A terapia de ensaio em imaginação para os pesadelos

11 Janeiro, 2020
A terapia de ensaio em imaginação ajuda a pessoa que tem pesadelos a assumir o controle sobre o conteúdo desses sonhos. Neste artigo, vamos falar sobre ela.

Os pesadelos nos fazem sentir medo, angústia e acordar sobressaltados. Além disso, quando se tornam algo crônico, começam a afetar seriamente a qualidade do sono da pessoa, influenciando, inclusive, seu rendimento diurno. A terapia de ensaio em imaginação é uma das técnicas mais eficazes para tratar esse fenômeno.

Em algum momento de nossas vidas, todos nós já tivemos pesadelos. Portanto, falamos de um fenômeno conhecido. É um fenômeno não patológico que não acarreta nenhum problema, além da sensação de mal-estar. No entanto, quando esses sonhos desagradáveis se tornam recorrentes, passam a ser considerados um transtorno do sono.

Nos principais manuais de classificação diagnóstica, os pesadelos são considerados uma parassonia que envolve a ocorrência repetida de sonhos que provocam um medo intenso.  Geralmente, ocorrem durante a fase REM e seu conteúdo é ameaçador para a pessoa.

Quando os pesadelos se tornam crônicos, trazem consequências significativas para a qualidade do sono, fazendo a pessoa sofrer de insônia, ter medo de dormir ou medo do escuro. Além disso, é provável que a pessoa desenvolva comportamentos que dificultem o sono, como deixar as luzes acesas ou dormir em horários irregulares.

Mulher tendo pesadelos

Por que temos pesadelos?

Apesar de ainda carecermos de conhecimento científico suficiente para determinar a causa e a origem dos pesadelos, foram identificados fatores que influenciam o seu aparecimento.

  • Os pesadelos são mais comuns em crianças e, em menor medida, em adolescentes. Fazem parte do processo de amadurecimento e tendem a desaparecer com o tempo.
  • Ocorrem com mais frequência em períodos em que a pessoa está vivendo sob um elevado estresse psicossocial. Nessa situação, os pesadelos podem agir como um mecanismo de enfrentamento: quando o estressor aparece no sonho, a pessoa explora diversas formas de lidar com ele.
  • Muitas vezes, aparecem associados a outros transtornos, como a ansiedade, a depressão e, especialmente, o transtorno de estresse pós-traumático.
  • As pessoas com dificuldade para regular adequadamente suas emoções costumam ter pesadelos com maior frequência.

O que é a terapia de ensaio em imaginação?

A terapia de ensaio em imaginação é um dos procedimentos mais pesquisados e que melhores resultados proporcionou no tratamento dos pesadelos. Trata-se de uma técnica cognitiva baseada na modificação do conteúdo do sonho.

O objetivo consiste em alterar de forma consciente alguns detalhes do pesadelo. Isto é, fazer com que o sonho se torne uma história agradável. Dessa maneira, a pessoa consegue assumir o controle sobre os acontecimentos sonhados e modificá-los.

Terapia de ensaio em imaginação passo a passo

1. Modificar crenças

Em primeiro lugar, é necessário modificar algumas crenças que a pessoa possa ter sobre os pesadelos. Temos que transmitir a ela a ideia de que os pesadelos não são algo incontrolável, e sim um hábito adquirido que podem modificar.

Por outro lado, é importante que a pessoa compreenda que, uma vez que se tornam crônicos, os pesadelos deixam de ser úteis e não cumprem nenhum propósito. Portanto, é a hora de lidar com eles, modificando-os durante a vigília para que se tornem algo mais agradável.

2. Trabalhar a visualização

O seguinte passo consiste em avaliar a capacidade da pessoa de imaginar cenários de uma forma vívida. Para isso, deve-se pedir para que ela pratique a imaginação agradável criando cenas prazerosas em sua mente.

Além disso, deve-se ensinar técnicas para controlar o aparecimento de imagens desagradáveis durante a prática da visualização.

Psicólogo fazendo anotações

3. Lidar com o pesadelo

Nesse ponto, pede-se para a pessoa selecionar o pesadelo com o qual vai trabalhar, escrevendo um relato dele. Em seguida, deve-se incentivá-la a modificar tudo o que quiser em seu conteúdo e reescrevê-lo, descrevendo com detalhes essa nova sequência de imagens.

Por fim, ela deve ser instruída a dedicar entre 5 e 20 minutos por dia para repassar mentalmente a história modificada. A ideia é que, ao repetir essa modificação durante a vigília, a pessoa consiga se transportar ao sonho por continuidade.

Eficácia da terapia de ensaio em imaginação

Se a pessoa for constante na aplicação da técnica, os pesadelos vão melhorar rapidamente com resultados que se manterão com o passar do tempo. Além disso, a qualidade do sono vai melhorar e o mal-estar que a pessoa sente, associado aos pesadelos, vai diminuir.

Morales, E. M., & de Vaca, P. M. N. C. (2004). Tratamientos psicológicos de las pesadillas: una revisión. International journal of psychology and psychological therapy4(1), 11-36.

Gállego Pérez-Larraya, J., Toledo, J. B., Urrestarazu, E., & Iriarte, J. (2007). Clasificación de los trastornos del sueño. In Anales del Sistema Sanitario de Navarra (Vol. 30, pp. 19-36). Gobierno de Navarra. Departamento de Salud.