O papel do cérebro no controle do peso

O papel do cérebro no controle do peso é decisivo, embora não seja o único aspecto que o influencia. No entanto, muitas dietas falham porque não levamos em consideração como o hipotálamo regula a sensação de fome.
O papel do cérebro no controle do peso

Última atualização: 25 Março, 2021

O papel do cérebro no controle do peso é decisivo. Isso é o que vários neurocientistas concluíram sobre o assunto. É claro que não é o único fator, mas é um dos essenciais. O apetite dos seres humanos nem sempre é desencadeado ou perdido por fatores exclusivamente físicos e fisiológicos.

A questão do peso corporal é uma das grandes preocupações atuais. Para as pessoas comuns, porque temos padrões estéticos cada vez mais severos. Para os médicos, porque a obesidade é um fator de risco para centenas de doenças, assim como a magreza excessiva.

Comer é uma necessidade, mas saber comer é uma arte”.
-La Rochefoucauld-

Existem milhares de pessoas no mundo que estão fazendo dieta na esperança de perder alguns quilos. No entanto, elas nem sempre funcionam. E ainda há aquelas que funcionam para alguns, mas não para todos. Isso se deve, em grande parte, ao fato de que o papel do cérebro no controle do peso não é levado em consideração. Vamos ver um pouco mais sobre o assunto a seguir.

A fome é um fenômeno complexo

Até pouco tempo atrás, a fome era considerada uma simples contração do estômago, que ocorria quando um organismo não havia ingerido alimentos. Dizia-se que o corpo era como uma máquina: precisava de combustível para funcionar. Se ele gastasse aquele “combustível”, ele teria que ser reposto.

Hoje, sabe-se que o assunto é mais complexo e que há uma influência do cérebro no controle do peso. A fome é uma coisa e o comportamento alimentar é outra. Estudos demonstraram que as pessoas continuam sentindo fome, embora seus estômagos tenham sido removidos por motivos médicos.

Atualmente, sabe-se que o hipotálamo é a parte do cérebro responsável por regular a sensação de fome e de sede. Esta área detecta certos sinais do sistema endócrino e digestivo. Então, ele determina que é hora de comer algo e, assim, comunica ao corpo. Além disso, também define quando já comemos o suficiente.

A fome é um fenômeno complexo
Hipotálamo

O hipotálamo e a saciedade

Quando o corpo precisa ingerir alimentos, a área lateral do hipotálamo é ativada. Se alguém tivesse removido essa área, não sentiria necessidade de comer. Se o apetite já foi satisfeito, essa área lateral é desativada e a zona central inferior do hipotálamo, ou hipotálamo ventromedial, é ativada. Se alguém tivesse essa parte removida, nunca pararia de comer.

Agora, o sinal que diz “chega” é ativado graças a uma substância liberada pelo intestino chamada de glp-1. Ela viaja pela corrente sanguínea até o cérebro, alcançando o hipotálamo. Quando ele recebe uma quantidade suficiente dessa substância, a vontade de comer desaparece.

O problema é que, entre o momento em que você come e o momento em que o hipotálamo recebe aquele sinal, 10 minutos se passam. Portanto, se comermos rápido, provavelmente só nos sentiremos satisfeitos quando tivermos comido mais. Por outro lado, se comermos devagar, provavelmente comeremos apenas o suficiente.

Mulher tomando iogurte natural

O papel do cérebro no controle do peso

O exposto acima nos dá uma ideia da importância do cérebro no controle do peso, mas não esgota o assunto. A neurocientista Sandra Aamodt estudou o tema em detalhes. Nesse sentido, ela nos dá um conselho que vale por mil: coma quando estiver com fome. Parece muito simples, mas não é tanto assim.

Aamodt ressalta que o cérebro tem um ponto de ajuste: ele sabe qual é o seu peso ideal e regula seu apetite de acordo. O problema é que nem todas as pessoas obedecem estas sensações. Elas se privam de comer quando sentem fome ou comem demais, mesmo quando se sentem saciadas. Se esses padrões anormais persistirem por mais de dois anos, o hipotálamo estabelecerá um novo ponto de ajuste.

Isso significa que o hipotálamo estabelecerá um novo peso ideal. Assim, quem come pouco ficará abaixo do peso e não sentirá fome, mesmo que seu corpo precise de mais nutrientes. E quem come demais vai sentir fome, mesmo que já tenha comido o que o seu corpo precisa. É assim que o cérebro opera no controle do peso.

Portanto, perder peso se torna mais difícil, pois o cérebro vai resistir com unhas e dentes a permitir que você coma menos do que ele definiu como o padrão correto. O conselho, então, é preventivo: coma quando tiver apetite, pare quando estiver satisfeito. Isso vai poupá-lo de muitos problemas.

Pode interessar a você...
Tratamentos eficazes para combater a obesidade
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Tratamentos eficazes para combater a obesidade

Combater a obesidade é algo que muitas pessoas desejam. No entanto, não são poucas as que falham em sua tentativa. Por que isso acontece?



  • Machado, M. V., & Montero, G. U. (2010). Regulación del peso corporal y del apetito. Acta Médica Costarricense ISSN 0001-6012, 52(2).