Sulpirida: um antipsicótico para vertigem

Sulpirida, é um medicamento comumente prescrito para o tratamento de vertigens. No entanto, também é usado como um psicotrópico antipsicótico. Vamos aprender mais sobre ele neste artigo.
Sulpirida: um antipsicótico para vertigem

Última atualização: 13 janeiro, 2022

Sulpirida é um medicamento antipsicótico ou neuroléptico. Tem uma estrutura benzodiazepínica e é classificado entre os antagonistas do receptor de dopamina específicos. Por sua vez, a dopamina é um neurotransmissor fundamental em nosso sistema nervoso porque regula um grande número de respostas no corpo.

É especialmente importante na função motora, pois regula os movimentos do corpo. Também atua nas reações e sensações emocionais, assim como na cognição e no comportamento, entre outros.

Níveis elevados de dopamina estão associados a doenças mentais, como esquizofrenia ou psicoses. Por esse motivo, muitos dos antipsicóticos são antidopaminérgicos e bloqueiam os efeitos desse neurotransmissor.

Sulpirida provou ser uma droga altamente eficaz em vários distúrbios psicológicos. É eficaz em síndromes psicossomáticas, demência senil, somatizações gastrointestinais, tonturas…

Pessoa com mãos na cabeça devido a demência

Para que é utilizada a sulpirida?

As indicações terapêuticas constantes da ficha técnica deste medicamento são as seguintes:

  • Tratamento de transtornos depressivos com sintomas psicóticos em combinação com antidepressivos, desde que os antidepressivos isoladamente tenham se mostrado ineficazes.
  • Outras formas graves de depressão resistentes a antidepressivos.
  • Tratamento de psicoses agudas e crônicas.
  • Tratamento da vertigem nos casos em que não há resposta ao tratamento antivertiginoso usual.

Como vimos, a sulpirida é um medicamento antipsicótico, mas não é usado apenas em transtornos mentais, mas também em doenças neurológicas. No caso de vertigem, esse medicamento também se mostrou eficaz. Trata-se de um sintoma que atinge cerca de 23% da população em geral e é motivo frequente de consulta em consultas de atenção primária. Geralmente, sua prevalência tende a aumentar com a idade.

Vertigem é uma sensação alucinatória de movimento produzida por uma alteração da orientação no espaço. Sua origem geralmente está nas estruturas da orelha interna ou em algum ponto da via vestibular do sistema nervoso central.

Mecanismo de ação

Sulpirida atua como um antagonista específico dos receptores D2 e D3 da dopamina. Seu efeito depende principalmente da dose administrada, que deve ser sempre prescrita e controlada pelo médico.

Em baixas doses, tem efeito sobre quadros psicóticos com sintomas negativos, mas quase nenhum efeito sobre os sintomas positivos. Em doses mais altas, ela melhoram os sintomas positivos em pacientes com psicoses agudas ou crônicas. Doses muito altas de sulpirida podem ter efeitos sedativos.

Em relação à sua ação antivertiginosa, a sulpirida bloqueia os receptores D2 na área de gatilho dos quimiorreceptores e, portanto, inibe o vômito. Também atua sobre os mecanismos reguladores do equilíbrio e do senso de orientação espacial.

Tem um poderoso efeito supressor vestibular e é especialmente útil no tratamento sintomático de náuseas e vômitos que podem acompanhar a vertigem e o enjôo. Geralmente é administrado por via oral, mas nos casos mais graves também pode ser administrado por via intramuscular.

Mulher com psicose puerperal

Efeitos secundários

Os efeitos colaterais mais comuns do tratamento com sulpirida são:

  • Insônia.
  • Sedação ou sonolência.
  • Transtorno extrapiramidal.
  • Sintomas de parkinsonismo.
  • Tremor.
  • Hiperprolactinemia
  • Prisão de ventre.
  • Aumento das enzimas hepáticas.
  • Dor no peito.
  • Aumento de peso.
  • Galactorréia.

É importante notificar o médico sobre quaisquer reações adversas que ocorram durante o tratamento. Para evitar interações, sua administração não deve ser combinada com medicamentos antiparkinsonianos ou antiarrítmicos. Da mesma forma, para evitar efeitos indesejáveis, deve-se sempre respeitar a posologia e a duração do tratamento indicada pelo especialista.

Em caso de sobredosagem, não existe um antídoto específico para a sulpirida. O tratamento seria sintomático, principalmente para controlar a função cardíaca. Em caso de sintomas extrapiramidais, serão administrados anticolinérgicos.

This might interest you...
Metilfenidato: o medicamento estimulante
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Metilfenidato: o medicamento estimulante

O metilfenidato é um medicamento estimulante do sistema nervoso central. É o medicamento mais prescrito no tratamento do TDAH. Saiba mais a seguir.



  • Agencia Española de Medicamentos y Productos sanitarios (2018). Ficha técnica. Dogmatil. [Online] Disponible en: https://cima.aemps.es/cima/dochtml/ft/48556/FT_48556.html
  • Martín-Aragón, S. (2004). Vértigo y mareo: revisión. Farmacia profesional18(5), 70-76.
  • Martín-Aragón, S., & Bermejo-Bescós, P. (2011). Vértigo. Tratamiento farmacológico. Offarm30, 74-79.