Procure o que você deseja encontrar

· julho 3, 2016

O psicólogo e escritor Viktor Frankl perguntava aos seus pacientes instáveis e com problemas: “Por que você não comete suicídio?” Nesse momento, os pacientes imaginavam o processo e entendiam que não era isso que eles queriam, e além disso, Frankl percebeu que o que dava sentido à vida do paciente era encontrar a razão pela qual ele se agarrou à vida.

Portanto, não se trata simplesmente de procurar uma razão, mas sim de buscar a razão que queremos encontrar para dar significado à nossa existência. A técnica utilizada pelo Dr. Frankl foi a psicologia reversa, ou seja, você faz os pacientes acreditarem que querem fazer algo que eles realmente não querem. Dessa forma se produz o que é chamado de “reatância psicológica” já que nos opomos a algo que nos ordenam ou nos é imposto porque restringe a nossa liberdade individual.

O Dr. Viktor Frankl foi internado durante a Segunda Guerra Mundial em Auschwitz, Dachau e outros campos de concentração, e essa experiência o levou a refletir sobre o sentido da vida. Frankl afirmou que todos nós temos um porquê ou por quem viver, uma razão que nos mantém indo adiante todos os dias, que nos motiva e que dá sentido a cada segundo da nossa existência, a cada passo que damos ou a cada ação que tomamos.

Como procurar o que você quer encontrar

Mulher-olhando-o-horizonte

A maneira de dar sentido às nossas vidas é fazendo perguntas a nós mesmos que nos conduzam a nossa verdadeira paixão, rumo a aquilo que realmente queremos, não ao que as outras pessoas desejam para nós. Trata-se de encontrar uma fonte de energia verdadeira dentro de nós, uma faísca que, em seguida, pode nos potencializar.

O sentido da nossa vida é dado por nós mesmos, mais ninguém. Algumas das perguntas que podemos fazer a nós mesmos com o objetivo de encontrar o sentido da nossa existência são as seguintes:

Qual é a coisa mais importante da sua vida?

Se você soubesse que sua vida iria acabar amanhã, o que você faria, com quem você estaria, em que lugar do mundo você gostaria de estar ou qual lugar você gostaria de visitar? Todos nós temos uma razão para viver, pessoas que nos completam, que nos fazem seguir em frente.

Quem você admira?

A pessoa que você admira encarna aquilo que talvez seja o que você deseja encontrar, aquilo que você sonha, o que você deseja ser. Olhe para aquela pessoa que você admira, pergunte-se por que você a admira e reflita sobre as conclusões que você tirar. Às vezes isso pode nos ajudar a descobrir o que queremos, o que daria sentido ao que vivemos todos os dias e o que temos que mudar para de obtê-lo.

O que você faria todos os dias sem cobrar nada em troca?

Todos nós fazemos algo que amamos, que realmente nos motiva e que estaríamos disposto a fazer gratuitamente todos os dias pelo simples prazer de desfrutar dessa atividade que nos move. Pode ser qualquer atividade: artesanato, pintura, mecânica, escrita, dança, cinema, etc. Isso é algo que vai fazer parte do sentido que você está procurando.

O que nos impede de alcançar o que desejamos?

Há dois fatores essenciais que nos impedem de maneira constante de buscar o que queremos encontrar: o medo e a opinião social a respeito daquilo que desejamos fazer.

Você consegue imaginar o que você faria se não tivesse medo? O medo é um obstáculo complicado, um inimigo invisível que apela ao nosso instinto de sobrevivência para nos paralisar. Pense em como você vai estar dentro de 5 anos se não superar esse medo que você sente agora. É uma imagem impressionante, não é mesmo?

mulher-sentada-triste

Além disso, o que os outros pensam ou dizem, por mais que neguemos, é algo que nos influencia negativamente e freia a nossa busca por aquilo que desejamos. Somos influenciados pelas opiniões dos nossos amigos, nossos familiares ou do nosso parceiro(a), mas pergunte a si mesmo: O que você quer?