Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva (TECA)

dezembro 29, 2019
O Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva é um recurso tão útil quanto interessante. Sua finalidade é avaliar o grau em que somos capazes não apenas de nos conectar e sentir as emoções alheias, mas também de compreendê-las.

O Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva, de I. Fernández Pinto, B. López-Pérez e F. José García Abad, é um instrumento completo e fácil de aplicar. Desde a sua publicação em 2008, se manteve como um recurso altamente válido e confiável para avaliar a dimensão da empatia a partir dos componentes que a definem: a área cognitiva e a área afetiva.

Há pouco mais de um ano chegou ao mercado um livro interessante intitulado ‘The Empathy Effect’ (O Efeito da Empatia). Nele, Helen Riess, professora da Universidade de Harvard e diretora do programa de empatia do Hospital Geral de Massachusetts, analisou a falta desta dimensão no âmbito médico e organizacional.

De acordo com ela, muitas pessoas que têm um cargo de responsabilidade para com os demais continuam falhando nesta competência tão básica.

Alguém pode ser extremamente hábil e eficaz no seu trabalho. Pode ter diversos diplomas, um quociente de inteligência elevado e um cargo de liderança. No entanto, se não tiver empatia, surge um vazio. 

Há um buraco que enfraquece a habilidade de manter uma comunicação empática, de compreender o outro e chegar a acordos, criar alianças, vínculos, e fazer uso de uma inteligência emocional adequada.

Dispor, portanto, de recursos adequados para mensurar esta dimensão pode ser de grande ajuda. Por um lado, temos a oportunidade de fazer uso dos mesmos em vários âmbitos: social, organizacional e clínico.

Além disso, com ferramentas como o Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva, podemos conseguir que uma pessoa tome consciência da sua limitação em matéria empática e assuma a responsabilidade de trabalhá-la.

“Se as suas habilidades emocionais não são competentes, se você não tem consciência de si mesmo, se não consegue gerenciar suas emoções angustiantes, se não consegue ter empatia e manter relações afetivas, não importa o quão inteligente você for, não chegará muito longe”.
-Daniel Goleman-

Casal se olhando nos olhos

Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva (TECA): finalidade, características e confiabilidade

O Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva (TECA) foi elaborado com finalidades muito específicas. A primeira é proporcionar uma ferramenta rigorosa e fácil de aplicar em vários âmbitos. A segunda é dar forma a um questionário capaz de oferecer uma medida global da empatia da pessoa avaliada.

Portanto, a finalidade do TECA não é outra além de medir a capacidade empática a partir de uma aproximação cognitiva e afetiva. Fernández, et al. (2008), autores desse teste, consideram que a empatia é um fenômeno fundamental no estudo do comportamento humano. Portanto, dispor desse recurso é tão necessário quanto interessante.

Vejamos mais informações a respeito. 

Quais são seus âmbitos de aplicação?

O Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva (TECA) pode ser aplicado a partir dos 16 anos de idade. Esse recurso pode, portanto, ser usado no âmbito educativo, embora tenha sido desenvolvido com a ideia de ser útil em três cenários específicos. São os seguintes:

  • Âmbito clínico: para avaliar a relação da empatia nos transtornos psicológicos, bem como nos delitos e comportamentos criminosos.
  • Âmbito social: nesse cenário, o TECA é muito interessante para compreender melhor as condutas pró-sociais, a conduta moral, a agressividade, etc.
  • Área organizacional: como poderíamos supor, a empatia continua sendo fundamental para criar ambientes profissionais melhores, com um clima de trabalho mais agradável, reduzir o estresse, otimizar a comunicação e a produtividade, etc.

As quatro escalas do Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva (TECA)

O Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva (TECA) é composto por 33 itens (perguntas) com uma tipologia de resposta estilo likert. Ou seja, a pessoa avaliada deve escolher entre “concordo totalmente, concordo, não concordo nem discordo, discordo, e discordo totalmente”.

Cabe destacar que esse instrumento é usado com a finalidade de avaliar os dois componentes básicos da empatia, que são os seguintes:

  • Empatia cognitiva: capacidade de identificar e compreender as emoções de outras pessoas.
  • Empatia afetiva: capacidade de sentir e se conectar com as emoções, sensações e sentimentos dos demais.

Com o objetivo de avaliar estas duas áreas, o Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva é estruturado em quatro escalas:

  • Adoção de perspectivas: habilidade cognitiva da qual dispomos para poder compreender a visão, pensamentos e perspectivas dos demais.
  • Compreensão emocional: faz referência à capacidade de se conectar com as emoções, impressões e intenções daqueles que nos rodeiam.
  • Estresse empático: esta dimensão se refere à competência (ou não) de sintonizar com as emoções negativas dos demais.
  • Alegria empática. Em oposição ao ponto anterior, a alegria empática se refere à habilidade de compreender e detectar as emoções positivas dos demais.
Oferecer apoio a quem precisa

O TECA é confiável?

López-Pérez, Fernández-Pinto e Abad (2008), autores do Teste de Empatia Cognitiva e Afetiva, conseguiram criar um teste válido, confiável e muito fácil de aplicar (leva pouco mais de 10 minutos). Além disso, sua avaliação é baseada em pontuações percentuais obtidas a partir de uma ampla amostra da população geral de homens e mulheres adultos.

É um instrumento de alta confiabilidade, muito útil para avaliar pessoas a partir de 16 anos, que surge como um excelente recurso para qualquer empresa, centro de trabalho, centro de saúde ou órgão social.

A empatia é uma dimensão que todos deveríamos compreender melhor e potencializar em nós mesmos. Esse teste pode nos ajudar a fazer isso.

  • López, B.; Fernández-Pinto, I.; Abad, F.J. (2008). Test de empatía cognitiva y afectiva. Madrid: TEA Ediciones