Preciso falar com alguém

24 Outubro, 2020
Há momentos em que a vida dói e as emoções nos prendem. Precisamos desabafar esse emaranhado de medos, ansiedades e preocupações, mas... com quem é melhor conversar? Falaremos mais sobre o assunto a seguir.

“Preciso falar com alguém”. Todos nós, em algum momento, sentimos essa necessidade. São situações em que certos sentimentos nos parecem demais; momentos limites em que as emoções se enredam, nublando a mente, destruindo perspectivas e dificultando até mesmo a respiração. Medo, ansiedade, tristeza… por onde começar?

Se há algo mais importante do que esclarecer por onde começar a desembolar o emaranhado desses pensamentos e sentimentos, é saber com quem fazer isso. Porque não é possível fazer isso com qualquer pessoa. Porque nem todo mundo está disposto a ouvir.

Além disso, às vezes, podemos até cometer erros ao buscar o apoio dos nossos entes queridos: parceiro(a), amigos, família… Uma palavra mal colocada ou um conselho do qual não precisamos é o suficiente para agravar ainda mais o problema e piorar o humor já fragmentado.

Desabafar, revelar algo específico, buscar apoio… Nem todo mundo é competente para esta tarefa. Porque, na verdade, procuramos algo mais do que apenas falar ou comunicar, queremos pessoas-espelho nas quais possamos nos ver sem sermos julgados.

Queremos pessoas que nos ajudem a parar de sentir angústia. Precisamos também daquelas que curam com os olhos e com a presença…

Preciso falar com alguém

Preciso falar com alguém: por que, com quem e como

Nada define o ser humano tanto quanto a sua capacidade de se comunicar. Porém, apesar de todos usarmos a competência linguística com solvência e eficácia, o mesmo não ocorre com a comunicação emocional. Nesse sentido, é comum surgirem problemas. É difícil para nós, há relutância, e o que é mais comum: não fomos educados para falar sobre o que dói e preocupa.

Um estudo realizado na Purdue University (Estados Unidos) pelo Dr. Brant R. Burleson indica como é importante para todos nós ter o apoio emocional nos nossos relacionamentos mais próximos. Agora, é importante deixar clara uma nuance: ter um bom “suporte emocional” nem sempre é sinônimo de ser capaz de “falar com sinceridade” com uma pessoa.

Para entender melhor, daremos um exemplo. Podemos contar com a proximidade e apoio emocional do nosso companheiro(a) ou até mesmo da nossa mãe. No entanto, quando precisamos falar com alguém, essas pessoas podem não ser adequadas. Porque nos aconteceram coisas que não queremos que essas pessoas saibam ou, simplesmente, porque embora nos amem muito, não são as pessoas certas para desabafar determinadas coisas. Vamos mergulhar um pouco mais fundo nesse assunto.

Por que é necessário falar com alguém quando estamos passando por um momento difícil

Seja porque algo aconteceu, ou porque nos sentimos no limite, oprimidos, estressados, preocupados… O ser humano precisa, às vezes, colocar para fora o que está oprimindo-o. Portanto, algo tão elementar, mas poderoso, como falar e comunicar as emoções é sempre a melhor estratégia por estes motivos:

  • Você sente que está finalmente “fazendo algo”. Falar é um mecanismo ativo e, portanto, você já está conquistando algo positivo e saudável para você. É uma mudança, e toda mudança é boa.
  • Ao falar com alguém, você não está apenas oferecendo informações e extravasando o que sente. Ao se comunicar, você também ouve a si mesmo, e este exercício atua como um espelho e permite que você se descubra.
  • Quando expressamos pensamentos, sentimentos e emoções, percebemos que, de certa forma, as coisas não são tão terríveis quanto pensávamos. O silêncio nos envolve e geralmente agrava o que sentimos; quando falamos, as tensões diminuem e vemos algo mais leve.

Com quem conversar?

Quando precisamos falar com alguém, nem todo mundo serve. Isso é algo que devemos deixar claro desde o início. Às vezes, não importa o quanto uma pessoa nos ame; ela pode não ser a pessoa certa por vários motivosVamos analisar o motivo para isso em mais detalhes.

  • Ao falar com alguém sobre o que dói e o que preocupa, precisamos de uma pessoa que respeite a nossa privacidade. A última coisa que deve acontecer é que aquilo o que confidenciamos seja compartilhado com terceiros.
  • Precisamos de alguém que saiba ouvir e estar presente. Nada mais. A última coisa que a outra parte deve fazer é nos dar um feedback, desafiar o que dizemos e falar sobre o que ela faria na nossa situação.
  • Essa pessoa deve ser alguém que não nos julgue, que não questione ou critique o que dizemos. Caso isso aconteça, podemos nos sentir ainda piores do que antes.
  • Da mesma forma, é necessário que esta figura tenha aqueles traços que tanto facilitam a comunicação emocional: empatia, proximidade, escuta ativa, sensibilidade, humanidade…

Às vezes, um amigo pode nos ajudar. Porém, outras vezes, a figura mais indicada quando precisamos falar com alguém é um psicólogo. Além das características indicadas, ele também possui as ferramentas para nos ajudar a lidar com o problema.

Jovem triste

Preciso falar com alguém: por onde começo?

“Quando preciso falar com alguém, nem sempre sei por onde começar. Minha cabeça está cheia de sensações, pensamentos e emoções. Além disso, me sinto exausto É esse cansaço prolongado que me deixa ainda mais desordenado … Portanto, nem sempre sei como começar a falar.”

Este é, sem dúvida, o estado mais comum das pessoas que procuram a terapia pela primeira vez ou que simplesmente decidem se abrir com uma pessoa próxima. Em todos os casos, é apropriado ter algumas estratégias simples em mente que podem nos ajudar.

  • Explique como você se sente no momento presente, aqui e agora. Liberte o que neste exato momento vier à sua mente e o que você está sentindo por dentro.
  • Não tenha vergonha se a sua voz tremer. Não se preocupe se as lágrimas surgirem, deixe-as. Fale sem medo; você está em um lugar seguro, e demonstrar as emoções é algo saudável e necessário. Você se sentirá melhor.
  • Explique há quanto tempo você se sente assim.
  • Tente descobrir a origem e converse sobre ela. Esclareça.
  • Seja sincero, recorrer à meia verdade ou encobrir algo não irá ajudá-lo. Se você precisa falar com alguém, é porque é hora de liberar o que está dentro de você. Liberte-se de todas as barreiras.
  • Tente usar o pronome pessoal “eu” o tempo todo. Isso permitirá que você canalize as emoções (eu sinto, eu temo, eu acredito que…)
  • Olhe nos olhos do seu interlocutor. A proximidade da outra pessoa vai guiá-lo com carinho para que você possa falar com comodidade.

Para concluir, a maioria de nós passará por algum momento em que sentiremos a necessidade de falar com alguém. Vamos escolher bem. Não esqueçamos também que, nessas situações, as pessoas mais indicadas são sempre os profissionais da psicologia.

  • Burleson, Brant. (2003). The Experience and Effects of Emotional Support: What the Study of Culture and Gender Differences Can Tell Us About Close Relationships, Emotion, and Interpersonal Communication. Personal Relationships. 10. 1 – 23. 10.1111/1475-6811.00033.