O tronco encefálico: o tubo que contém uma borboleta

janeiro 5, 2020
Uma estrutura tão frágil quanto perfeita. O tronco encefálico poderia ser comparado a um trabalho de engenharia muito sofisticado. Tão sofisticado que qualquer desajuste nessa área tem consequências devastadoras para o resto do corpo e as funções vitais mais básicas.

O tronco encefálico é a estrutura cerebral em forma de tubo que está localizada na posição mais baixa do cérebro, perto da medula espinhal. De fato, parece uma extensão da mesma.

É a parte do cérebro que regula boa parte de nossas funções vitais autônomas ou parcialmente autônomas, como a frequência cardíaca e a respiração. É uma estrutura cerebral fundamental para a sobrevivência, e qualquer lesão nessa parte do cérebro pode ser fatal.

É um centro vital do nosso corpo e está dividido em várias áreas com funções específicas. A imagem da seção horizontal do tronco encefálico se assemelha à imagem de uma borboleta.

Um filme excepcional, O escafandro e a borboleta, conta a experiência de um homem que sofre uma lesão no tronco encefálico e acorda do coma com uma síndrome do encarceramento, porque muitas de suas funções foram danificadas.

Vamos conhecer a importância dessa estrutura cerebral a seguir.

O tronco encefálico

O tronco encefálico pode dar a sensação de ser “apenas” uma ponte entre a medula espinhal e o restante do sistema nervoso, mas é muito mais do que isso. Uma infinidade de fibras neuronais que passam através da medula espinhal estão alinhadas com o tronco do encéfalo.

É composto principalmente por massa cinzenta e substância branca. Quase todos os pares cranianos, ou nervos cranianos, saem do mesmo tronco encefálico. Assim, os impulsos nervosos enviados pela medula espinhal devem passar pelas diferentes regiões do tronco encefálico.

Dentro dessa estrutura, encontramos áreas que contêm ilhotas de massa cinzenta, e o mais conhecido é o núcleo vermelho do mesencéfalo. Outras áreas localizadas no exterior contêm substância branca.

Além das áreas bem definidas de massa cinzenta e substância branca, há outra área em que as duas substâncias se misturam: a formação reticular. Ou seja, possui tanto núcleos de controle quanto zonas de conexão muito importantes.

Divide-se em três seções ou subestruturas: o mesencéfalo, a ponte do tronco encefálico e a medula. Vamos vê-las a seguir.

Estruturas cerebrais

Partes do tronco encefálico

As três estruturas que compõem o tronco encefálico são:

  • Mesencéfalo. É a seção do tronco encefálico localizada no topo, perto do tálamo. É dividida, por sua vez, em outras estruturas. As mais importantes são o tectum (posição dorsal) e o tegmento (na base). Outra subestrutura importante do mesencéfalo é o aqueduto de Sylvius, por onde circula o líquido cefalorraquidiano, outra substância vital para o funcionamento do cérebro. Entre as principais funções do mesencéfalo estão o controle de certos movimentos, a reação reflexiva aos estímulos visuais e auditivos, a regulação da temperatura corporal e dos ciclos de vigília e sono.
  • Ponte tronco encefálica. Também chamada de ponte de Varólio. É a parte mais volumosa do tronco cerebral. Está localizada na parte do meio, entre o mesencéfalo e a medula. Sua principal função é conectar o mesencéfalo à medula, para que qualquer lesão nessa área afete as funções de ambos. O cerebelo está localizado na parte de trás da ponte do tronco cerebral. Em sua área mediana, contém a artéria basilar. Além de ser um importante centro nervoso para as funções do mesencéfalo e bulbo espinhal, a ponte do tronco encefálico é uma estrutura que, por si só, intervém em funções vitais, como o controle da respiração e regulação da consciência.
  • Bulbo raquidiano. É a parte mais baixa do tronco encefálico e se comunica diretamente com a medula espinhal. O bulbo contém subestruturas tão importantes quanto as pirâmides, que permitem a troca de fibras nervosas entre o cérebro e a medula espinhal. Controla processos automáticos vitais, como frequência cardíaca e secreção de substâncias gástricas.
Partes do cérebro

Outras funções

Além de funções vitais como consciência, respiração, frequência cardíaca e controle das secreções gástricas, o tronco encefálico intervém em outras funções importantes e básicas para nos manter vivos, como a regulação da temperatura corporal, a deglutição, o vômito, a tosse e a sensibilidade à dor.

É também o meio mais importante de comunicação entre o corpo e o cérebro. Através dele, passam tanto vias aferentes (corpo-cérebro) quanto eferentes (cérebro-corpo), fato que torna essa estrutura uma parte do cérebro fundamental para a sobrevivência.

O tronco encefálico poderia ser comparado a um trabalho de engenharia muito sofisticado. Tão sofisticado que qualquer desajuste tem consequências devastadoras para o resto do corpo. Lembre-se de que essa área é diretora de muitas de nossas funções vitais. Um tubo contendo uma borboleta cheia de vida.