Se reinventar para sobreviver

Quando não resta opção, se reinventar pode ser a única maneira de sair da zona de conforto para sobreviver. No entanto, e se pudéssemos nos adiantar a estes momentos?
Se reinventar para sobreviver

Última atualização: 06 Abril, 2021

O que fazemos quando a vida não ocorre como planejado? Uma boa opção é a de se reinventar. A ideia de ir nessa direção pode ser motivada por uma crise (como costuma ocorrer), mas, na verdade, esse tipo de circunstância não é uma condição obrigatória para realizarmos mudanças importantes. De fato, fazer mudanças fora dos momentos de crise pode nos ajudar a prevenir situações de ansiedade e estresse elevados.

Imagine que estamos há cinco anos em uma empresa que nos deixa muito à vontade. Ao longo desse tempo, não fizemos nenhum curso para aprender coisas novas. Nós nos “acomodamos” e nos conformamos em simplesmente fazer o trabalho e receber o pagamento. Porém, um dia somos demitidos. A empresa está sofrendo prejuízos há um tempo e precisa reduzir o quadro de funcionários. De repente, nos vemos diante de um grande abismo.

Em tais situações, o estresse e a ansiedade podem surgir de maneira intensa. Somos capazes de entrar em uma espiral que nos arrasta com tanta força que acaba nos levando à depressão. Dessa forma, não resta outra opção que não seja se reinventar para sobreviver, pois precisamos que nossas necessidades básicas (alimentação, moradia, higiene, etc.) sejam garantidas. Será que não poderíamos ter nos antecipado?

Sair da zona de conforto para sobreviver

A zona de conforto é extremamente tranquila e, portanto, igualmente atrativa. Nela nós nos encontramos a salvo, até que um dia somos demitidos ou terminamos nosso relacionamento, por exemplo, abrindo espaço para a necessidade de agir em busca de alternativas nas quais não havíamos pensado. Isso é algo muito desagradável, ainda que seja uma oportunidade para despertar do piloto automático em que estávamos vivendo há muito tempo, como revela o artigo Programa de Redução do Estresse Baseado na Atenção Plena (Mindfulness).

Entretanto, sair da nossa zona de conforto apenas quando as circunstâncias exigem não é uma boa opção. Neste momento, a ansiedade diante da urgência para encontrar alguma solução se soma àquela que sentimos quando vagamos em território desconhecido. Por isso, uma boa atitude é agir de maneira preventiva, criando novas oportunidades antes mesmo que nossas necessidades exijam isso.

Peças de xadrez

Se reinventar para criar alternativas

Se reinventar não significa mudar a nossa essência. Em vez de aprendermos algo novo apenas durante o tempo em que estamos desempregados, podemos fazer isso com frequência sem nos tornarmos acomodados. Isso nos permite criar alternativas e, inclusive, nos antecipar às mudanças.

  • A formação nos faz crescer: ela nos permite adquirir conhecimentos que nos proporcionam não apenas títulos ou certificações, mas também competências que são úteis para a empresa em que trabalhamos ou para outras.
  • Adquirir novos conhecimentos traz recompensas: quando nos especializamos ou aprendemos algo “a fundo”, podemos crescer ou encontrar um trabalho com melhores condições. Isso é melhor ainda quando o aprendizado se relaciona ao que já fazemos.
  • Não precisamos estar infelizes para ir atrás: podemos rever semanalmente as novas ofertas de emprego que surgiram ou os apartamentos que foram colocados à venda. Isso pode nos fazer aproveitar as oportunidades enquanto estamos navegando por águas tranquilas.

O plano “B”

Se reinventar traz a grande vantagem de termos um plano “B” (e também C, D e E). Ao longo da nossa formação, pelos conhecimentos que adquirimos ou pelas oportunidades que aproveitamos, percebemos que somos capazes de criar alternativas às quais podemos nos apegar caso a situação atual mude.

De fato, podemos inclusive nos antecipar a essas mudanças quando nós mesmos mudamos primeiro. Podemos participar de entrevistas de novos empregos que nos ofereçam possibilidades de desenvolver novas habilidades ou nos coloquem em contato com pessoas que nos ajudem a alcançar objetivos específicos (ainda que a remuneração seja semelhante à atual). 

Mulher querendo crescer na vida profissional

Não espere para se reinventar. Avance!

Já sabemos que, dependendo das circunstâncias, podemos nos encontrar em lugares difíceis e com poucos recursos para escaparmos. Por outro lado, quando ficamos estagnados, deixamos de ser promovidos em nossa empresa e nos contentamos com o salário e com a rotina entediante que seguimos todos os dias. Dessa forma, nada muda. Ou seja: se repetirmos a mesma coisa, provavelmente teremos os mesmos resultados.

Portanto, a antecipação aos acontecimentos é uma boa política. Podemos empreender enquanto trabalhamos para os outros, o que nos permite ter duas perspectivas profissionais que são bem diferentes e, também, uma reserva caso sejamos demitidos.

Você já se reinventou alguma vez para sobreviver? Quantas vezes você já fez isso simplesmente pelo prazer de aprender, de se especializar ou para criar outras opções? Não é preciso dedicar nem quatro horas por dia. Frequentemente, com meia hora, é possível aprender um novo idioma ou uma nova habilidade. Não espere. Aprenda!

Pode interessar a você...
A resistência ao trabalho autônomo
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
A resistência ao trabalho autônomo

A resistência ao trabalho autônomo geralmente se deve à falta de autonomia e à intolerância à incerteza. Saiba mais sobre o assunto neste artigo.



  • Cabezas C. Síndrome de desgaste profesional, estrés laboral y calidad de vida profesional. FMC 1998; 5: 491-2.
  • Galobart A, Grau J, Sicras A, García G. Satisfacción profesional. Med Clin (Barc) 1995; 105: 76.
  • Mira JJ, Vitaller J, Buil JA, Rodríguez J. Satisfacción y estrés laboral en médicos generalistas del sistema público de salud. Aten Primaria 1994; 14: 1135-40.