Os 4 alimentos mais viciantes

Seu efeito sobre o cérebro é muito semelhante ao das drogas. Embora sejam muito calóricos, parece impossível parar de comê-los.
Os 4 alimentos mais viciantes

Última atualização: 27 Outubro, 2021

Existem diversos alimentos que se caracterizam por serem muito viciantes. É necessário moderar a sua presença na dieta alimentar. Caso contrário, sua saúde pode ser colocada em risco. É importante lembrar que um dos pilares de uma boa orientação nutricional é a variedade. Além disso, esses alimentos que vamos apresentar não são significativos no que diz respeito a micronutrientes e antioxidantes.

Antes de entrar no assunto, você deve saber que existem certas substâncias que provocam a liberação de neurotransmissores associados à sensação de felicidade a curto prazo. O açúcar é uma delas. Sua ingestão regular pode acabar, portanto, causando uma espécie de vício. Estamos falando de um elemento que não é positivo para o corpo quando consumido em excesso, então é preciso ter cuidado com ele.

A seguir, vamos dizer quais são os alimentos mais viciantes que você pode consumir. Isso não significa que eles nunca devam aparecer na dieta, mas que a sua ingestão deve ser moderada para não causar uma alteração negativa dos hábitos alimentares.

Quais são os alimentos mais viciantes?

1. Pizza

A pizza é uma das comidas mais famosas da Itália, que se espalhou rapidamente pelo mundo. Segundo um estudo publicado na revista Clinical Chemistry , os carboidratos de alto índice glicêmico têm a capacidade de gerar algum vício, além da obesidade. A pizza está carregada destes elementos, presentes sobretudo na massa.

Porém, é possível fazer pizzas de qualidade, desde que os ingredientes do recheio sejam escolhidos corretamente. Também é necessário escolher massas que contenham farinha integral em sua composição. Mesmo assim, é preciso lembrar que se trata de um prato bastante calórico.

2. Chocolate

O chocolate é outro dos alimentos mais viciantes. Isso se deve ao açúcar presente no seu interior. Sua ingestão provoca a liberação de dopamina, um neurotransmissor que está ligado à felicidade em um curto período de tempo. Uma alta síntese deste elemento pode ocasionar a necessidade de um estímulo maior, o que leva a comer mais.

Como regra geral, de acordo com pesquisas publicadas na revista Phychology of Addictive Behaviors, os alimentos são mais viciantes quanto maior o seu grau de processamento. O ideal seria evitar o consumo de chocolates industrializados com alto teor de açúcares simples. É muito melhor optar pela versão amarga, com um percentual elevado de cacau.

Mulher comendo chocolate

3. Biscoitos

Os biscoitos contêm açúcares simples e uma boa quantidade de gorduras trans. Graças aos dois elementos, suas características organolépticas são invejáveis, o que faz a alegria de muitos. No entanto, seu consumo contínuo pode gerar dependência, além de não ser nada positivo para a saúde.

Na verdade, os biscoitos são um dos piores produtos a incluir na dieta regular, apesar de muitos pais os oferecerem aos filhos todos os dias no café da manhã. Eles são capazes de impactar negativamente a saúde metabólica, causando um aumento na incidência de diabetes tipo 2.

4. Batata frita

Outro concentrado de gordura trans. Mesmo usando um óleo de boa qualidade para fritar, os lipídios fornecidos por esses alimentos não são de qualidade. Eles conseguem aumentar os níveis de inflamação no corpo, o que é prejudicial para a saúde a médio prazo.

Seria bom ter em mente que quanto mais gorduras trans forem incluídas na dieta, maior será o risco de adoecer com o tempo.

Homem comendo batata frita

Cuidado com os alimentos mais viciantes

Como você viu, alguns alimentos consumidos com frequência podem ser muito viciantes. Todos eles estão incluídos no grupo dos processados, tirando a pizza e o chocolate em determinadas ocasiões. O melhor é que a sua presença na alimentação seja pontual, para não gerar problemas de saúde.

Por fim, lembre-se que, além de cuidar da alimentação, é necessário promover outros bons hábitos de vida para o bom funcionamento do organismo. É necessário praticar atividade física regularmente e garantir uma boa noite de sono, de pelo menos 7 horas seguidas.

Pode interessar a você...
O cérebro e a alimentação: comer de forma saudável não é tão fácil quanto parece
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O cérebro e a alimentação: comer de forma saudável não é tão fácil quanto parece

O cérebro e a alimentação possuem uma relação direta que devemos considerar. As emoções têm uma grande influência no que comemos.



  • Lennerz, B., & Lennerz, J. K. (2018). Food Addiction, High-Glycemic-Index Carbohydrates, and Obesity. Clinical chemistry64(1), 64–71. https://doi.org/10.1373/clinchem.2017.273532
  • Schulte, E. M., Sonneville, K. R., & Gearhardt, A. N. (2019). Subjective experiences of highly processed food consumption in individuals with food addiction. Psychology of addictive behaviors : journal of the Society of Psychologists in Addictive Behaviors33(2), 144–153. https://doi.org/10.1037/adb0000441