Regra de Goldwater: não especule sobre a saúde mental dos outros

Não devemos atribuir rótulos ou transtornos mentais a outras pessoas que não conhecemos bem. A Regra Goldwater nos exorta a não falar ou especular sobre a saúde mental de outras pessoas.
Regra de Goldwater: não especule sobre a saúde mental dos outros

Última atualização: 18 maio, 2022

A Regra Goldwater é uma declaração ética emitida em 1972 pela Associação Psiquiátrica Americana (APA) que estipula algo muito básico. Não podemos especular sobre o estado mental dos outros se eles não tiverem sido avaliados pessoalmente. Isso afeta principalmente figuras públicas, a quem é comum atribuir arbitrariamente vários distúrbios ou problemas clínicos sem saber.

Este é um fenômeno frequente tanto na mídia pública quanto na esfera privada. Por exemplo, aconteceu há alguns anos quando Donald Trump chegou a Casablanca e começaram a se especular sobre os possíveis transtornos que ele poderia sofrer. Relatórios sem referências válidas fervilharam ao longo de seu mandato.

Acontece com Vladimir Putin ou Kim Jong-Un. Muitos falam de transtornos do espectro autista, personalidade narcisista e até psicopatias. Colocamos termos arbitrários em pessoas públicas (e controversas), e quanto mais chamativos, melhor. Da mesma forma, também é comum arriscar hipóteses quando uma pessoa conhecida tira a própria vida.

A verdade é que poucos de nós conhecem a realidade de cada pessoa. Estamos completamente alheios às suas complexidades, suas histórias e suas particularidades. Cada um de nós é dono de sua própria vida e singularidades psicológicas e ninguém, absolutamente ninguém, pode ou deve julgar com ignorância e desde a distância.

mulher sofrendo cyberflashing

O que é a regra de Goldwater?

A regra de Goldwater pretendia proibir psiquiatras e psicólogos de diagnosticar alguém que eles não avaliaram pessoalmente. Isso, que foi afirmado na década de 1970, tornou-se mais importante em 2017, quando Donald Trump se tornou presidente dos Estados Unidos.

De repente, começaram a ser publicados artigos sobre sua saúde mental. Profissionais de psicologia foram entrevistados em vários meios de comunicação para tentar definir o que estava por trás do comportamento do presidente. O Comitê de Ética da APA lembrou a toda a sua comunidade que era errado diagnosticar especulativamente figuras públicas.

Pensemos que toda especulação lançada ao acaso e sem ter feito qualquer tipo de avaliação prévia da pessoa leva muitas vezes ao uso do preconceito. Além disso, com esses comentários não científicos e rigorosos, há também uma tendência a estigmatizar muitos transtornos mentais. Figuras como Diana de Gales em sua época e Robin Williams foram objeto constante desse tipo de especulação.

Qual é a origem dessa norma ética?

Pesquisas, como as realizadas na Emory University e na University of Melbourne, destacam a história e o significado da regra de Goldwater. Ela remonta a 1964, quando o senador do Arizona Barry Goldwater, um candidato republicano, concorreu para derrubar o então presidente dos Estados Unidos, Lyndon B. Johnson.

O fato é que Goldwater não teve sucesso. É verdade que suas ideias sobre questões tributárias não pegaram, assim como sua atitude agressiva contra a URSS. No entanto, o fato que derrubou completamente sua carreira política foi um artigo em que 1.189 psiquiatras opinaram sobre sua saúde mental. Eles o declararam inapto para o cargo de presidente.

Imagine o impacto de ter um grupo de psiquiatras dizendo que ele era um líder cujo pensamento fazia lembrar Hitler, Castro ou Stalin. Também disseram que ele apelava ao sadismo e à hostilidade inconsciente. A opinião pública validou essa opinião. Foi um parecer jornalístico emitido sem que nenhum desses profissionais tivesse avaliado o candidato Barry Goldwater.

Como podemos imaginar, a revista foi processada por difamação. Eles foram condenados a pagar uma multa de US $ 75.000, e a Associação Psiquiátrica Americana (APA) foi forçada a promulgar a Regra Goldwater para proibir esses diagnósticos especulativos.

Barry Goldwater foi um senador que perdeu sua candidatura à presidência por causa de um artigo publicado no qual mais de 1.189 psiquiatras deram opiniões infundadas sobre sua saúde mental. Alegações foram publicadas de que ele era um assassino em massa no coração e que odiava e temia sua esposa.

Barry Coldwater

Uma regra e um princípio ético para  debater

A Regra Goldwater protege a todos nós, não apenas figuras públicas. Ninguém pode especular sobre nossa saúde mental ou tentar encontrar um rótulo que explique por que nos comportamos de certa maneira. Embora seja verdade que vivemos em uma época em que se fala muito mais sobre problemas psicológicos, existem formas adequadas e inadequadas de fazê-lo.

Muitas vezes, caímos no viés fácil, no preconceito que prejudica. Normalizamos realidades clínicas como depressão ou ansiedade, mas continuamos a atribuir esses transtornos a comportamentos e atitudes inadequados ( ele é fraco, não sabe encarar as coisas; herdou isso da mãe que também está errada…).

Continuamos a reforçar preconceitos negativos sobre condições como esquizofrenia ou transtorno de personalidade limítrofe. São rotulados como problemáticos e até perigosos, sem compreender a complexidade dessas realidades. Todos nós falamos sem saber. Todos nós pensamos sem saber. Especulamos sobre os outros de forma arbitrária e também desumana, sem respeito ou sensibilidade.

A regra de Goldwater não se aplica apenas a psicólogos e psiquiatras. Portanto, deixemos de comentar e especular sobre a saúde mental dos outros sem saber. É uma questão de respeito e também de ética.

Pode interessar a você...
O contrato de Ulisses: o presente que afeta o futuro
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O contrato de Ulisses: o presente que afeta o futuro

O contrato de Ulisses é um documento no qual o paciente declara as instruções e diretrizes a serem seguidas em situações de perda de controle.



  • Armontrout JA, Vijapura S. A Resident Perspective on the Goldwater Rule. J Am Acad Psychiatry Law. 2017 Jun;45(2):249-252. PMID: 28619868.
  • Lilienfeld SO, Miller JD, Lynam DR. The Goldwater Rule: Perspectives From, and Implications for, Psychological Science. Perspect Psychol Sci. 2018 Jan;13(1):3-27. doi: 10.1177/1745691617727864. Epub 2017 Oct 12. PMID: 29024609.
  • Park S. C. (2018). The Goldwater Rule from the Perspective of Phenomenological Psychopathology. Psychiatry investigation15(2), 102–103. https://doi.org/10.30773/pi.2018.01.25