Por que é tão difícil terminar uma relação amorosa?

Muitas pessoas se perguntam por que é tão difícil terminar um relacionamento, já que do lado de fora isso é visto como algo claro e simples. Nessas situações, geralmente há mais fatores do que podemos enxergar em uma primeira análise.
Por que é tão difícil terminar uma relação amorosa?

Última atualização: 25 Setembro, 2021

Via de regra, terminar uma relação amorosa não é uma tarefa fácil, especialmente se ela durou anos e muitos vínculos de dependência foram formados ao longo do caminho. Isso ocorre independentemente de ser você quem toma a iniciativa. No entanto, se um relacionamento não está dando certo, por que é tão difícil encerrá-lo?

O processo pós-separação é uma fase de luto. Perder um parceiro é uma mudança de hábitos marcada por um evento negativo, e o cérebro ativa as mesmas áreas de quando um ente querido morre.

Existem muitos fatores relevantes quando você está pensando em terminar a relação. Neste artigo, você poderá explorar o processo de luto que ocorre nesse momento, bem como as razões que impedem as pessoas de se separarem de seus parceiros.

O luto depois de terminar uma relação amorosa

Romper com seu parceiro desencadeia um mundo de sensações que variam conforme a pessoa e a qualidade do relacionamento, do alívio ao trauma. Porém, sempre existe um processo de luto em maior ou menor grau, pois envolve uma mudança no cotidiano e a perda de alguns aspectos positivos.

As mudanças também ocorrem no nível do cérebro. O córtex insular é ativado nos dias após o fim, criando a sensação de dor emocional. O núcleo accumbens, que processa ganhos e perdas, junto com a função de raciocínio do neocórtex, é colocado em funcionamento para analisar o que deu errado.

O córtex insular também é responsável por criar ansiedade quando há dor física.

Mulher triste

Fases de luto após a separação

Qualquer processo de luto é formado por fases. Isso pode variar dependendo da pessoa e das suas circunstâncias, mas há uma série de etapas que podem ser generalizadas para a maioria dos indivíduos:

  • Atordoamento: confusão e descrença predominam, principalmente nas pessoas que não esperavam o fim. Nesta fase há muita dor e tristeza, e às vezes espera-se que a outra pessoa se arrependa e volte.
  • Saudade e busca : ainda há o desejo de voltar ao ex-parceiro, mas outros sentimentos negativos começam a aparecer, como ressentimento ou ansiedade diante de cenários fictícios, como a infidelidade.
  • Desorganização: o isolamento social causado pelas fases anteriores e os sentimentos depressivos levam a essa fase de desesperança. A pessoa aceita que o outro não vai voltar e isso ainda causa dor. Há desinteresse nas atividades diárias.
  • Reorganização: a aceitação é internalizada e o foco da atenção se volta para si mesmo. Nesta fase, aumenta-se a distância social e tendemos a intensificar o processo de reconstrução vital, reativando a esfera social.

Por que é tão difícil terminar uma relação amorosa?

Considerando o processo de luto pelo qual é preciso passar, é comum resistir ao término de um relacionamento, mesmo que inconscientemente. Quando você tem a perspectiva de sofrer, é difícil dar esse passo.

Muitas vezes, especialmente em relacionamentos tóxicos, existem fatores que impedem a decisão de colocar um ponto final. Se quiser conhecê-los, você encontrará os mais importantes nas seções a seguir.

Dependência emocional

As pessoas que têm um relacionamento de dependência com o parceiro muito provavelmente sentirão que não conseguem enfrentar a vida sem ele. Geralmente isso vem acompanhado de baixa autoestima e medo da solidão.

As partes positivas do relacionamento

Embora os motivos para deixar um relacionamento sejam fortes e decisivos, em geral também é necessário abandonar os aspectos positivos. Muitas vezes, essas vantagens tendem a servir como atenuantes específicos do desconforto geral e geram dúvidas ao encerrar a relação.

Pressões externas

A cultura, a religião ou simplesmente os círculos mais próximos de uma pessoa podem pressioná-la a não abandonar seus relacionamentos. Por exemplo, a concepção de que o amor é para sempre e de que o divórcio é um fracasso pode dificultar o término de um relacionamento.

Responsabilidades conjuntas

Os filhos em comum costumam ser um dos motivos pelos quais uma pessoa fica com o parceiro, mesmo que não esteja feliz. A expectativa costuma ser de que os filhos sofram com a separação, e isso retarda a decisão.

Mãe conversando com sua filha

Uma última nota sobre a dificuldade de terminar uma relação amorosa

Existem situações mais graves que impedem uma pessoa de deixar seu parceiro. Vítimas de violência de gênero podem sofrer uma síndrome de adaptação paradoxal, na qual estabelecem um vínculo com o agressor e o justificam e protegem.

Esta é uma forma inconsciente de proteger a mente da situação extrema em que a vítima vive. Outras vezes, ela não abandona o agressor por temer por sua vida, pela de seus filhos, de terceiros ou de animais domésticos.

Como você pôde ver, quando uma pessoa avalia se deve terminar uma relação amorosa ou não, há muitos fatores que desempenham um papel importante na decisão. Fazer a coisa certa deve ser a prioridade e, se houver obstáculos sérios – como violência de gênero – é melhor buscar ajuda profissional.

Pode interessar a você...
O que fazer quando seu parceiro quer terminar a relação, mas você não?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O que fazer quando seu parceiro quer terminar a relação, mas você não?

Os relacionamentos podem acabar por diversos motivos. O complicado ocorre quando um dos dois quer terminar a relação, mas o outro não.



  • Gómez, A. M. (2001). Síndrome de adaptación paradójica a la violencia doméstica: una propuesta teórica. Clínica y salud12(1), 5-31.
  • García, F. E., & Ilabaca Martínez, D. (2013). Ruptura de pareja, afrontamiento y bienestar psicológico en adultos jóvenes. Ajayu Órgano de Difusión Científica del Departamento de Psicología UCBSP11(2), 42-60.