Por que é tão difícil falar sobre sexo?

17 Março, 2021
Falar sobre sexo pode ser complicado para muitos, mas você já parou para pensar nas consequências de não o fazer e de não poder expressar as suas dúvidas?

O sexo é um aspecto importante da vida das pessoas. Estamos rodeados de elementos que nos lembram dele constantemente: anúncios, músicas, séries, filmes, revistas… Porém, ao contrário do que se poderia esperar, falar sobre sexo ainda é muito complicado para a maioria de nós.

Apesar de todos os avanços sociais ocorridos nas últimas décadas, o sexo tem um certo ar de tabu. Seja com nossos parceiros, amigos ou familiares, se abrir para outras pessoas e conversar sobre esse assunto pode nos deixar muito desconfortáveis.

A explicação mais simples para isso é que muitas vezes, quando falamos sobre sexo, estamos compartilhando aspectos muito íntimos do nosso ser, elementos ainda censurados ou incômodos para a sociedade. E isso, logicamente, gera relutância.

Razões pelas quais é difícil falar sobre sexo

A seguir, examinaremos as principais razões pelas quais a comunicação com outras pessoas sobre este tema é tão difícil.

O objetivo é poder falar mais abertamente sobre sexo, quando realmente quisermos fazê-lo. Alguns desses motivos são:

1- Medo de ser diferente

Para muitas pessoas, a principal razão pela qual é difícil falar sobre sexo é porque elas têm certas ideias irracionais a respeito. O mais comum é que acreditem que se expressarem o que pensam sobre o assunto, os outros as julgarão ou rejeitarão.

Essa ideia parte do mito de que só existe uma maneira certa de desfrutar a sexualidade. Devido a certas pressões sociais, pensamos que temos que fazer sexo de uma forma específica imposta socialmente.

Qualquer coisa fora da prática sexual aceita é errada ou estranha. No entanto, a realidade é que existem tantas maneiras de desfrutar do sexo quanto pessoas que o praticam. Portanto, não existe uma maneira única de expressar a nossa sexualidade.

Casal conversando em casa

A maioria de nós já sentiu que somos diferentes dos outros em algumas questões sexuais. Embora algumas pessoas realizem práticas menos comuns, nenhum ato que envolva sexo consensual entre dois adultos precisa ser negativo.

Portanto, a primeira coisa que devemos fazer para falar sobre sexo é aceitar o que nos torna diferentes. Em geral, se formos capazes de nos abrir, nos sentiremos mais livres e satisfeitos por podermos expressar os nossos pensamentos e sentimentos.

2- Medo da rejeição

Este é um dos problemas que mais nos impedem de falar sobre sexo com o nosso parceiro: ter relações com outra pessoa pode fazer com que nos sintamos muito vulneráveis. Em geral, ficamos especialmente preocupados em ser rejeitados quando nos encontramos em uma situação sexual.

Esse medo pode fazer com que não expressemos na frente do nosso parceiro o que gostamos ou queremos fazer. E o problema de agir assim é óbvio: se não dissermos ao outro o que queremos, é praticamente impossível acabarmos satisfeitos com a relação sexual.

Portanto, se quisermos desfrutar do sexo plenamente, teremos que aprender a nos abrir para a pessoa com quem vamos ter o encontro e a ser sinceros sobre os nossos gostos, preferências e expectativas.

Por outro lado, o nível de vulnerabilidade que a situação sexual traz consigo pode ser muito desconfortável para algumas pessoas. A este respeito, como conselho prático, você pode avançar aos poucos no processo que finalmente leva ao contato sexual.

Por exemplo, você pode começar expressando um desejo que ainda não foi discutido com o parceiro, mas que não seja difícil compartilhar. Se uma reação positiva for percebida, você aumentará a confiança necessária para se expressar cada vez mais.

Nesse sentido, conversar sobre sexo com a outra pessoa pode servir como forma de gerar mais confiança entre os membros do casal, para que essa abertura à questão sexual cumpra uma dupla função.

3- Acreditar que não deveria ser necessário falar sobre sexo

Algumas pessoas acham desnecessário falar sobre sexo. Essa crença irracional nos leva a pensar que todos deveríamos simplesmente saber do que o nosso parceiro gosta e, portanto, tememos que perguntar possa ser considerado uma indicação de que não estamos à altura.

Essa forma de pensar é tão prejudicial quanto falsa. A realidade é que o prazer sexual é muito complexo e cada pessoa é diferente. É impossível saber de antemão o que faz cada indivíduo desfrutar do ato sexual.

Portanto, falar com o parceiro é essencial para desfrutar plenamente dos nossos encontros. Só assim você poderá saber o que a outra pessoa deseja e espera. Isso, é claro, deve ser um esforço mútuo: não podemos conhecer totalmente os gostos da outra pessoa sem perguntar, nem ela precisa adivinhar os nossos.

Amigos conversando em café

Nesse sentido, até que você seja capaz de falar abertamente sobre sexo com o seu parceiro, será muito difícil para ambos se sentirem totalmente à vontade no nível sexual. Cada um manterá uma crença errônea sobre o outro o que os levará a agir de forma inadequada.

Agora que você já conhece o lado negativo de não ser capaz de se expressar livremente e de não compartilhar as suas dúvidas e preocupações sexuais, queremos incentivá-lo a se livrar dos seus complexos e ser capaz de compartilhar com outras pessoas o que você sente e pensa sobre sexo.

  • Aracelys, B. S. (2003). Sin temor hablar de sexo. La Habana: Editorial, 77-80.
  • Cameron, D., & Kulick, D. (2016). Hablar de sexo y pensar en sexo: La lingüística y la construcción discursiva de la identidad. La manzana de la discordia2(1), 93-111.
  • Duncker, P. (1995). Introducción. Hablar de sexo. Las mujeres hablan del sexo. Barcelona: Serres, 19-30.