O que é a teoria da expectativa-valor de Atkinson?

O valor que colocamos em nossos objetivos e as expectativas que temos determinam nossas motivações, de acordo com a teoria de Atkinson.
O que é a teoria da expectativa-valor de Atkinson?

Última atualização: 13 Outubro, 2021

Você já ouviu falar a respeito da teoria da expectativa-valor de Atkinson? Para começar a explicá-la, vamos dizer que o ser humano se move por impulsos, motivações e necessidades – podemos considerar que todos são vetores de força que direcionam, e em muitos casos determinam, os nossos comportamentos.

No âmbito científico, várias perspectivas de estudos têm sido delineadas com o objetivo de especificar sua influência. Uma delas é a que estuda os motivos secundários: aqueles que não têm base biológica, mas são aprendidos. Assim como os motivos primários, os secundários ativam e direcionam o comportamento para um objetivo. Seguindo essa linha, hoje abordaremos a teoria da expectativa-valor de Atkinson.

O papel desses motivos secundários não tem tanto a ver com a sobrevivência quanto o dos primários, estando mais relacionado ao desenvolvimento emocional. No entanto, alguns autores consideram que os motivos secundários estão acima dos primários, chegando até mesmo a condicioná-los.

Uma perspectiva clássica é aquela que considera que os motivos secundários funcionam como consequência de um impulso que gera uma necessidade, uma necessidade que surge do próprio sujeito. Dentro dessa perspectiva, junto com outros autores, está a teoria da expectativa-valor de Atkinson.

A perspectiva cognitiva da teoria de Atkinson

John William Atkinson (1923-2003) foi um psicólogo americano, pioneiro no estudo científico da motivação, rendimento e comportamento em humanos. Especificamente, ele estudou a motivação para a realização e introduziu elementos cognitivos ao analisar o comportamento centrado no objetivo.

A teoria da expectativa-valor de Atkinson é baseada em elementos cognitivos e é, portanto, uma teoria cognitivista dominante.

O cognitivismo é uma corrente da psicologia que estuda todos os processos e elementos que influenciam o nosso conhecimento e, portanto, indiretamente, o nosso comportamento. Esses elementos cognitivos são as expectativas sobre a realização de uma meta e o valor que atribuímos a ela.

Mente de uma pessoa com mecanismos

A teoria da expectativa-valor

A teoria da expectativa-valor (1957,1964) propõe que o alcance de uma meta é o resultado da multiplicação entre três componentes: o motivo (ou necessidade de realização), a probabilidade de sucesso (expectativas) e o valor de incentivo da tarefa.

Assim, esta teoria estuda três construtos: expectativas, valor e motivos. Vamos ver em que consistem.

  • Motivos: são disposições ou traços relativamente estáveis do sujeito que o impelem a se esforçar para resolver uma tarefa com sucesso e sentir orgulho dela, ou para evitar o fracasso. Quanto à origem dos motivos, Atkinson concorda totalmente com McClelland (1954) quando reconhece que, embora possam estar latentes, todos são aprendidos. Assim, a tendência das pessoas para um motivo ou outro determinará como esta se implica nas tarefas de realização.
  • Expectativas: são a percepção de probabilidade que uma pessoa tem sobre o cumprimento de um objetivo. Essa variável é definida por Atkinson como “um conhecimento prévio das consequências que podem ser derivadas de uma determinada atividade”.
  • Valor de incentivo: é o valor que atribuímos para alcançar um objetivo, podendo ser positivo ou negativo. Influencia o valor do incentivo e a complexidade da tarefa; quanto mais complexa uma tarefa ou meta, menos valor de incentivo ela terá para a pessoa.

O valor do incentivo, assim como as expectativas, variam de pessoa para pessoa. Por isso, são elementos cognitivos que marcam as diferenças individuais.

Em geral, se o resultado de uma atividade é fonte de satisfação, o valor do incentivo é positivo. Caso contrário, se o resultado for uma punição ou simplesmente tiver efeitos negativos, seu valor será negativo.

A teoria da expectativa-valor no desempenho acadêmico

Para ilustrar melhor o fenômeno do valor esperado, vamos examinar o seguinte caso. Vamos imaginar que queremos ser aprovados em uma matéria. O valor que atribuímos à aprovação é positivo e também elevado. Por outro lado, a expectativa de alcançar este objetivo é alta, pois já tivemos sucesso em exames anteriores. Nesse caso, a motivação para a realização é alta.

No entanto, vamos examinar um caso diferente. O valor de incentivo que damos para ser aprovados na matéria ainda é positivo, mas o nível de expectativa que temos sobre a aprovação é baixo. Também consideramos que a tarefa é complexa, com um nível de dificuldade muito alto. Nesse caso, a motivação será menor, pois as expectativas que temos são baixas ou nulas.

Por fim, se o valor que atribuímos à aprovação nessa disciplina for nulo ou negativo – já que não consideramos positiva a aprovação nessa disciplina – a motivação será baixa, embora tenhamos grandes expectativas de aprovação.

Menino estudando na biblioteca

A tendência para a realização e a tendência para o fracasso

Atkinson reformulou a teoria em 1966 e afirmou que o ser humano apresenta uma tendência a evitar o fracasso, e estabeleceu duas conclusões a respeito disso:

  • A tendência de evitar o fracasso é maior quando o nível de dificuldade da tarefa é intermediário.
  • Quando a dificuldade de uma tarefa permanece constante em uma pessoa, a tendência para evitar o fracasso é maior, desde que a razão para evitar o fracasso seja forte e não fraca.

Atkinson vê esse medo do fracasso como um motivo negativo e a tendência à realização como um motivo positivo relacionado à esperança de sucesso em alcançar um objetivo. Além disso, inclui nessa reformulação dois estados afetivos, como a satisfação ou orgulho em alcançar um objetivo e a vergonha por não o atingir.

Novos modelos

Outros modelos de expectativa-valor foram desenvolvidos por outros autores, incluindo novas variáveis conceituais. O modelo de expectativa-valor de Eccles e Wigfield (2002) afirma que a relação da expectativa e do valor que damos para a concretização de uma meta é positiva, enquanto para Atkinson essa relação era negativa.

Em suma, a teoria da expectativa-valor foi um marco no campo da motivação e da psicologia das diferenças individuais e tornou possível estudar as variáveis que influenciam o alcance dos objetivos. Por este motivo, é aplicável em diferentes áreas que envolvem a realização de metas ou objetivos, como âmbitos acadêmicos ou organizacionais.

Pode interessar a você...
A teoria das necessidades de McClelland
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A teoria das necessidades de McClelland

A teoria das necessidades de McClelland é um modelo que tenta explicar como as necessidades de sucesso, poder e pertencimento afetam as pessoas.



  • Arnau Gras (s.f.) El estudio de la motivación humana. Departamento de Psicología. Universidad de Barcelona.
  • Miñano Pérez, Pablo & Castejón Costa Juan Luis & Cantero Vicente Mª Pilar (2008) Predicción del rendimiento académico de las variables cognitivo-motivacionales de un modelo expectativa-valor. INFAD. Revista de Psicología, 1(4), 483-492.