Mal-estar emocional noturno: por que me sinto ansioso à noite?

A noite pode parecer muito escura em certos momentos da vida. Neste artigo, veremos por que e o que podemos fazer para facilitar ou melhorar a nossa rotina noturna.
Mal-estar emocional noturno: por que me sinto ansioso à noite?

Última atualização: 03 Setembro, 2021

A noite passa a ser temida quando passamos por uma fase de mal-estar emocional noturno. A necessidade de descanso e de alcançar as famosas 8 horas de sono nos martela quando não conseguimos adormecer. Outras vezes, apesar de conseguirmos dormir, o sono não é restaurador, o que aumenta o turbilhão emocional do dia a dia.

Pode acontecer que, em meio ao nosso desespero, apareçam a angústia e a desesperança. Isso faz com que nosso metabolismo emocional noturno seja alterado. Assim, a fadiga se soma aos problemas que estamos experimentando.

Existem horas do dia em que somos mais vulneráveis e, sem dúvida, a noite é uma das mais comuns por vários motivos. Vamos ver por que e quais são os efeitos que isso tem na nossa saúde.

Mulher acordada à noite na cama

Por que o sofrimento emocional e a ansiedade se intensificam à noite?

A verdade é que a noite possui uma série de características distintivas que podem promover diferentes estados psicológicos dependendo da predisposição de uma pessoa. A diminuição dos estímulos externos em todos os níveis sensoriais e sociais pode nos levar a focar em várias sensações corporais. Esta é a razão pela qual a dor, a tensão muscular, a taquicardia e os pensamentos são interpretados de forma mais disfuncional à noite.

Devido à falta de estimulação externa, por exemplo, as pessoas com zumbido nos ouvidos os experimentam mais no silêncio da noite. Para amenizar esse efeito, geralmente é recomendado que a pessoa viva ouvindo música relaxante em volume baixo, pois isso diminuirá a intensidade do zumbido e ajudará a adormecer e superar o desconforto que ele provoca.

Por outro lado, devemos também indicar a importância da nossa interpretação do mal-estar emocional noturno. Sendo a noite o espaço reservado social e biologicamente para o descanso, não conseguir descansar nos leva a antecipar enormes desconfortos.

Da mesma forma, o silêncio da noite e a falta de atividade podem nos levar a entrar na nossa mente e repensar o que nos preocupa. Sendo um período de tempo em que não podemos aplicar uma solução, se a encontrarmos na nossa ruminação, o pensamento, sem dúvida, nos conduzirá a um caminho cheio de incertezas.

Desse modo, dar muitas voltas mentais em algo nos prende em uma espiral de sofrimento. Acabamos analisando demais a realidade mental e criando cenários que podem ter pouco a ver com o que acontece.

Perturbação do sono como causa e consequência da ansiedade à noite

Muitas vezes nosso sono é constantemente interrompido por ondas de desconforto, ansiedade ou despertares frequentes. Essa tendência é extremamente prejudicial. Na verdade, estudos como o realizado na Johns Hopkins University, em Baltimore, mostram que o sono interrompido é muito perigoso para o nosso humor, uma vez que as fases do sono também são alteradas.

Foi demonstrado que as ondas cerebrais lentas diminuem as perturbações do sono. Isso tem sido associado na literatura científica aos transtornos do humor.

Não esqueçamos que, para que ocorra uma adequada reciclagem mental e física, nosso sistema de regulação deve completar uma série de ciclos de sono, passando pelas fases REM e não REM em diversas ocasiões, em uma espécie de loop. Não dormimos bem porque nos sentimos mal e nos sentimos emocionalmente esgotados porque não dormimos bem.

O que está por trás do mal-estar emocional noturno?

Normalmente, quando analisamos por que uma pessoa sente ansiedade à noite, encontramos um desconforto emocional que não foi administrado. Os sonhos são, precisamente, elaborações mentais que são geradas com o objetivo de digerir ou reciclar o que o nosso psiquismo experimentou durante o dia.

Às vezes os sonhos são revestidos de lembranças, acontecimentos ou medos, mas o que fica claro é que eles são a tentativa da nossa mente de reposicionar, enquanto dormimos, o que não organizamos conscientemente durante o dia.

Se o que temos que filtrar, digerir ou elaborar tiver uma grande carga emocional, essa tarefa mental noturna será muito mais pesada e indigesta. Portanto, nosso descanso será alterado. Vamos dormir mais tarde ou acordar mais cedo, ter o sono constantemente interrompido, ter pesadelos, terrores noturnos ou sonhos repetidos, etc.

Isso tem um efeito devastador no nosso estado psicológico, complicando a gestão dos desafios diários e o medo do que vai acontecer à noite. Esse medo induz ao aparecimento de pensamentos, a partir dos quais construímos realidades catastróficas cheias de sensações físicas e mentais negativas.

Deve-se ter em mente que, em alguns casos, será importante buscar ajuda psicológica de um profissional de saúde mental para nos ajudar a desenvolver e administrar o que estamos vivenciando.

Homem com ansiedade a noite

Conselhos para reduzir o mal-estar emocional noturno

Para quebrar esse laço, é fundamental sabermos que se reconciliar com a noite e dormir é um processo que nos obriga a avaliar quais são os fatores que nos afetam. Além disso, outras considerações a serem feitas são as seguintes:

  • Deixar de lado as preocupações e resolver o que é possível durante o dia é crucial para acelerar a digestão emocional à noite e evitar o aparecimento da ansiedade noturna.
  • Regular as horas dedicadas à atividade física. O excesso ou a falta de atividade podem afetar o sono.
  • Os períodos de atividade física devem ser afastados da hora de dormir para não termos que lidar com a superexcitação fisiológica. Da mesma forma, devemos ter em mente que o uso de dispositivos tecnológicos durante a noite interfere no sono.
  • Manter temperatura, higiene e ventilação adequadas em nosso ambiente de descanso, que deve ser usado apenas para dormir ou ter relações sexuais.
  • Identifique quais estímulos o alteram mais e tente reduzir o seu efeito.
  • Mantenha horários regulares de refeição e descanso.
  • Faça atividades compensatórias que lhe permitam reduzir a ativação fisiológica da emoção, como relaxamento muscular progressivo, ioga ou mindfulness.
  • Finalmente e mais importante, tenha em mente que o sono virá e que existem muitas ferramentas que podem ser aplicadas para regulá-lo. Com base nisso, trata-se de explorar o que pode ser melhorado.

O sono e o descanso são mecanismos do corpo que nos permitem regular nossos sistemas físicos e mentais. Digamos que é uma reinicialização que ajuda tudo a funcionar corretamente. Por esse motivo, o material emocional diurno que não revisamos pode aparecer na forma de tormento noturno.

Não vamos esquecer que levar os problemas para a cama tem efeitos devastadores, por isso é essencial administrá-los psicologicamente.

Pode interessar a você...
Relação entre luz artificial noturna e depressão
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Relação entre luz artificial noturna e depressão

Existe uma relação direta entre a luz artificial noturna e a depressão. Nossos ritmos circadianos mudam e nosso humor é alterado.



  • Finan, P. H., Quartana, P. J., & Smith, M. T. (2015). The Effects of Sleep Continuity Disruption on Positive Mood and Sleep Architecture in Healthy Adults. Sleep38(11), 1735–1742. https://doi.org/10.5665/sleep.5154