Não devemos confundir terrorismo e crime organizado

· março 16, 2019
Descubra quais são as diferenças e semelhanças entre o crime organizado e o terrorismo.

O crime organizado e o terrorismo apresentam algumas semelhanças. No entanto, falamos sobre fenômenos diferentes. Por um lado, o crime organizado é entendido como uma maneira de cometer crimes. Esses crimes exigem um certo nível de planejamento e a participação conjunta e coordenada de vários indivíduos.

Por sua vez, o terrorismo é uma forma de luta violenta. A violência do terrorismo é utilizada contra civis e busca fins políticos. Assim, o terrorismo procura confundir, amedrontar ou irritar uma população ou seus governantes. Além disso, capturar a atenção da opinião pública internacional, semear dúvidas sobre a legitimidade de um regime político, provocar conflitos internos em sociedades ameaçadas e mobilizar simpatizantes da causa defendida por terroristas, etc.

“Isto não é um jogo, homem horrível”, disse o Sr. Poe. O dominó é um jogo. O polo aquático é um jogo. O assassinato é um crime e você vai pagar por ele na prisão”.
– “A Sala dos Répteis” (1999), Daniel Handler-

Homens planejando um crime

Terrorismo e crime organizado: o que buscam?

O principal objetivo do crime organizado é o lucro. As organizações criminosas buscam dinheiro, quanto mais, melhor. O terrorismo, por outro lado, busca fins políticos, como mudar um sistema, alcançar a independência ou algum tipo de vantagem política ou religiosa.

No entanto, também existem semelhanças; as organizações terroristas precisam de dinheiro para financiar a luta armada. Por exemplo, comprar armas, recrutamento e propaganda, preparação e execução de ataques, etc. E o crime organizado pode controlar a política e o funcionamento das instituições públicas.

Por outro lado, a influência na esfera política é diferente. O crime organizado procura se aproveitar, mas não alterar a ordem estabelecida. Já o terrorismo tem como objetivo transformar ou desestabilizar as instituições existentes ou forçar os seus representantes a adotar decisões e medidas contrárias aos seus princípios e interesses.

¨Ele tinha a sensação sombria de que ainda não havia terminado tudo e de que em breve cometeria algum crime terrível novamente, que apagaria com sua magnitude a lembrança do seu crime anterior”.
– “Frankenstein” (1818), Mary Shelley –

Frequência de atividade criminosa

Tanto o terrorismo quanto o crime organizado buscam lucrar economicamente e influenciar as atividades políticas. A grande diferença é que, enquanto o crime organizado tem o lucro como objetivo final, para o terrorismo o objetivo final é político. Mesmo assim, ambos estão envolvidos em atividades criminosas.

Por outro lado, o crime organizado atua com mais frequência do que o terrorismo. Ou seja, existem mais organizações criminosas do que grupos terroristas cometendo crimes. Isso ocorre porque o crime organizado está mais disposto a sacrificar a sua segurança para obter mais financiamento.

A realização de ataques terroristas não costuma fornecer financiamento, mas pelo contrário, requer altas somas de dinheiro. Portanto, grupos terroristas geralmente preferem ter segurança para agir.

Efeitos do terrorismo

O uso da violência

Uma diferença final entre o crime organizado e o terrorismo está na maneira como eles usam a violência. A eficácia de um ataque terrorista depende de que o seu impacto atinja um grande público. Algumas pessoas são atacadas para intimidar muitas outras. Portanto, quanto mais espetacular for um ataque, mais pessoas tomarão conhecimento do fato. Dessa forma, receberá máxima atenção e publicidade.

No entanto, se o ataque matar muitas pessoas, isso poderá ser contraproducente, porque em vez de ganhar seguidores, será rejeitado.

Por sua vez, o crime organizado busca o anonimato. Os criminosos aspiram realizar seus crimes sem serem identificados para não colocar em risco suas carreiras criminosas. Por essa razão, a violência geralmente praticada por grupos do crime organizado tende a evitar a publicidade. Pelo menos, eles não a procuram deliberadamente.

Em suma, embora o terrorismo e o crime organizado compartilhem certas características, eles também apresentam diferenças decisivas. Em particular, embora compartilhem alguns objetivos, o objetivo final é diferente. O crime organizado busca lucrar economicamente e o terrorismo busca uma mudança no nível político. Além disso, a atividade do crime organizado é mais frequente e a violência geralmente é anônima, enquanto o terrorismo procura tornar a violência visível.

“O meu ponto de vista é o dos ‘condenados da Terra’, o dos excluídos. Não aceito, porém, em nome de nada, atos terroristas, pois resultam na morte de inocentes e na insegurança dos seres humanos. O terrorismo nega o que venho chamando de ética universal do ser humano”.
– “Pedagogia da Autonomia” (1996), Paulo Freire –

  • De la Corte, L., & Giménez-Salinas, A. (2010). Crimen.ogr: Evolución y claves de la delincuencia organizada. Barcelona: Ariel.