Como superar a separação dos pais na vida adulta

19 Novembro, 2020
Um casal pode se separar a qualquer momento, independentemente da idade ou das circunstâncias. No entanto, os filhos adultos às vezes não sabem como lidar com o divórcio dos pais. O que fazer nessa situação?

Superar a separação dos pais na vida adulta é algo muito difícil, mas muitos pensam nisso como uma espécie de tabu. A maioria das pessoas, quando ouve falar em divórcio, pensa em como ele é prejudicial para as crianças. No entanto, também pode ser devastador e difícil para quem tem vinte, trinta ou mesmo quarenta anos.

Dito isso, é verdade que este evento pode ser mais delicado para uma criança, mas é importante ter em mente que os adultos não estão isentos de experimentar certas emoções, conflitos internos e até mesmo resistências. Alguns apontam, por exemplo, que muitas vezes os filhos veem o relacionamento dos seus pais como uma espécie de instituição sagrada, um vínculo eterno e inquebrável.

No entanto, casais se separam, casamentos se desfazem e o amor se desvanece, assim como a paciência. As separações podem ocorrer em qualquer idade, mesmo nas mais avançadas, naquelas em que os filhos já são adultos. Vamos nos aprofundar um pouco mais em como essa situação é vivida e como deve ser enfrentada.

Brigas entre os pais na vida adulta

Como superar a separação dos pais na vida adulta?

A psicologia afirma que nenhuma mudança ou transição é fácil. O fato de ser adulto não facilita o enfrentamento da separação dos pais. Na verdade, pode adicionar fatores mais complexos para os quais você pode não estar preparado. Em média, é comum que a separação ocorra quando os filhos estão na casa dos 20 anos.

Qual é o motivo para isso? É nessa idade que eles se tornam independentes. Independentemente de continuarem morando em casa ou não, já são autônomos para tomar suas próprias decisões, cuidar de si mesmos e construir suas próprias vidas longe dos pais. De repente, seus pais se veem vivendo em um ninho vazio, no qual deixam de concentrar suas preocupações e ocupações nos filhos para se concentrarem em si mesmos depois de todos esses anos.

É nessa fase que eles, às vezes, descobrem algo de que não gostam muito. Encontrar-se numa relação que não é mais enriquecedora, que carece de intimidade e em que cada um tem os seus próprios interesses leva ao divórcio na maioria das vezes. Afinal, sempre há tempo para começar uma nova vida. Por esse motivo, a separação não é apenas compreensível, mas também necessária. No entanto, isso não significa que os filhos a vejam da mesma forma.

Como você pode ver até agora, superar a separação dos seus pais na vida adulta não é tão fácil quanto poderia imaginar. Vamos ver algumas dicas para lidar com isso de maneira adequada.

Não invalide suas emoções, você tem o direito de sentir o que quer que sinta

A sociedade costuma dar às crianças mais permissão para mostrar suas emoções. Assim, é normal para uma criança de 6, 10 ou 12 anos chorar, ficar com raiva ou se sentir mal com a separação dos seus pais. No entanto, isso geralmente não ocorre com os filhos adultos.

Apesar disso, é importante deixar algo claro: é totalmente normal, compreensível e até esperado sentir contradição, tristeza e até raiva nessas situações. Ser saudável emocionalmente significa sentir as emoções certas na hora certa e saber como lidar com elas.

Entenda e aceite a situação (talvez seja algo que você já imaginava)

Quando se trata de superar a separação dos seus pais, a coisa mais importante é aceitar essa situação. Não é sua responsabilidade resolvê-la, não importa o quanto você queira. Às vezes, essa é uma situação que já era esperada e é fundamental vê-la sob outra perspectiva: ela dará aos seus pais uma oportunidade de serem felizes novamente.

Aceitar, compreender e assumir essa nova realidade é uma obrigação. No entanto, isso não significa que você não possa sentir dor e tristeza.

Procure não escolher um lado

Às vezes, essa situação pode ser motivada por causas muito diferentes: infidelidade, abuso e comportamento antiético, entre outras. É muito comum ficar do lado da vítima nessas circunstâncias (seja sua mãe ou seu pai). Essas situações são muito delicadas e é preciso lidar bem com elas para não intensificar ainda mais o sofrimento.

O ideal é ser o mais equilibrado possível. Dessa forma, você também evitará fazer parte daquele tipo de chantagem que às vezes acontece quando as separações são problemáticas. Tente agir com equilíbrio para que a separação ocorra da melhor maneira possível.

Fale com alguém de fora da sua família sobre como você se sente

É importante ter alguém com quem conversar sobre esta situação. É uma boa ideia se abrir para uma figura de fora da família, seja ela um amigo, um companheiro ou um psicólogo. Às vezes, superar a separação dos seus pais pode ser incrivelmente difícil devido ao sentimento de culpa que você pode sentir, como se houvesse algo que você poderia ter feito para impedir que isso acontecesse.

Por esse motivo, você precisa conversar sobre seus pensamentos e sentimentos e também sobre como lidar com as mudanças. Com quem vou passar as datas festivas? Como serão as visitas aos meus pais separadamente? Como será meu relacionamento com eles agora? Desabafar as preocupações é algo catártico.

Mãe e filha pensativas

Lembre-se de tudo que eles fizeram por você

Não adianta ficar com raiva deles ou frustrado com a sua decisão. Seus pais têm suas próprias necessidades, são independentes e podem optar por seguir caminhos separados. Eles têm todo o direito de começar uma vida separada se assim o decidirem.

Para processar melhor essa situação, é bom se lembrar do que cada um deles fez por você. Lembre-se de seus pontos fortes, do que eles lhe ensinaram e das suas qualidades e virtudes. Não procure culpados porque, no final, a vida é complicada e todos nós temos que tomar decisões para alcançar o bem-estar. Além disso, eles não vão mudar o amor que sentem por você, então não vale a pena mudar o que você sente por eles.

Superar o divórcio dos pais na vida adulta pode ser muito difícil. No entanto, é possível. As mudanças são sempre complicadas, mas podem levar a momentos mais gratificantes.