“Paperman”, um curta onde você descobrirá a magia do destino

· julho 9, 2016

“Paperman” conta uma história de amor. Neste curta vamos descobrir o desejo de amar e de ser amado, e como o destino sutil e teimoso decide de repente “nos conectar” a alguém para dar luz a nossos mundos acinzentados e motivação aos nossos corações adormecidos…

Estamos diante de uma deliciosa produção de Disney que em 2013 ganhou o Oscar de melhor curta-metragem de animação. É uma produção para a qual o tempo não passa, porque a sua mensagem é universal e porque em cada um dos seus quadros se intui uma emoção com a qual toda criança e todo adulto consegue se identificar.

Frequentemente costumamos dizer que não conhecemos as pessoas por acidente, e sim que o destino é quem escolhe o momento e seus protagonistas. Mais tarde, seremos nós mesmos que teremos que sintonizar os nossos rumos se assim quiserem nossos corações.

John Kahrs, o diretor de “Paperman” comenta que teve a ideia deste curta-metragem enquanto estava no metro de Nova York. Ele se inspirou nessas “conexões” que de vez em quando fazemos com um estranho: um olhar, um gesto, um sorriso, e depois nunca mais voltamos a nos encontrar. A não ser que o destino queira e obviamente, nós mesmos também…

Quando o destino nos escolhe, nós decidimos

O destino ganha forma e personalidade neste curta e o faz sendo “o terceiro protagonista”: o vento. “Paperman” nos faz viajar a essa Nova York dos anos 40 onde os protagonistas estão mergulhados no inicio do seu dia de trabalho, nas suas rotinas. Até que, de repente, uma pequena rajada de vento estabelece uma súbita conexão entre um jovem casal trazendo o inesperado: um olhar, um sorriso, uma emoção…

É o destino que nos coloca no caminho de outra pessoa, mas depende de duas pessoas caminharem juntas ou não.

Os fatos mais significativos costumam ter inícios casuais, como o que vemos em “Paperman”. São sutilezas criadas pelo próprio destino para nos mostrar uma oportunidade, e o convite direto para que sejamos nós mesmos a darmos forma a essa “conexão”, que de repente liga os motores dos nossos corações.

curta-metragem-paperman

O poder da força de vontade

Uma coisa que nos atrai neste curta, que merecidamente ganhou o Oscar, é o seu tom de nostalgia. Frequentemente, costuma-se dizer que as lembranças definem o que somos, e na maior parte do tempo somos nostalgia, somos passado.

  • “Paperman” usa com muita habilidade os tons de cinza, a ambientação e a música para estabelecer essa conexão emocional com nossas lembranças para que nos sintamos maravilhosamente identificados com os personagens.
  • A maioria das pessoas já viveu esse tipo de coincidência, esses caprichos do destino onde talvez não houve suficiente coragem ou vontade para que tal fato casual tomasse forma.
  • O protagonista se transforma então nesse alter ego com o qual nós tanto nos identificamos. A sua vontade, seu esforço e determinação o levam às mais incríveis situações para se conectar novamente com a garota sonhada, mas o vento, parece que durante um tempo, decide ser desfavorável…

Quando o vínculo vai além da coincidência

Como e por que estabelecemos um vínculo especial com uma pessoa determinada e não com outra é uma coisa que a ciência ainda não conseguiu definir com precisão.

  • Às vezes os olhares são como espelhos nos quais olhamos para ver parte de nós mesmos, para experimentar uma coisa um tanto familiar, misteriosa e desafiadora ao mesmo tempo, que nos diz que é essa, que ali está a pessoa sonhada.
  • O protagonista se sente exatamente assim, porque apesar de ter sido a mão do acaso que lhe trouxe esse rosto, esse olhar maroto e esse beijo de carmim em um dos seus papéis, ele compreende que o vínculo foi estabelecido e que vale a pena lutar por ele. Por isso, decide inundar a cidade de aviões de papel com os quais captar a atenção da garota…

curta-metragem-paperman

Persevere e alcance os seus sonhos

“Persevere e alcance os seus sonhos”. Esta seria sem dúvida a mensagem que “Paperman” nos passa e que o seu diretor quis transmitir. Na nossa existência rotineira não costuma acontecer com muita freqüência este tipo de instantes cheios, não apenas de magia, como também de oportunidades.

É o destino que às vezes move seus fios, mas se não formos capazes de captar a sugestão, se estivermos focados apenas em nossos celulares e não levantarmos o olhar, o mais certo é que não saberemos ler as inúmeras pistas que as coincidências nos dão.

Uma vez identificadas, só é preciso colocar em prática três ingredientes essenciais: paixão, motivação e perseverança. O processo para alcançar esse sonho não será exatamente fácil, de fato, o protagonista desse curta se dá por vencido, mas pouco a pouco esse vento turbulento e teimoso acaba por lhe oferecer sua ajuda da forma mais surpreendente.

Convidamos você a descobrir e compartilhar este curta, porque quem acredita no destino também deve confiar em si mesmo para alcançar seus objetivos pessoais.