Os preceitos de vida dos samurais

Os preceitos de vida dos samurais foram herdados, em grande parte, das artes marciais. São princípios válidos para enfrentar inimigos ou situações difíceis. Vale a pena conhecê-los.
Os preceitos de vida dos samurais

Última atualização: 22 Junho, 2021

Os samurais desenvolveram uma série de preceitos de vida, alguns dos quais estão no Bushido. Eles eram guerreiros treinados não apenas em habilidades de combate, mas também davam uma grande importância à sua educação mental e espiritual.

Outros preceitos foram adotados por algumas artes marciais, adaptando-os à filosofia de cada uma delas. É assim que, atualmente, várias dessas artes marciais contêm guias para viver, cuja origem remonta aos samurais.

O karatê, em particular, adotou vários desses preceitos de vida. Hoje, eles estão contidos no Dojo Kun, um texto que condensa essas orientações. Embora sejam projetados para as artes marciais, são perfeitamente aplicáveis ​​à vida de qualquer pessoa. Esses preceitos são os seguintes.

“Aprender com a prática é como empurrar um carro morro acima: se você afrouxar, ele retrocederá.”
– Provérbio japonês –

O respeito e o primeiro ataque nos preceitos de vida dos samurais

O primeiro dos preceitos de vida desta filosofia diz que tudo começa e termina com o respeito. Este é o valor máximo e deve ser utilizado tanto com os outros quanto com você mesmo. Se o respeito não for o princípio orientador, o caos se instala.

O segundo preceito diz que “o primeiro ataque não existe”. Refere-se ao fato de que, ao se deparar com uma agressão, a reação deve ser dar um tempo ao outro para que ele perceba o seu erro e se arrependa. Qualquer confronto deve ser evitado, até chegar ao ponto de ser essencial para uma legítima defesa.

Homem observando o mar

A justiça e o conhecimento

A justiça nasce de uma reflexão serena em que cada um deve se perguntar se o que está fazendo é correto. Quando a resposta for afirmativa, é aconselhável persistir no comportamento ou tomá-lo como exemplo.

Outro dos preceitos de vida dos samurais diz: “Conheça primeiro a si mesmo e depois os demais”. Se você não se conhece, está sempre em perigo. Se você não conhece os outros, será difícil agir em sintonia com eles.

O espírito

Um dos preceitos de vida essenciais indica que os valores espirituais estão acima de muitos outros. Não existe habilidade ou técnica que valha a pena se não for inspirada em sólidos valores do coração.

Complementando o anterior, existe um preceito que diz: “Você tem que libertar a sua mente”. Isso significa deixá-la fluir, aprender a conhecê-la e a interpretá-la. Evite o desejo de controlá-la, já que isso é inútil, e a cultive para que vá livremente para onde deve ir.

O descuido e o cultivo

O controle contínuo das nossas ações e a prudência são essenciais para evitar calamidades. Por outro lado, é importante cultivar com igual cuidado todos os aspectos que fazem parte da nossa vida: a mente, o corpo, o espírito, a técnica, etc. As habilidades se reforçam mutuamente.

Outro dos preceitos de vida dos samurais diz que os compromissos de crescimento e autocuidado são pactos feitos consigo mesmo por toda a vida. Por isso, os hábitos devem ser consolidados aos poucos, com o firme propósito de mantê-los.

A diligência e o desejo de não perder

Não é suficiente aplicar os preceitos de vida de forma aleatória e eventualmente. Para levar uma existência significativa e pacífica, é necessário imprimir perseverança e diligência para esse fim. A falta de compromisso nunca leva ao sucesso.

Os samurais e os praticantes de artes marciais também insistem na ideia de que, antes de tentar derrotar os outros, o que se deve buscar é não perder. Em qualquer confronto, isso é o suficiente. Basta estar fora do alcance dos inimigos.

Adaptação e confiança

Outro dos preceitos da vida dos samurais diz que diante de um inimigo, ou de uma dificuldade, a qualidade mais importante é a adaptação. Precisamos nos adaptar à forma de ser dessa dificuldade ou desse inimigo. Nem todos os obstáculos são enfrentados da mesma maneira.

Da mesma forma, apontam que o fato de ter superado grandes problemas no passado não garante a vitória no presente ou no futuro. Embora a experiência seja importante, a confiança exagerada pode ser traiçoeira.

Prudência e atenção

Os guerreiros samurais apontam, metaforicamente, que quando uma pessoa deixa a sua casa, fica exposta a muitos perigos. Portanto, principalmente ao se mover em terrenos desconhecidos, é melhor manter um certo grau de cautela.

Eles também falam sobre estar atento; recomendam que isso se aplique à mente, mas não ao corpo. A mente deve estar em uma atitude de atenção constante. O corpo, por outro lado, deve estar relaxado, ou então criará concepções errôneas nos outros.

Mulher de olhos fechados

Concentre-se, mova-se e esteja consciente

Para enfrentar dificuldades ou inimigos, é necessário manter o equilíbrio, atualizando constantemente o ponto de apoio. Deve-se voltar ao centro físico e mental para evitar ficar em uma posição fragilizada. Também é importante saber como se mover: para frente, para trás ou parado. Tudo isso depende de cada situação; é um exercício de inteligência.

Finalmente, o último dos preceitos de vida dos samurais fala sobre a importância da consciência. Este é aquele que dirige todas as nossas ações e lhes dá sentido. Não estar consciente é como não viver.

Esses preceitos de vida foram projetados, basicamente, para a luta. No entanto, como você pode ver, eles se aplicam a qualquer situação, especialmente diante de uma dificuldade ou um problema.

Pode interessar a você...
Código bushido: conheça os 7 princípios do vencedor
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Código bushido: conheça os 7 princípios do vencedor

O código bushido é um antigo catálogo de princípios que nasceu no Japão e foi originalmente praticado estritamente pelos samurais.



  • Cantero, J. (2014). Regreso al origen: Camino en la búsqueda de la paz y la felicidad. Vergara.