O que são as relações parassociais?

20 Outubro, 2020
O que são as relações parassociais? Por que elas ocorrem e que influência elas têm sobre nós? Leia este artigo para saber mais!

Muitas pessoas se perguntam o que são as relações parassociais. Mas antes de responder, vamos perguntar o seguinte: você já se perguntou que efeito a mídia tem sobre o seu comportamento? Você pode pensar que é uma pergunta estranha, mas está relacionada a esse tipo de relacionamento. Basicamente, as relações parassociais são um curioso fenômeno que as pessoas desenvolvem com quem “conhecem” através das mídias sociais

Essa é uma realidade que todos nós devemos enfrentar. Não há como negar que as mídias sociais têm a capacidade de (potencialmente, uma vez que isso depende de diferentes fatores) influenciar os comportamentos, pensamentos e ações das pessoas.

Em muitos casos, a maneira como a mídia se dirige a nós é feita de forma a pensarmos que é personalizada, quando na realidade, como público, somos uma massa homogênea de pessoas. Por exemplo, pense nos e-mails de spam; embora eles sejam enviados para milhões de pessoas, eles ainda incluem seu nome.

Neste artigo, vamos falar sobre o que são as relações parassociais, por que elas ocorrem, que sentimentos estão associados a elas e como elas influenciam o nosso comportamento. Continue lendo!

Relações parassociais: o que elas são exatamente?

O que exatamente são as relações parassociais?

As relações parassociais são aquelas que as pessoas estabelecem com pessoas famosas, celebridades ou influenciadores digitais. Na verdade, essas relações podem ocorrer com qualquer personagem da mídia, seja real ou fictício. Inclusive, também podem acontecer com personagens de desenhos animados.

Para que você possa ver um pouco mais claramente, vamos fazer um pequeno exercício: primeiro, imagine que você encontra no supermercado uma pessoa famosa com a qual você se identifica. Você provavelmente vai abordá-la, pedir um autógrafo, tirar uma foto e tentar estabelecer algum tipo de conversa. Você agiria como se já a conhecesse, embora não a conheça.

Por isso, as relações parassociais são relações sociais falsas. Essas relações não são reais; elas nascem do desejo de encontrar essa pessoa “na vida real” ou até mesmo da sua admiração por ela. A mente engana!

É possível perceber essa relação como próxima e íntima quando, na realidade, você não conhece realmente essa pessoa; você sabe apenas o que ela mostra nas redes sociais. Além disso, de acordo com os especialistas, é uma relação unilateral (não recíproca), portanto, nada mais é do que um pseudo-vínculo.

Origem do termo

Os autores Horton Donald e Richard Wohl falaram pela primeira vez sobre as relações parassociais em 1956. Especificamente, eles definiram o conceito como “a criação inconsciente de uma relação intensamente próxima com uma pessoa da mídia”.

Além disso, os autores acrescentaram que esse tipo de relação é unilateral (não recíproca). Segundo eles, e como cita Caro (2015), trata-se da ilusão da audiência de uma interação recíproca com figuras da mídia.

Sentimentos associados às relações parassociais

Uma característica das relações parassociais é que o indivíduo se sente muito identificado com a pessoa da mídia em questão. Como resultado, isso o faz perceber uma relação real com essa pessoa. Nesse sentido, ele desenvolve uma forte empatia pela pessoa. O oposto também pode ocorrer, ou seja, sentir rejeição ou antipatia por essa pessoa.

O que mais caracteriza esse tipo de relação é a sensação de realmente conhecer uma pessoa apenas por vê-la ou segui-la nas redes sociais. É um elo muito particular porque, na realidade, é completamente unilateral. É por isso que falamos de um pseudo-vínculo.

Por outro lado, segundo a comunicadora Ileana Caschi, as relações parassociais são um fenômeno comunicativo que nos faz tomar conhecimento de determinados conteúdos midiáticos apenas porque alguém está falando sobre eles. Essa situação decorre do fato de acreditarmos ser mais do que apenas uma parte do público. Inclusive, o cérebro tem muito a ver com isso.

Com quem as pessoas desenvolvem relações parassociais?

Como você pode ver, esse tipo de relação se desenvolve com qualquer pessoa famosa (pode até ser fictícia). Assim, geralmente são pessoas que aparecem na televisão, no rádio, nas redes sociais e até jornais.

Isso pode acontecer com artistas, atletas, apresentadores de TV, políticos e cantores. Isso inclui personagens de ficção, como os protagonistas de desenhos animados (isso acontece principalmente com as crianças).

Quanto tempo essas relações duram?

Não há uma resposta concreta para essa pergunta, uma vez que as relações parassociais são indefinidas. Na verdade, o tempo de duração depende de por quanto tempo essa pessoa da mídia é significativa ou importante para o indivíduo. Também tem a ver com o tempo que essa pessoa está na mídia.

Por que as relações pasassociais ocorrem?

De certa forma, o fato de ocorrerem relações parassociais tem a ver com o subconsciente (ou inconsciente). Vamos ilustrar isso com um exemplo simples: quando você vê pessoas famosas na televisão (ou as escuta no rádio, as assiste no YouTube, etc.), sua mente inconscientemente “acredita” que todo aquele conteúdo foi criado especialmente para você.

Em outras palavras, mesmo sabendo que você é apenas um grão de areia entre todos os telespectadores daquele programa, sua mente o engana e o faz acreditar que esse conteúdo é, de certa forma, exclusivo para você. Isso explica por que você pode se identificar tanto com uma determinada pessoa ou tipo de contexto.

As estratégias das pessoas midiáticas

As estratégias das pessoas que estão na mídia

Essas pessoas de quem estamos falando e com as quais os demais desenvolvem relações parassociais estão bem cientes dos mecanismos que potencializam esses tipos de sentimentos. Um exemplo é o fato de olharem para a câmera e se dirigirem ao seu público (todos nós) de maneira direta. Isso é feito especialmente por YouTubers e apresentadores de TV.

Inclusive, o campo da neurociência estabelece que o cérebro está programado para interpretar um olhar direto nos olhos como um sinal de que uma pessoa está prestando atenção.

Em outras palavras, perceber que estão olhando para você nos olhos pode fazê-lo sentir que estão falando diretamente com você. Como resultado, seu cérebro interpreta que essa pessoa o conhece até certo ponto.

Em suma, tudo que falamos, somado aos sentimentos de empatia e atenção que essas pessoas despertam através da sua linguagem verbal e não verbal, facilita o surgimento de relações parassociais. Cabe ressaltar que o grau de credibilidade da pessoa e sua atratividade física e intelectual também desempenham um papel nisso.

“As mídias sociais e digitais não substituem as tradicionais; elas coexistem”.
-Octavio Regalado-

  • Caro, C.L. (2015). Relaciones e interacciones parasociales en redes sociales digitales. Una revisión conceptual. Revista ICONO14, Revista Científica de Comunicación y Tecnologías Emergentes, 13(2): 23-47.
  • Giles, D.C. (2002). Interacción parasocial: una revisión de la literatura y un modelo para futuras investigaciones. Psicología mediática, 4(3): 279-305.
  • Horton, D. & Whol, R. (1956). Mass Communication and Para-social Interaction: Observations on Intimacy at a Distance. Estados Unidos.
  • Rubin, R.B. & McHugh M.P. (1987). Development of parasocial interaction relationships. Journal of Broadcasting & Electronic Media, 31(3): 279-292.