Relatório social: uma ferramenta fundamental no serviço social

Você sabe o que é o relatório social? Saiba tudo sobre ele a seguir.
Relatório social: uma ferramenta fundamental no serviço social

Última atualização: 30 Maio, 2021

Os profissionais do serviço social dispõem de várias ferramentas essenciais para o desenvolvimento da profissão. Uma delas é o relatório social, essencial para os assistentes sociais, pois nele captamos a realidade social dos usuários. Além disso, é um instrumento que permite avaliar e orientar as intervenções.

Existem outros recursos utilizados no serviço social, também importantes, além do relatório social (Conselho Geral de Serviço Social, 2012):

  • Ficha social: essa ferramenta nos ajuda a sintetizar as informações mais importantes do usuário do ponto de vista burocrático.
  • Histórico social: é o documento no qual são registrados exaustivamente os dados pessoais, familiares, de saúde, habitacionais, econômicos, profissionais, educacionais… de uma pessoa usuária. Também há a demanda, o diagnóstico e a subsequente intervenção e a evolução de tal situação. Ou seja, no histórico social, tanto o passado quanto o presente mais imediato são incluídos.
  • Escalas de avaliação social: instrumento científico que serve para identificar situações sociais em um determinado momento. Permite elaborar um diagnóstico social.
  • Projeto de intervenção social: ferramenta que inclui uma avaliação-diagnóstico da situação e das pessoas envolvidas, assim como a determinação de objetivos operacionais, atividades e tarefas, utilização de recursos, distribuição do tempo e critérios de avaliação.

Esses cinco documentos são os que, basicamente, constituem o eixo através do qual se trabalha, uma vez que se considera que eles contêm as informações mais relevantes.

“O assistente social não administra a miséria, ele defende a dignidade”.
-Ana Lima-

O relatório social

O que é o relatório social e quais são os seus objetivos?

Segundo Pérez (2000), o relatório social é uma síntese explicativa sobre uma determinada situação, emitida pelo assistente social como resultado do estudo, da avaliação e da opinião para a conquista de um objetivo específico.

O Conselho Geral do Serviço Social da Espanha, no Código de Ética (2012), define esse conceito da seguinte forma: “Parecer técnico que serve de instrumento documental elaborado e assinado exclusivamente pelo profissional de serviço social. O seu conteúdo é derivado do estudo, através da observação e da entrevista, e reflete em síntese a situação objeto, a avaliação, um parecer técnico e uma proposta de intervenção profissional”. Os objetivos do relatório social seriam os seguintes:

  • Estudo, conhecimento e avaliação de uma situação social individual ou grupal, a fim de tratá-la para modificar ou amenizar tal situação.
  • Fornecer informações para poder desenvolver um plano de intervenção.
  • Facilitar o trabalho multidisciplinar e interdisciplinar.
  • Permitir aos usuários o acesso a recursos.

Todos os relatórios devem coletar dados que nos permitam identificar a realidade social do indivíduo. Embora existam muitos tipos de relatório, praticamente todos possuem o mesmo conteúdo.

Estrutura

Como dissemos anteriormente, todos os relatórios sociais devem reunir, em maior ou menor grau, os mesmos dados:

  • Dados de identificação.
  • Características e dados pessoais. Estes incluem estado de saúde, problemas manifestados, antecedentes…
  • Dados familiares e de convivência. Estrutura familiar, apoio formal e informal, relações dentro da família
  • Dados financeiros e profissionais.
  • Características da moradia e do ambiente físico ao redor. Ou seja, distribuição da habitação, existência ou não de barreiras arquitetônicas, recursos da região (posto de saúde, locais de lazer e de tempo livre, comércio…).
  • Outros. Qualquer informação que o profissional considere relevante mencionar e que não esteja de acordo com as seções propostas.
  • Diagnóstico Social/Julgamento Profissional. Nesse ponto, são coletados tanto os “problemas” detectados no decorrer da avaliação quanto aqueles expressos pelo usuário. Além disso, o profissional pode refletir potencialidades e fragilidades que observou.
  • Tratamento/Orientação Social. Seriam as possíveis soluções que o assistente social acredita que podem acabar com os problemas estabelecidos no diagnóstico.

É importante mencionar que um relatório social deve ser sempre datado e assinado pelo profissional que responde pelas informações ali contidas.

Assistente social preenchendo relatório social

Usos do relatório social

Como se pode deduzir, o relatório social é feito e utilizado em diferentes âmbitos. É uma ferramenta utilizada em centros de saúde e hospitais, em residências e centros geriátricos, no âmbito penitenciário, nos serviços sociais, em ONGs e associações …

O assistente social pode preparar o relatório para si, para o resto da equipe disciplinar (psicólogo, terapeuta, médicos…), para encaminhar o usuário a outro profissional ou a outra intervenção e, também, por mandato institucional (exigência de juízes, peritos, etc.).

Concluindo, embora existam diversos instrumentos que facilitam o desenvolvimento da profissão do assistente social, o relatório social é um dos mais utilizados e mais importantes.

Pode interessar a você...
O papel dos serviços sociais na luta contra a pobreza
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
O papel dos serviços sociais na luta contra a pobreza

Você sabe como os serviços sociais atuam em situações de pobreza? Falamos de uma questão relevante para uma sociedade em que há cada vez mais desig...



  • Brezmes, Milagros. “Trabajo Social con individuos y familias”. Universidad de Salamanca. (2013)
  • del Trabajo Social, C. G. (Ed.). (2012). Código deontológico de trabajo social. Consejo General del Trabajo Social.
  • Gómez, M. I., Mas, P., Pérez, S., & Russo, S. (2002). Informe Social Análisis y Perspectivas. Secretaría Académica del Colegio de Trabajadores Sociales.. Recuperado28.
  • Rivero, L. P. (2000). La documentación específica en trabajo social, la historia, la ficha y el informe social. Cuadernos de trabajo social, (13), 75-90.