Por que é tão importante aprender a impor limites?

17 Julho, 2020
Às vezes, priorizamos as necessidades dos outros em detrimento das nossas e nos sentimos culpados quando dizemos “não” ao pedido de alguém. A culpa traz pensamentos como: “Se não fizer isso, serei uma péssima amiga”, “Sou uma pessoa egoísta”, “Acho que sou uma pessoa ruim por não ter ajudado”.
 

Aprender a impor limites não significa defender a qualquer custo nossas opiniões e crenças, como se fossem imposições. Também não significa ser sincero o tempo todo, sem levar em consideração o que os outros pensam e sentem.

Especificamente, impor limites significa informar às pessoas o que precisamos e queremos, fatores que podem ser diferentes do que os outros precisam e querem. Consiste em expressar o que queremos – e o que não queremos – sem esquecer as necessidades e os desejos dos outros, levando em consideração o que as pessoas pensam e sentem.

Impor limites é estabelecer linhas com os outros (e conosco) que não devem ser cruzadas.

Edward T. Hall e Robert Sommer, pioneiros no estudo do espaço pessoal, garantem que esses limites estabelecidos são mais do que um território físico. Trata-se de um lugar onde nos sentimos mental, física e emocionalmente protegidos, um refúgio onde ninguém pode nos agredir com seus comentários ou comportamentos.

No entanto, em seus estudos, eles revelaram que é comum que essas fronteiras sejam ultrapassadas no nosso dia a dia, essas barreiras que nem sempre protegemos com a atenção e os recursos necessários para que não sejam derrubadas. Vamos ver o que nos limita e por que é tão importante impor limites.

Mulher dizendo não: impor limites
 

O que me trava na hora de impor limites?

O que me limita ao impor limites e dizer “não” em alguns momentos? Provavelmente, o medo da rejeição desempenha um papel determinante.

Por exemplo, quando um colega me pede ajuda, mas eu não quero ou não considero conveniente ajudar, o medo de que a relação possa se deteriorar é um fator que possivelmente vai me levar a ajudar, mesmo que não seja o que eu desejo.

Às vezes, priorizamos as necessidades dos outros em detrimento das nossas e nos sentimos culpados quando dizemos “não” ao pedido de alguém. A culpa traz pensamentos como: “Se não fizer isso, serei uma péssima amiga”, “Sou uma pessoa egoísta”, “Acho que sou uma pessoa ruim por não ter ajudado”.

Esses pensamentos costumam ser exagerados. Evidentemente, eu não sou uma pessoa ruim por não deixar meus planos de lado para fazer o que me foi pedido ou por priorizar os meus interesses. Não se trata de ser egoísta e se colocar acima dos outros, mas também não podemos nos colocar abaixo. É uma questão de equilíbrio.

Ao mesmo tempo, não colocamos limites quando tendemos a assumir a responsabilidade de tudo, ao nos envolvermos em excesso nos problemas dos outros.

É difícil dizer “não” porque tendemos a assumir a responsabilidade de tarefas que não são nossa responsabilidade. Por exemplo, ajudar os outros fazendo o trabalho que é deles quando eles mesmos poderiam fazer, resolver um problema de um amigo quando não cabe a nós fazer isso…

 

Por que é tão importante aprender a impor limites?

Conhecer a si mesmo

Um dos benefícios quando se trata de impor limites tem a ver com o autoconhecimento. Para impor limites, é preciso ter um bom conhecimento sobre si mesmo e suas próprias necessidades. Consiste em estar sempre consciente do que você quer e do que você precisa. Pergunte a si mesmo: O que você quer? Do que você precisa? O que faz você se sentir confortável?

Por sua vez, impor limites vai permitir que você se respeite mais, e na medida em que isso acontecer, os outros também vão te respeitar em função dos limites que você estabeleceu.

Benefícios para a autoestima

Impor limites provavelmente vai culminar em um aumento considerável da sua autoestima. Simplesmente pelo fato de falar sobre si mesmo e dar a você o lugar de que você precisa. Ao se sentir melhor consigo mesmo – e aumentar a sua autoestima – você vai perder o medo de se mostrar como você é. Por fim, você vai liberar a tensão contínua de ter que estar em alerta caso alguma coisa ou alguém ameace prejudicar a sua vulnerabilidade.

Você vai se sentir livre para expressar suas necessidades independentemente de como os outros vão recebê-las, sem sentir culpa por não fazer o que os outros esperam que você faça.

Aprender a estabelecer limites também é dizer “NÃO” quando temos vontade sem nos sentirmos obrigados a fazer o que os outros querem e precisam.

Mulher pensando em impor limites
 

Relações saudáveis e equilibradas

Esta é uma forma de se relacionar com os outros de maneira saudável e equilibrada, sem que haja desequilíbrio e desigualdade quanto ao que cada um contribui para a relação.

Você será capaz de mostrar aos outros como você quer que eles se comuniquem com você, e isso vai trazer muita satisfação pessoal. Assim, a frustração e o estresse diante da ausência de limites vão deixar de estar presentes nas suas relações.

Ao conseguir respeitar seus limites e os dos outros, suas relações vão se tornar relações saudáveis e estáveis ao longo do tempo. O respeito poderá ser sentido nas suas relações, e ninguém se sentirá invadido pelo outro.  

Em suma, aprender a impor limites para os outros nos permite fortalecer e criar aspectos relacionados com o bem-estar pessoal. Isso nos possibilita identificar e delimitar adequadamente nossas próprias necessidades, nos fazendo ser protagonistas das nossas escolhas e gerando, assim, um senso de responsabilidade no palco de nossas vidas.