O que sua postura corporal diz sobre você?

A postura corporal não reflete apenas o que você sente no momento, mas qual é sua atitude em relação ao que está acontecendo ao seu redor. Descubra o que você está projetando através de sua linguagem não-verbal.
O que sua postura corporal diz sobre você?

Última atualização: 15 junho, 2022

A linguagem não verbal desempenha um papel prioritário na comunicação. Graças aos gestos e poses do interlocutor, podemos captar seus humores, seus julgamentos e intenções, mesmo que apenas em nível inconsciente. No entanto, as informações que recebemos por esse meio podem ir além de um momento específico e nos mostrar como é o indivíduo à nossa frente. Se você quer saber o que a postura corporal diz sobre sua atitude, convidamos você a continuar lendo esse artigo.

É inegável que o corpo reflete os estados mentais de forma bastante fiel. Na verdade, muitos terapeutas confiam na linguagem corporal para entender e trabalhar o desconforto de seus clientes.

No entanto, não costumamos dar atenção a esse aspecto. Tenha em mente que nossa postura é tão característica que nossos parentes podem até nos reconhecer à distância olhando apenas para ela. Então você sabe o que está projetando com sua linguagem corporal?

As emoções estão ancoradas no corpo

Todos nós podemos ver facilmente como a linguagem não verbal muda com base nas emoções. Quando estamos felizes, estamos abertos e relaxados; e, por outro lado, nos contraímos e nos retraímos diante do medo ou da tristeza.

Assim como esses estados temporários se refletem em nosso corpo, quando nos acostumamos a viver com certos tipos de emoções, eles moldam nossa tipologia postural. Uma pessoa tímida e uma extrovertida podem ser identificadas à primeira vista, assim como um indivíduo rígido pode ser distinguido de um flexível ou um indivíduo confiante de um medroso.

Sem realmente saber o motivo, geralmente podemos captar essas nuances em nossas interações com os outros. Mas, como podemos identificar isso?

mulheres falando
O corpo age de acordo com a emoção expressa.

O que sua postura corporal diz sobre sua atitude

A seguir, alguns elementos posturais e corporais que nos dão pistas sobre a atitude de alguém:

Expansão ou contração

É um dos aspectos mais visíveis e marcantes: a pessoa parece aberta ao mundo ou retraída em seu próprio ser? Quem tem boa autoestima, confia em si e nos outros e tem uma atitude alegre e otimista adota posturas expansivas. Elas parecem querer abranger mais espaço com seu corpo e acolher os outros em seu próprio espaço.

Aqueles que “espremeram o peito” antes da vida, o fazem literal e figurativamente. Ao contrário, pessoas inseguras, medrosas e desconfiadas tendem a se contrair, como em um ato de proteção contra um exterior que consideram hostil.

Tensão ou relaxamento

A tensão muscular também nos diz o quão flexível a pessoa é em um nível psicológico. Aqueles que adotam posturas excessivamente rígidas e firmes são provavelmente críticos e exigentes consigo mesmos e com os outros. Eles podem achar difícil se abrir emocionalmente e tendem a usar uma máscara para os outros.

Uma postura corporal relaxada pode indicar que estamos lidando com uma pessoa flexível e adaptável, com boa capacidade de gerenciar o estresse e que geralmente se mostra como é.

Agora, uma falta excessiva de tônus muscular pode ser uma indicação de um sentimento interno de fraqueza. As pessoas que arrastam uma ferida de abandono costumam apresentar essa tipologia corporal, que mostra uma necessidade de se apoiar nos outros e um sentimento de não conseguir ficar sozinho.

Direção do olhar

Sempre ouvimos que os olhos são o espelho da alma; e, embora não possamos saber disso, eles realmente são uma janela para as emoções.

Assim, se observarmos um olhar continuamente direcionado ao solo, podemos inferir timidez e insegurança. Se o olhar é evasivo, pode indicar um certo medo de vulnerabilidade e conexão emocional; e, se for fixo e desafiador, nos mostra uma atitude controladora, desconfiada e autoconfiante.

Homem falando com seu parceiro
Um olhar fixo indica autoconfiança, embora também possa ser visto como intimidador.

Posição do ombro

Este último aspecto também pode nos oferecer informações interessantes. Você conhece uma pessoa cuja postura típica envolve ombros caídos e cabeça curvada e que muitas vezes sofre de dores nas costas? Provavelmente, é uma pessoa sensível, com baixa confiança e medo de se machucar.

Ao contrário, quem mantém as costas retas e até joga os ombros para trás mostra uma atitude corajosa e até desafiadora. Pode ser alguém que tende a ser defensivo e não evita conflitos.

Trabalhe com a postura corporal para educar sua atitude

Como comentamos, o corpo reflete a atitude; mas esta é uma relação bidirecional. Isso significa que a postura que adotamos também influencia as emoções que sentimos. Você já ouviu falar que forçar-se a sorrir pode nos ajudar a nos sentirmos mais felizes? Pois bem, da mesma forma, modificar deliberadamente nossa posição pode favorecer uma mudança de atitudes.

Se você quiser se sentir mais confiante, comece endireitando as costas, ficando ereto e expandindo. Se você gostaria de ser mais sociável, pratique o contato visual e opte por uma postura corporal aberta. E, se você se achar muito rígido e exigente, tente adotar posturas relaxadas. Se queremos mudanças que sejam mantidas ao longo do tempo, é recomendável que sejamos consistentes com essas medidas.

Além disso, devemos acompanhar esta iniciativa com um trabalho em nível psicológico que nos guie em direção aos nossos objetivos. No entanto, tomar consciência do nosso corpo e usá-lo como ferramenta a nosso favor é um bom primeiro passo.

Pode interessar a você...
A linguagem dos olhos
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A linguagem dos olhos

A linguagem dos olhos não está sujeita a condicionamentos ou circunstâncias sociais. Muitos dizem que os olhos são as “janelas da alma”.



  • Bourbeau, L. (2011). Las cinco heridas que impiden ser uno mismo. OB STARE
  • Carney, D. R., Cuddy, A. J., & Yap, A. J. (2010). Power posing: Brief nonverbal displays affect neuroendocrine levels and risk tolerance. Psychological science21(10), 1363-1368.
  • Coles, N. A., Larsen, J. T., & Lench, H. C. (2019). A meta-analysis of the facial feedback literature: Effects of facial feedback on emotional experience are small and variable. Psychological bulletin145(6), 610.