O que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido

O que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido

dezembro 4, 2016 em Emoções 1005 Compartilhados
O que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido
“O que teria acontecido se…?”
Compartilhar

Quantas vezes nas nossas vidas já nos fizemos essa pergunta? Certamente mais do que deveríamos, já que provavelmente tomamos mais de uma decisão sem considerar muito as consequências da mesma, ou considerando-as, mas sem ter a clareza de que estas seriam as que gostaríamos.

Por isso, tire o tempo que você precisar, porque o que acontecer a partir deste momento será a única opção possível.

Escolha, porque este é o único jeito que existe

Quando somos forçados a escolher entre dois caminhos – que profissão seguir, que tipo de trabalho escolher, ou mesmo que destino escolher para viajar nas férias – chega uma hora em que um dos dois deixa de existir como opção. E isto acontece justamente no momento em que tomamos a decisão. É por isso que precisamos avaliar aquilo que consideramos importante para o nosso futuro, já que irá repercutir de uma forma ou de outra.

mulher-com-coroa-de-flores

Uma vez que escolhamos um dos caminhos, nos fazemos a pergunta “o que teria acontecido se…”, mas isso apenas serve para imaginar a vida que, na verdade, já não nos pertence. E não é verdade que, em um dado momento, isso pode inclusive nos prejudicar? Experimente então tomar a decisão que faça você mais feliz, já que essa será a única opção no futuro.

“Refletir de forma serena, muito serena, é melhor do que tomar decisões desesperadas.”
-Franz Kafka-

É normal sentir medo quando é preciso tomar certas decisões, mas isto não nos impedirá de escolher a melhor das opções: viver. Aconteça o que acontecer, o que ocorre está baseado na atitude que colocarmos no que fizermos; vontade, decisão e esperança são fundamentais para que aconteça aquilo que desejamos.

Não somos donos da casualidade

Às vezes as circunstâncias nos atormentam, especialmente quando nos sentimos responsáveis por alguma coisa que escapa por entre as mãos. Exemplos destas circunstâncias são frequentes, como estar no lugar errado no momento errado.

Contudo, são coisas que nem sempre nos pertencem: chamemos isto de coincidência, sorte ou destino. O fato é que não podemos nos responsabilizar por isto. Não esqueçamos que podemos imaginar o futuro, mas dificilmente podemos sabê-lo. O que acreditamos que acontecerá é apenas uma possibilidade entre tantas.

Isto é mais do que motivo para não nos fazermos a pergunta “o que teria acontecido se…?”, já que nestes casos não podemos nos responsabilizar por aquilo que não decidimos. Por mais inevitável que seja, e por mais que às vezes desejemos viajar ao passado para mudar certos fatos de nossas vidas, é preciso não se prender a aquilo que gostaríamos que fosse, porque não houve opção para tal.

“Nenhum de nós sabe os possíveis caminhos que nossas vidas poderiam, e talvez devessem, ter tomado. Provavelmente tudo está bem assim. Existem segredos que precisam permanecer ocultos para sempre.”
-Liane Moriarty-

O que acontece, então, é a única coisa que poderia ter acontecido, principalmente quando as circunstâncias são maiores que nós mesmos. Sim, é verdade, podemos mudar as coisas com as quais não nos sentimos confortáveis, mas isso acontece depois de conhecer a realidade, e nunca de forma antecipada.

Não olhe para trás, o que acontece é o que você está vivendo

Em suma, é bom avaliar cuidadosamente e com determinação o que queremos na vida, e sermos conscientes de que, inclusive assim, existem coisas que escapam à nossa vontade. Por essa razão, é melhor aprender a viver com nossas próprias circunstâncias, tanto as que nós mesmos criamos, quanto as que acabaram fazendo parte do que somos.

menina-janela

Às vezes, é inevitável olhar o passado e desejar ter mudado alguma coisa: isto também é bom, pois mostra que somos capazes de ver aquilo que fizemos de errado ou onde nos enganamos.

“Quando escolhemos uma opção entre tantas, todas as vias que não escolhemos se apagam como velas, como se nunca tivessem existido.”
-Philip Pullman-

Contudo, aceitar que as coisas acontecem de uma certa forma é um sinônimo de crescimento emocional. Olhe sempre para a frente, aceite seus erros e evite-os instantaneamente no futuro: o que acontece é, na verdade, a sua vida, e esta é a única forma de se aproximar da felicidade.

Recomendados para você