7 maneiras de prevenir problemas de comportamento

abril 2, 2019
Não há melhor técnica de disciplina do que a prevenção. No entanto, prevenir problemas de comportamento requer tempo e esforço.

Os problemas de comportamento de crianças e adolescentes costumam ser motivo de estresse para pais, educadores e professores. Mesmo que não os tenhamos vivido de maneira direta, sabemos que as condutas e os comportamentos desafiadores de crianças e jovens podem ser uma verdadeira dor de cabeça. A boa notícia é que prevenir problemas de comportamento é possível.

Fazer isso requer tempo e esforço. No entanto, essa dedicação pode ser um investimento valioso que pode não apenas economizar muito tempo a longo prazo, mas também favorecer uma vida familiar muito mais feliz e mentalmente saudável.

“Eduquem as crianças e não será necessário castigar os homens”.
-Pitágoras-

Conselhos para prevenir problemas de comportamento

Crianças e jovens podem apresentar problemas de comportamento por vários motivos. Tentar entender o que essa criança quer ou o que motiva esse comportamento é um passo importante para prevenir problemas de comportamento.

Também é importante analisar em que circunstâncias ocorrem os problemas de comportamento. Assim, será possível analisar em que medida você pode agir sobre aquilo que as reforça. Em qualquer caso, embora as necessidades de cada criança sejam diferentes, existem algumas medidas que, em geral, podem ajudar a prevenir problemas de comportamento.

Chaves para prevenir problemas de comportamento

Desenvolver uma relação saudável

Ter uma relação saudável com a criança ou com o adolescente torna mais provável que este esteja mais motivado a se comportar bem. As crianças e os jovens são mais propensos a seguirem regras e a se comportarem bem se se sentirem amados e respeitados.

Esta relação saudável inclui, necessariamente, que o adulto proporcione bastante atenção positiva à criança, várias vezes ao dia. Isso envolve conversar com ela sobre todos os tipos de assuntos (não apenas os sérios). Também ouvi-la quando ela precisa falar sobre suas coisas, fazer atividades divertidas e convidá-la a fazer parte das tarefas. Quanto mais forte o relacionamento com a criança, mais motivada ela estará para ouvir e seguir algumas regras.

Regras e consequências

O melhor é que as regras não sejam muitas e que estejam claras e justificadas. Não se trata apenas de se comportar bem, mas também de criar um sistema de valores que dará às crianças orientações que lhes sirvam de referência, que lhes deem confiança. Por outro lado, as crianças devem saber claramente o que se espera delas com essas regras.

Além disso, as consequências serão estabelecidas e explicadas previamente. Em relação a isso, é importante saber claramente e deixar evidente que as consequências não são uma vingança ou algo que se “paga” por ter se comportado mal. Terão outros propósitos, como estimular a reflexão ou reparar o mal causado.

Ensinar comportamentos adequados

Às vezes, o que consideramos um mau comportamento ocorre porque as crianças não sabem o que fazer em determinadas circunstâncias. Por isso é importante analisar o que está acontecendo com elas. A criança está nervosa? Não sabe como reagir diante de uma situação que gera estresse? A situação a supera?

Uma vez identificado o problema, é importante ensinar a criança a entender e a administrar suas emoções. Também é importante ensinar-lhe maneiras alternativas de se comportar, maneiras socialmente apropriadas de se expressar. Por outro lado, lembre-se de que quando as crianças entendem seus sentimentos, são mais propensas a terem um bom comportamento.

Muitas crianças que demonstram um problema de comportamento melhoram quando têm uma rotina clara e organizada

Proporcionar uma estrutura e uma rotina

Muitas crianças que demonstram um mau comportamento melhoram quando têm uma rotina clara e organizada, adequada às suas necessidades e possibilidades. Nela haverá um tempo de estudo, um tempo de descanso, um tempo para praticar esportes, um tempo suficiente para as refeições e tempo livre, assim como horários de sono que permitam um descanso suficiente.

Quando as crianças integram uma rotina clara em seu dia a dia, contam com espaços onde podem tomar a iniciativa e desfrutam da companhia de adultos que confiam nelas. Assim, é mais fácil ter um bom comportamento.

Ser positivo e reconhecer as coisas boas

Quando o comportamento de uma criança é difícil, as coisas positivas que ela faz podem acabar sendo ignoradas. No entanto, devemos prestar atenção, reforçando aquilo que nos agrada. Será uma maneira de educá-la, e também de lhe dar referências e fortalecer sua autoestima.

Quando algo positivo é feito, você tem que reconhecê-lo e recompensá-lo. Não se trata de dar recompensas materiais. Um sorriso, um abraço, um beijo e/ou um reconhecimento verbal reforçarão de maneira positiva esse comportamento e darão à criança a indicação de que algo bom foi feito.

Ignorar os comportamentos negativos

Essa técnica não é válida para todos os casos de mau comportamento, mas para muitos, especialmente para os que se baseiam em chamar atenção. Consiste em ignorar o comportamento que se quer eliminar.

Ao reagir a um comportamento negativo, geralmente o que se consegue é reforçá-lo, já que a criança pretende chamar atenção. Ao ignorá-la, a criança acaba se cansando.

O problema é que, enquanto surte efeito, o comportamento pode piorar. Por isso é importante permanecer firme. Em qualquer caso, é preciso aplicá-la com cuidado e complementar esta estratégia com medidas subsequentes (por exemplo: ensinar comportamentos alternativos)

Limitar o uso de celulares e videogames

O abuso da tecnologia móvel e dos videogames pode gerar comportamentos agressivos nos jovens, isolá-los de seu entorno e encorajar comportamentos indesejáveis, além de comportamentos gerais de dependência.

Esta é uma questão muito delicada que não deve ser deixada ao acaso; pais e educadores devem levar isso muito a sério. Ensinar as crianças e os jovens a usar essas tecnologias com responsabilidade deve fazer parte da educação para prevenir não apenas problemas comportamentais, mas muitos outros.

O abuso da tecnologia móvel e dos videogames pode gerar comportamentos agressivos nos jovens

A importância de administrar o estresse

Muitos problemas de comportamento das crianças são decorrentes de situações de estresse. Cansaço, superestimulação, excesso de tarefas e responsabilidades, falta de exercício e/ou falta de tempo de lazer são alguns dos motivos que levam as crianças a sofrer de estresse.

O estresse observado no ambiente, especialmente em pais e professores, também faz com que as crianças se sintam mais estressadas. De fato, muitos problemas de comportamento seriam evitados se as crianças crescessem em ambientes tranquilos, cercadas por adultos que soubessem controlar seus impulsos e administrar suas emoções.