente pacientes mentais do hospital de Rhode Island, em Massachusetts. Segundo o Dr. Rodríguez, ele só usava pacientes pelos quais a ciência não podia fazer mais nada.

Cérebro com fundo azulado

A experiência controversa

A maioria dos resultados dos experimentos realizados com o stimoceiver foram registrados no livro ‘O Controle Físico da Mente’, publicado pelo Dr. Rodríguez Delgado em 1969. Ele registrou 25 implantes em seres humanos, a maioria deles em pessoas que sofriam de esquizofrenia ou epilepsia.

Ele dizia que os radiotransmissores poderiam permanecer no cérebro por toda a vida. Além disso, ele conseguiu gerar múltiplos estados e emoções, como alegria, concentração profunda ou relaxamento extremo.

Ele foi acusado de fazer parte de um programa da CIA para controlar a mente humana. Nunca ficou totalmente esclarecido se era verdade ou não.

A realidade é que o stimoceiver atuou como um precursor de outros dispositivos que estão sendo testados atualmente para melhorar as condições de doenças como o Parkinson e o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

  • Diéguez, A. (2017). Transhumanismo: la búsqueda tecnológica del mejoramiento humano. Herder Editorial.