Como aprender a ficar sozinho depois do fim de um relacionamento

Depois do fim de um relacionamento, passar um tempo sozinho pode nos ajudar a elaborar o luto, a curar as nossas feridas e a nos reconstruir. Saiba como aproveitar esta fase.
Como aprender a ficar sozinho depois do fim de um relacionamento

Última atualização: 14 março, 2022

Estar em um relacionamento tem muitas vantagens a nível pessoal e social. Via de regra, não só nos sentimos amados, apoiados e amparados por alguém que faz de nós a sua prioridade; além disso, também temos a validação de parentes e conhecidos pelo fato de estarmos em um relacionamento, por estarmos cumprindo as normas estabelecidas. Portanto, não é nenhuma surpresa que muitas pessoas tenham pânico de ficar solteiras. Aprender a ficar sozinho, no entanto, é essencial.

Ninguém pode nos garantir a continuidade de nossos relacionamentos e, quando eles terminam, podemos sentir que fomos jogados no vazio, que perdemos o nosso valor, a nossa identidade e os nossos projetos. No entanto, aprender a conviver com a solidão é necessário para nos reconstruirmos, curarmos e melhorarmos. E, acima de tudo, para que a escolha do nosso próximo parceiro seja uma decisão e não uma necessidade.

Você tem dificuldade para ficar sozinho? Então, queremos te convidar a continuar lendo.

Dicas para aprender a ficar sozinho depois do fim de um relacionamento

Se você sente que estar sozinho é uma experiência assustadora, um sinônimo de fracasso ou de carência, você está vivenciando sensações muito comuns. Muitas pessoas permanecem em relacionamentos infelizes e prejudiciais porque têm medo da solidão; enquanto isso, outras pulam de um relacionamento para o outro. Ou seja, qualquer coisa é melhor do que enfrentar a ausência de uma companhia.

Se neste momento o seu relacionamento terminou e você está determinado a ter um tempo para você, para investir em si mesmo, vamos dar algumas ideias para aproveitar esta fase.

1. Ter consciência da importância da solidão

Este primeiro passo é essencial. É preciso ter clareza sobre por que vale a pena passar um tempo na solidão, pois, caso contrário, diante do primeiro medo ou obstáculo, você correrá para procurar fora o que deveria vir de dentro.

Assim, lembre-se de que estar sozinho permite a você se descobrir e se conhecer, bem como melhorar a relação com você mesmo. Isso permite investir em você o tempo, a dedicação e a energia que você costumava dedicar ao outro e, sobretudo, também te ajuda a crescer e a evoluir como pessoa.

2. Fortalecer o seu amor-próprio

Depois do fim de um relacionamento, perdemos a nossa principal fonte de amor, apoio, compreensão e validação. Portanto, para que o vazio não nos oprima, devemos aprender a preenchê-lo por conta própria. Se você tem dificuldade para ficar sozinho, você provavelmente não tem uma autoestima forte e talvez não se considere alguém valioso, digno ou bom o suficiente.

Então, este é o momento ideal para começar a falar com você mesmo e a se tratar com amor, para se acompanhar com compaixão e respeito, para procurar as melhores pessoas e experiências para você. Pense em tudo o que você foi capaz de fazer pela pessoa que você amava e agora faça isso por você mesmo.

3. Retomar projetos e criar outros

Sem querer, e muitas vezes sem perceber, quando estamos em um relacionamento, acabamos deixando de lado nossos interesses, hobbies e projetos pessoais. Nossa atenção e esforço se voltam para o parceiro e quase nos esquecemos de quem somos.

Então, depois do fim de um relacionamento, você pode retomar as atividades de que tanto gostava e abandonou, você pode recuperar os sonhos, projetos e vontades que tinha em nível individual. Inclusive, esse pode até mesmo ser um excelente momento para traçar novos planos e metas para o futuro.

4. Trabalhar os seus medos

Para aprender a ficar sozinho, esta é uma condição essencial: você precisa reconhecer os seus medos e trabalhá-los para que eles não te dominem. Conforme já dissemos, a sociedade é feita para os casais e esse estado civil é recompensado e reforçado externamente. Isso nos leva a pensar que, se somos solteiros, estamos incompletos ou até mesmo que sejamos defeituosos ou tenhamos fracassado.

Assim, pode aparecer o medo da rejeição, da vergonha, de que os outros pensem que não temos valor. Além disso, outros medos também podem se somar como, por exemplo, o medo de não voltar a ter um relacionamento a dois.

Se você não conseguir racionalizar esses pensamentos, você pode passar a viver com uma preocupação tão grande a ponto de voltar com o seu ex-parceiro ou de se relacionar com a primeira pessoa que parecer viável. No fim das contas, isso só causará desconforto a longo prazo; portanto, trabalhe os seus medos e, dessa forma, você manterá uma boa parte da sua liberdade.

5. Cuide de si mesmo

Durante as primeiras semanas ou meses depois do fim de um relacionamento, talvez a nossa mente possa pensar constantemente em quem foi o parceiro, nos momentos compartilhados, no que nunca mais vai acontecer. Ficar envolvido por esses pensamentos pode ser muito doloroso e prejudicial, e a melhor estratégia para evitar que isso aconteça é cuidar de si mesmo.

Comece a cuidar de si mesmo fisicamente, mentalmente e espiritualmente. Você pode começar a se exercitar, melhorar a sua alimentação ou cuidar da sua pele; você também pode começar a meditar, escrever um diário terapêutico ou passar o seu tempo com pessoas que te amam e fazem você se sentir bem. Agora, você deve ser a sua prioridade mais do que nunca.

6. Fazer da sua vida uma experiência extraordinária

Por fim, lembre-se de que tudo passa e que você voltará a amar. E, por ter se dado esse tempo para curar as feridas, você poderá amar de uma maneira mais saudável, autêntica e livre. No entanto, a sua vida não deve ficar pausada até que apareça a pessoa que vai tocar o seu coração novamente.

Pelo contrário, esse período é ideal para que você se concentre na construção de uma vida tão rica, interessante e próspera que, quem nela entrar, chegará por mérito próprio, para compartilhar e somar, e não para preencher vazios.

Assim, concentre-se nos seus objetivos, na sua carreira profissional, na sua saúde e bem-estar, na sua própria felicidade. Quando essa fase da sua vida terminar, você se lembrará dela como um maravilhoso ponto de inflexão, como o impulso que te levou a se tornar uma pessoa mais forte e feliz. Afinal, de fato, aprender a ficar sozinho é um valioso recurso.

Pode interessar a você...
8 razões pelas quais você precisa estar sozinho
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
8 razões pelas quais você precisa estar sozinho

Somos sociais por natureza, mas não podemos nos esquecer de nós mesmos. É importante lembrar que o ser humano precisa passar um tempo sozinho.



  • de la Parra García, J. (2006). Mediación y ruptura de pareja: duelo y oportunidad. Estudios sobre mediación: la ley de mediación familiar de Castilla y León, 125.
  • Montoya, C. V. (2008). La soLtería en mujeres de medIana edad. Reflexiones87(1), 99-111.