Mensagens abusivas de ex-parceiros: um risco para a saúde mental

Existem aqueles que não aceitam o fim de um relacionamento e passam a assediar o ex-companheiro por meio de mensagens constantes e comentários desrespeitosos nas redes sociais.
Mensagens abusivas de ex-parceiros: um risco para a saúde mental

Última atualização: 21 Setembro, 2021

Existem duas maneiras de terminar um relacionamento amoroso: a saudável e respeitosa e a problemática. Esta última é mais frequente do que pensamos e pode nos deixar graves consequências em questões mentais. Inclusive, um estudo recente nos alerta que as mensagens abusivas de ex-parceiros aumentam o risco de ansiedade, depressão e até pensamentos suicidas.

O assunto é mais sério do que parece. Estamos falando de manipulação psicológica, assédio e, portanto, abuso. O fato de receber WhatsApps, e-mails ou mensagens inadequadas nas redes sociais acaba prejudicando o equilíbrio da pessoa. Da mesma forma, há outro fato importante: a impossibilidade de fechar para sempre um estágio relacional com alguém.

Por outro lado, não é difícil deduzir que quem é vítima desse tipo de abuso “digital” sofreu a mesma dinâmica quando foi parceiro daquela pessoa. O sofrimento se alonga e atinge limites ainda mais tortuosos. Analisaremos mais detalhes abaixo.

Existem muitas formas de assédio, mas a parte das novas tecnologias é a mais recorrente nos últimos anos. Esses tipos de dinâmicas são mais comuns entre os jovens de 16 a 24 anos.

Homem lendo mensagens abusivas no celular

Mensagens abusivas de ex-parceiros, uma forma de assédio

Terminar um relacionamento não costuma ser fácil para ninguém. No entanto, há momentos em que é mais conveniente do que nunca encerrar um vínculo. Estamos falando daqueles casos em que se experimenta abuso em qualquer uma das suas formas na própria pele. Porém, nestas últimas situações, quem exerce o abuso não quer dar um fim a ele.

Quando o ex-parceiro não aceita a separação, iniciam-se as recorrentes “campanhas” de assédio. Estas podem ser baseadas em vigilância, visitas indesejadas, perseguições e também no envio constante de mensagens. É inútil dizer a essa pessoa para assumir a realidade e virar a página. Porque além do desespero, da raiva e da frustração provocados pelo fim, eles costumam imaginar a pessoa amada como uma possessão.

Assim, embora seja verdade que já conhecemos muito bem os efeitos psicológicos do abuso, não tínhamos muita literatura científica sobre mensagens abusivas de ex-parceiros. Os dados não poderiam ser mais conclusivos: as vítimas desse tipo de dinâmica sofrem um grande desgaste psicológico.

Bullying digital e seus efeitos na saúde psicológica

A pesquisa foi publicada na revista Social Psychiatry and Psychiatric Epidemiology e foi conduzida no Instituto de Psiquiatria, Psicologia e Neurociência do King’s College London. Foram analisados os dados de 6.857 pessoas que passaram por uma separação. O que se revelou neste trabalho foi o seguinte:

  • São muitos os ex-parceiros que usam mensagens do WhatsApp, e-mail, comentários nas redes sociais ou até mesmo o envio de cartões como forma de assédio. Além de pedirem ou exigirem a retomada do relacionamento, ameaças e mensagens obscenas aparecem com frequência.
  • Homens e mulheres recebem mensagens abusivas de ex-parceiros. No entanto, elas que têm o dobro da probabilidade de receber este tipo de mensagens do que os homens.
  • Embora essa realidade possa aparecer em qualquer idade e classe social, é mais comum que apareça na população de 16 a 24 anos.
  • Há outro fato significativo: a probabilidade de sofrer de ansiedade, depressão e até pensamentos suicidas nessas situações é muito alta. O risco de gerar problemas de saúde mental é de 39,2% em relação à população que não recebe mensagens abusivas de ex-companheiros.

Relacionamentos abusivos e separações que nos impedem de fugir dos maus-tratos

Muitos podem se surpreender com o que os dados nos dizem. Por que alguém teria que pensar em suicídio só porque recebeu mensagens inadequadas de ex-parceiros? Não bastaria colocar um filtro ou bloqueá-las para que elas não chegassem?

A realidade é muito mais complexa. Porque é muito provável que quem é assediado digitalmente após o rompimento também tenha sido maltratado no tempo que durou o relacionamento do casal.

É comum que o abuso físico e psicológico seja um precedente. Essa forma de violência deixa graves consequências, e o fato de não poder se afastar totalmente dessa realidade intensifica o sofrimento.

Existe um sentimento constante de medo e insegurança. Ameaças e frases obscenas minam completamente o equilíbrio psicológico. A pessoa não consegue virar a página e iniciar uma nova etapa. Tudo isso pode nos levar a situações extremas.

Jovem com medo recebendo mensagens abusivas

A necessidade de agir diante das mensagens abusivas de ex-parceiros

Algo que devemos ter em mente hoje é que o abuso é praticado de várias maneiras, e o digital é o mais simples e recorrente. Não é necessário viajar ou sair de casa para entrar na realidade diária (e mental) de uma pessoa. Eles podem até usar perfis falsos ou mobilizar outras pessoas para agirem como trolls contra alguém.

É preciso considerar o assédio digital como mais uma forma de maltratar os ex-parceiros. Isso é cada vez mais comum entre os adolescentes, e nem todos os jovens sabem agir. Educar, prevenir e desenvolver novos mecanismos de proteção e atendimento psicológico para as vítimas é decisivo e urgente.

Pode interessar a você...
Quatro sinais que revelam um relacionamento abusivo
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Quatro sinais que revelam um relacionamento abusivo

Não é fácil estabelecer parâmetros e definir um relacionamento abusivo. Na verdade, o mesmo critério de "abuso" não pode ser aplicado a todas as re...



  • McManus S, Bebbington PE, Tanczer L, Scott S, Howard LM. Receiving threatening or obscene messages from a partner and mental health, self-harm and suicidality: results from the Adult Psychiatric Morbidity Survey. Soc Psychiatry Psychiatr Epidemiol. 2021 Jul 28:1–11. doi: 10.1007/s00127-021-02113-w. Epub ahead of print. PMID: 34322732; PMCID: PMC8318057.
  • Karakurt, G., & Silver, K. E. (2013). Emotional abuse in intimate relationships: the role of gender and age. Violence and victims28(5), 804–821. https://doi.org/10.1891/0886-6708.vv-d-12-00041