Relações de amizade: como evoluem ao logo da vida?

· fevereiro 2, 2018

As relações de amizade têm um papel fundamental nas nossas vidas. Todos nos preocupamos em manter vínculos de afeto e confiança. Precisamos dos outros para crescer e ter uma vida feliz, mas o que exatamente é a amizade? Como são essas relações ao longo das fases da vida?

A amizade é uma relação afetiva baseada nas dimensões de confiança e compromisso da teoria de Stenberg. No entanto, existe uma ampla variedade sobre o que cada indivíduo pensa sobre as relações de amizade. Isso se deve aos fatores construtivos que existem em torno desse conceito. A subjetividade de cada pessoa vai influir bastante, alterando os critérios que definem a amizade.

Em geral, para os adultos uma relação de amizade não é uma relação unidirecional, ela deve ser bidirecional. A amizade implica uma satisfação psicológica mútua caracterizada pela compreensão dos sentimentos e pensamentos de ambas as pessoas. No entanto, durante a infância observamos algumas relações de amizade diferentes. A seguir, explicamos como as relações de amizade evoluem ao longo da vida.

Desenvolvimento das relações de amizade

Segundo Damon e Fontes a amizade tem diferentes fases, cada uma delas com suas características específicas:

Relações de amizade na primeira infância

Estamos falando do período entre 0 e 2 anos de idade. Nessa etapa é difícil falar de amizade no sentido estrito, mas temos as primeiras aproximações da vida social. Os estudos nos indicam que as crianças pequenas iniciam e mantêm mais interações com pessoas conhecidas do que com quem é desconhecido. Essa preferência supõe um ganho de confiança com aqueles que a criança identifica como conhecidos.

Além disso, as crianças preferem relacionar-se com pessoas com as quais tenham tido experiências positivas e prazerosas, no lugar de manter contato com aqueles que representam algum tipo de conflito. Portanto, poderíamos falar de um início das relações de amizade, onde a criança escolhe com quem quer manter trocas de brinquedos e manifestar um afeto positivo.

Bebês dando as mãos

Relações de amizade na fase pré-escolar

A fase pré-escolar ocorre entre os 2 e os 6 anos, justamente antes de começar a primeira educação. Nessa faixa etária, as crianças apresentam uma visão egocêntrica na hora de entender e analisar as relações de amizade. Não distinguem a própria perspectiva da dos outros, já que ainda não se desenvolveu uma teoria da mente.

Portanto, essas relações de amizade se caracterizam por encontros instáveis onde a ruptura chega com facilidade, sobretudo quando há conflitos interpessoais. Geralmente as crianças são amigas de quem vive próximo ou de colegas de classe. Em resumo, são relações instáveis baseadas na aproximação e principalmente dirigidas e controladas pelos pais ou responsáveis pelas crianças.

Relações de amizade na fase escolar

Essa fase compreende desde o momento em que a criança começa a frequentar a escola até chegar na adolescência, entre os 6 e 12 anos. Essas relações de amizade se caracterizam por manter uma relação de cooperação e de ajuda recíproca.

Nessa idade as crianças começam a entender os outros, abandonando assim sua visão egocêntrica da amizade. A partir daí, escolhem quem lhes demonstra carinho e se preocupa com suas necessidades e demandas.

Crianças se divertindo

Nessa etapa, o conceito de amizade se aproxima ao que a maioria dos adultos tem. As relações são de caráter mais duradouro. Caso se mantenham até a adolescência, pode ser criado um vínculo estreito e altamente afetivo.

Relações de amizade na adolescência

Esse período tem início aproximadamente aos 12 anos e dura até os 18 anos. As relações de amizade são concebidas como as dos adultos. Os adolescentes consideram a amizade como uma relação baseada no conhecimento mútuo e onde o afeto tem o papel principal.

Nessa fase as relações de amizade tornam-se muito mais profundas, expressando valores de lealdade, confiança, intimidade e sinceridade. Os amigos são escolhidos em função de características psicológicas e interesses e hobbies similares.

A partir da adolescência as relações de amizade vão se enriquecendo devido à multiplicidade de experiências vividas. A distância e os conflitos ocasionais deixam de ser um obstáculo para manter e desfrutar o vínculo afetivo criado.

Amigas sorrindo

Segundo essa classificação, as relações de amizade vão mudando com o passar do tempo, influenciadas pelo desenvolvimento evolutivo de cada indivíduo. Não podemos esquecer que a amizade é um conceito subjetivo que cada pessoa constrói levando em consideração diferentes variáveis. O importante é compreender o que a amizade é para cada um de nós para que possamos nos relacionar de forma adequada e satisfatória.